Açoriano passa rigorosa prova de admissão e entra no naipe dos primeiros violinistas  da Orquestra Sinfónica de Antuérpia Ler mais

Açoriano passa rigorosa prova de admissão e entra no naipe dos primeiros violinistas da Orquestra Sinfónica de Antuérpia

Filipe Raposo, natural de Ponta Delgada, hoje músico profissional, podia ter tido outro percurso académico porque no liceu era bom aluno, mas garante-nos: “Mas sempre fui melhor aluno no conservatório do que no liceu, tanto no violino como nas restantes disciplinas. Sempre tive outro prazer na música e tinha realmente melhores resultados”. Terminado o 12º ano e feito o 8º grau no Conservatório Regional de Ponta Delgada, estava na altura de escolher o caminho a seguir e Filipe Raposo não teve dúvidas, o ensino superior seria feito na área da música, restava apenas escolher qual a escola a seguir, “porque o queria era ser violinista profissional. Os meus pais sempre me apoiaram, mas sempre ficaram na dúvida se seria uma coisa do momento ou o meu desejo, mas assim foi e continua a ser”.

Repatriado, já viveu vida de luxo e hoje é um  dos vários sem-abrigo que deambulam na cidade  e quer ter “os mesmos direitos dos drogados” Ler mais

Repatriado, já viveu vida de luxo e hoje é um dos vários sem-abrigo que deambulam na cidade e quer ter “os mesmos direitos dos drogados”

Depois de ter sido apanhado com 1, 2 milhões de euros que trouxe da Venezuela a mando de um “um chefe”, nunca disse quem era o dono do dinheiro. Foi condenado. E por não ter aberto a boca foi recompensado com 90 mil euros. Gastou-os sem pensar no futuro. “Tinha de gozar a vida”, mas hoje enfrenta as ruas da cidade como sendo a sua casa e as entradas das instituições como o seu tecto…

Sem-abrigo pede ajuda para tratar-se do vício porque  Ponta Delgada tem droga sintética em cada esquina Ler mais

Sem-abrigo pede ajuda para tratar-se do vício porque Ponta Delgada tem droga sintética em cada esquina

O Natal está à porta e será apenas mais um dia para Nelson, um sem-abrigo que espera ter uma refeição quente na Novo Dia. “Não pedi para viver, também não espero morrer, embora saiba que vou morrendo devagarinho”. Como prenda de Natal sabe que ninguém lhe vai dar nenhuma, mas “espero que um anjo da guarda me estenda a mão. Sei que é muito difícil, mas tenho esperança que me coloquem em Vila do Conde, na Quinta do Outeiro, uma clínica que trata tudo”. Sobre ter uma vida normal, gostaria que isso acontece, só que “casei-me com a sintética. Eu importo-me comigo, por isso quero tratar-me. Aqui em São Miguel não, há muita droga”.

Eduardo Melo: “Gostava que aparecessem mais alunos empenhados na aprendizagem” num Nordeste que está a perder população Ler mais

Eduardo Melo: “Gostava que aparecessem mais alunos empenhados na aprendizagem” num Nordeste que está a perder população

No âmbito do 50º aniversário da Escola Básica e Secundária do Nordeste, o professor Eduardo Jorge Lima Melo, docente do quadro da instituição há 35 anos, de que já foi Presidente do Conselho Executivo, lançou um livro de memórias relativo ao meio século de vida da escola. Na cerimónia de lançamento, para além dos membros do Conselho Executivo, de professores e alunos, marcaram presença a Secretária Regional da Educação, Sofia Ribeiro, assim como diversas entidades políticas e culturais do Concelho. O momento foi de grande encontro entre todos, a que não faltou os parabéns à instituição, hoje presidida por António Rocha. Numa conversa franca, entre as dificuldades e as potencialidades dos alunos num tempo digital, o docente destaca que hoje em dia a escola tem de estar na vanguarda das novas tecnologias, mas também os alunos têm de aplicar-se mais...

A Matemática é difícil, requer treino e tem de ser  ensinada de forma lúdica e com boa comunicação,  defende o professor Carlos Marinho Ler mais

A Matemática é difícil, requer treino e tem de ser ensinada de forma lúdica e com boa comunicação, defende o professor Carlos Marinho

No âmbito do 20ª aniversário da Escola Secundária da Lagoa,  o professor Carlos Marinho, do Porto, promove três palestras: uma para professores, que decorreu ontem, e duas para alunos, que serão proferidas hoje sob o lema “A Matemática tem magia”. Também trouxe na bagagem a sua nova obra sobre Matemática e Ciência “Só Me Arranjas problemas!”, livro que tem agora na Região a sua apresentação oficial. Carlos Marinho, com doutoramento em Matemática, tem andado pelo pais a dar palestras de índole matemática e educativa. É autor de centenas de artigos de opinião em jornais e revistas.

 

Theme picker