Empresário açoriano foi considerado o melhor em Portugal a conjugar a mecânica e electrónica dos carros Ler mais

Empresário açoriano foi considerado o melhor em Portugal a conjugar a mecânica e electrónica dos carros

O Jornal das Oficinas e a ATEC – Academia de Formação realizaram a 4.ª edição do concurso Melhor Mecatrónico, a nível nacional, de onde saiu vencedor o micaelense Marco Cordeiro. Natural dos Arrifes e proprietário da oficina Auto Cordeiro, localizada na zona comercial dos Valados, o empresário conta como foi a experiência e o balanço do seu negócio que já conta com 12 anos.
 

“Sempre que vou a São Miguel é porque  acontecem coisas boas” Ler mais

“Sempre que vou a São Miguel é porque acontecem coisas boas”

É natural da cidade do Porto e formada em Música na Escola Superior de Música daquela mesma cidade. Após mudar-se para a ilha Terceira há alguns anos, começou a conhecer melhor o património musical açoriano, afirmando que desconhecia certos compositores. No ano passado, idealizou um projecto designado “Bruma Project” que fez uma tournée pelo arquipélago, um projecto inovador e bem aceite pelo público açoriano. Actualmente, Sara Miguel encontra-se a residir na ilha do Pico, onde diz ter sido muito bem acolhida. “A Voice For Freedom - Sara Miguel Miguel canta Nina Simone” vai ser um concerto especial por ser a primeira vez que a cantora canta em nome próprio na que diz ser a maior sala de espectáculos dos Açores.

“O País soube mandar os rapazes para a guerra, mas quando eles morreram, muitos nunca  vieram para cá e ficaram lá enterrados” Ler mais

“O País soube mandar os rapazes para a guerra, mas quando eles morreram, muitos nunca vieram para cá e ficaram lá enterrados”

Em criança, sempre trabalhou. E praticamente, assim o fez durante a sua vida. Manuel Mota fez parte de uma unidade de Comandos em Moçambique nos anos de 1973 e 1974, uma época que ainda o marca profundamente. Actualmente, aos 67 anos, quer aproveitar o que a vida lhe oferece. Com um espírito aventureiro, já deu a volta ao mundo no barco e é precisamente no mar que se sente bem.
 

“A zona da Calheta era extremamente religiosa  e as pessoas faziam um sacrifício  enorme para irem à Igreja de São Pedro” Ler mais

“A zona da Calheta era extremamente religiosa e as pessoas faziam um sacrifício enorme para irem à Igreja de São Pedro”

A 1 de Novembro de 1969, era inaugurada a Igreja do Coração de Maria “pelas mãos” do padre José Baptista Ferreira. Uma obra com traços arquitectónicos modernos que viria servir a população numa época em que Ponta Delgada encontrava-se em expansão. O padre João Maria Brum, que esteve presente na comemoração dos 25 anos, falou ao Correio dos Açores sobre a efeméride que se celebra hoje.  Após a missa das 10h, haverá uma exposição solene do Santíssimo Sacramento onde diversos organismos da Paróquia irão fazer as suas orações de Acção de Graças pela Igreja. A partir das 15 horas, haverá uma grande celebração com a participação de todos os sacerdotes que por ali passaram e que fizeram o seu trabalho naquela paróquia, bem como uma homenagem a todos aqueles que faleceram e que deram o seu contributo. Segundo o padre João Maria Brum, “vai ser uma celebração simples, mas carregada de significado”. 
 

Falta de professores nos Açores obriga escolas  a lançarem concursos públicos Ler mais

Falta de professores nos Açores obriga escolas a lançarem concursos públicos

Na Região Autónoma dos Açores, as 9 ilhas do arquipélago deparam-se com um problema que é cada vez mais recorrente: a falta de professores. Já são várias as disciplinas que carecem de docentes. Não havendo colocados através dos concursos da Direcção Regional da Educação, o último recurso tem sido a Bolsa de Emprego Público dos Açores. No entanto, os resultados não têm sido as melhores.

“Quando fui para Moçambique o meu objectivo era ficar lá...” Ler mais

“Quando fui para Moçambique o meu objectivo era ficar lá...”

Com muito orgulho da sua terra natal, que considera “o concelho mais lindo dos Açores”, José Francisco Garcia Mota veio ainda em criança da Povoação para Ponta Delgada para prosseguir estudos. No início da década de 60 foi cumprir serviço militar, mas já tendo a ideia de não regressar do Ultramar, ou seja, criar a sua vida para onde fosse enviado, em virtude da enorme carência de empregos em São Miguel. Chegou ao posto de sargento-miliciano, mas acabou por regressar à ilha. Sempre proactivo pelos diversos lugares por onde passou, aos 76 anos frequenta a Academia Sénior da Universidade dos Açores.

Theme picker

Revista Pub açorianissima