Armadores querem que o Governo inclua o arenque na lista de espécies que se podem pescar nos Açores com cerco

A Cooperativa Porto de Abrigo solicitou ao Secretário Regional do Mar, Gui Menezes, para colocar o arenque na lista de espécies piscícolas que podem ser pescadas no mar dos Açores com a arte de cerco, soube o Correio dos Açores. A decisão foi tomada depois da Cooperativa Porto de Abrigo ter reunido com sete armadores de pesca da Região e solicitado a opinião dos restantes cinco armadores que pescam com cerco pequenas espécies pelágicas como o chicharro, a cavala, a sardinha e a boga. Está publicada uma portaria que permite a pesca do arenque no mar dos Açores com anzol. No entanto, nos últimos dois anos têm surgido nos mares da Região algumas quantidades de arenque que só pode ser capturado, com valor comercial, através da arte de cerco. O arenque pode também ser utilizado como isco vivo para os atuneiros que pescam na Região. O arenque é uma espécie muito capturada na costa Norte da Galiza e na Corunha e, nos últimos dois anos, tem aparecido em quantidades significativas nos mares da Região. Até agora só pode ser descarregado nas lotas dos Açores como ‘pesca acidental’. Em 2016 foram descarregados nas lotas açorianas 2.363 quilos de arenque que, na primeira venda, atingiram o preço médio de 0,99 euros por quilo, o que representou um rendimento de 2.345 euros. Já em 2017 passaram nas lotas dos Açores 5.551 quilos de arenque que, na primeira venda, atingiu o preço médio em lota de 1.10 euros por quilo, o que resultou num rendimento de 6.131 euros.
Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima