“Ponta Delgada desinteressou-se pelo seu patrimójnio que mal-trata, atropela e...destrói” Ler mais

“Ponta Delgada desinteressou-se pelo seu patrimójnio que mal-trata, atropela e...destrói”

...”Fazer turismo não é um direito, é um privilégio. Esta visão garante também que o turista, de repente, não tem mais direitos do que as próprias comunidades locais. Têm de existir regras, contenções, reflexões e compromissos a fazer.
...Portanto, toda a reflexão acerca daquilo que é o destino turístico não pode contornar aquilo que é o interesse e o modo de vida das populações residentes, que representam a alma daquele lugar.”...
 

Marta Cabral, presidente da Associação Rota Vicentina, em entrevista  a Fernando Brandão, in Jornal Expresso

Arquitectura LXXV Ler mais

Arquitectura LXXV

...”Já a Fajã Grande tem aspecto mais urbano e concentrado, ao longo de uma rua principal rectilínea, num conjunto apreciável pela coerência; a Ponta da Fajã constitui apenas uma singela “linha” de casario, bordejando o mar e o penhasco;”...
    In “Inventário do Património Imóvel dos Açores” (edição IAC 2006) - Lajes das Flores - Do
Urbanismo à Arquitectura de José Manuel Fernandes, arquitecto.

 

Theme picker

Revista Pub açorianissima