7 de março de 2018

Bernardo Sousa vem animar o Campeonato dos Açores de Ralis na Play/AutoAçoreana Racing

O convite da equipa Play/Auto Açoreana Racing apanhou de surpresa o piloto madeirense Bernardo Sousa. Com um projecto tão aliciante, numa estrutura profissional, já com um ano de experiência, era mesmo para "não pensar duas vezes". O piloto de 31 anos de idade nunca foi campeão da Madeira, porque sempre projectou as participações nos âmbitos nacional e internacional. Mas foi campeão de Portugal em 2010 e vencedor do ainda SATA Rali Açores em 2014, representado, curiosamente, o Benfica, que apostou no piloto quando investiu nos ralis.  Bernardo Sousa tem uma vasta participação em provas dos campeonatos de Portugal e Mundial ao nível do antigo agrupamento de Produção e do WRC 2, baseado em automóveis de linha homologados sob as regras Super 2000, N4 e R5. É uma competição iniciada em 2010 e corrida em paralelo com o campeonato WRC. Bernardo Sousa vai ter a seu lado Valter Cardoso, natural de Amarante, com 35 anos de idade e com experiências como co-piloto em ralis e em provas de todo o terreno. Participou na prova do "europeu" em S. Miguel nos anos de 2012 como piloto e como "navegador" nos anos de 2014, 2015 e de 2017. No ano passado esteve no banco a ditar notas ao piloto Carlos Fernandes.  É detentor de vários títulos e de sub-títulos nas Taças FPAK de terra e de asfalto, nos campeonatos do Centro e da Taça de Portugal de ralis. Bernardo Sousa falou sobre esta nova etapa da carreira de piloto de ralis numa entrevista à RTP-Açores. A conversa com o jornalista José Camacho, da RTP-Madeira, começou por abordar este convite da equipa sediada em Ponta Delgada. "Não sei as razões, porque não me dizem respeito, que levaram a dupla que representava a equipa a afastar-se do projecto. Agora, não pensei duas vezes para aceitar o convite para incorporar o projecto da Play/AutoAçoreana Racing, até porque estava há dois anos parado. Foi tudo muito rápido e já assinei o contrato. A Sport&You, quer toda a estrutura técnica, logística e burocrática são do topo, com tudo muito bem preparado e bem estruturado. “Tenho ainda muita fome de corridas e muita vontade de ganhar. Por isso vou dar o meu melhor." Sobre si recai uma grande responsabilidade de atingir o título açoriano em 2019... "Sei que esta abordagem da Play/AutoAçoreana Racing foi com o intuito de reduzir o tempo para atingir os resultados, atendendo à experiência que tenho nas provas dos Campeonatos do Mundo e de Portugal, com muitos quilómetros percorridos em carros de várias classes. Tudo isso contou para o convite, até porque o projecto é muito ambicioso e, se calhar, eram precisos resultados mais cedo do que haviam projectado". Ter estado parado não será uma desvantagem nas primeiras provas? "Preciso de uma fase de aprendizagem. Vou fazê-la. Apesar de ter estado parado 2 anos quero ganhar, mas tenho os pés bem assentes na terra. O Citroen está a ser revisto e antes do Azores Airlines Rallye vou fazer alguns quilómetros de rodagem". Se já conhece os troços da ilha de S. Miguel, está em desvantagem nos troços das ilhas onde se realizam as outras provas do campeonato açoriano? "Realmente assim acontece. Penso que as características dos pisos onde se desenrolam as provas de classificação nas outras ilhas são parecidos com os da ilha de São Miguel. Sou rápido quer nos pisos em terra quer nos pisos em asfalto. Agora, devem existir pisos mais limpos e outros mais irregulares. Será uma questão de tempo." Começa com um grande desafio, no Azores Airlines Rally dentro de 3 semanas... "Tenho a desvantagem da falta de ritmo competitivo porque tenho estado parado. Mas vou ainda fazer muitos quilómetros até ao rali. Vou aproveitar a experiência que tenho das anteriores participações no rali na ilha de São Miguel. Não irei lutar pela vitória porque reconheço que neste momento não será fácil, mas vou tentar ficar nos cinco primeiros lugares. O grande objectivo é o Campeonato dos Açores de Ralis. Foi para isso que fui contratado. É no campeonato que irei concentrar-me. Tenho a consciência de que tenho um objectivo a atingir e um plano a cumprir". Bernardo Sousa estreou-se no ainda SATA Rali Açores em 2006 com um Skoda Fábia RS TDI (gasóleo), tendo desistido por despiste. Em 2007 voltou com um Mitsubishi EV9, desistindo com um problema na caixa de velocidades. Outro despiste, em 2009, fez com que não terminasse a prova. Com um Fiat Punto correu em 2009, sendo 10.º classificado. Em 2010 com um Ford Fiesta S2000 foi 10.º. Após um interregno de 3 anos, voltou em 2013 para preparar a vitória no ano seguinte. Chorou quando subiu chegou a Ponta Delgada como vencedor. Tinha 27 anos de idade.
Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker