Edit Template

António Costa destaca segurança como “pilar fundamental no desenvolvimento” do país e destaca colaboração entre GNR e PSP

O primeiro-ministro sublinhou esta segunda-feira o papel das forças de segurança enquanto “pilar fundamental do desenvolvimento do país”, lembrando as competências acrescidas que têm vindo a ser atribuídas à PSP e GNR, designadamente na prevenção e investigação da criminalidade.
Declarações feitas no discurso de encerramento da tomada de posse do novo comandante-geral da GNR, tenente-general Rui Ribeiro Veloso, e do director nacional da PSP, superintendente-chefe Barros Correia, que decorreu na manhã de ontem segunda-feira, no Ministério das Finanças, em Lisboa.
Evocando a tomada de posse simultânea, António Costa apontou o “simbolismo muito especial” desta cerimónia conjunta: “Com ela reafirmamos simultaneamente a natureza dual do nosso sistema de forças de segurança – uma de natureza militar, outra de natureza civil -, mas também a determinação de ambas trabalharem, no respeito pelas competências próprias de cada uma, em estreita cooperação, colaboração e camaradagem no desempenho da missão comum de garantir a segurança dos cidadãos”.
Perante o ministro da Administração Interna (MAI) e a ministra da Defesa, o primeiro-ministro sublinhou que a segurança “é cada vez mais uma tarefa exigente e colaborativa”.
Já José Luís Carneiro lembrou que “Portugal é um país pacífico e seguro” e que “assim tem de continuar a ser”, deixando expresso o seu apoio e confiança às novas chefias da PSP e GNR.
“Prosseguir a melhoria da capacidade operacional das forças de segurança é um objectivo político do Governo. A segurança é um factor fundamental da soberania nacional e condição essencial à plena realização de uma cidadania humanista e comprometida com o desenvolvimento democrático”, sublinhou o ministro da Administração Interna.
O tenente-general Rui Veloso é o primeiro comandante-geral da GNR oriundo da própria Guarda, até agora comandada por oficiais generais do Exército. Actual segundo comandante-geral da Guarda, Rui Veloso comandou ainda o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (atual Unidade de Emergência de Protecção e Socorro), tendo ainda desempenhado quatro missões no estrangeiro.
O superintendente-chefe Barros Correia ocupa desde 2018 o cargo de secretário-geral dos Serviços Sociais da PSP, tendo exercido as funções de presidente do Grupo de Cooperação Policial da União Europeia durante a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, comandante regional dos Açores e oficial de ligação do Ministério da Administração Interna na Embaixada de Portugal na República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Edit Template
Notícias Recentes
Câmara da Ribeira Grande solicita activação do regime jurídico-financeiro de apoio à emergência climática
Santa Clara corre risco de perder o título de Campeão da Segunda Liga
Pedro Catarino defende “cultura de diálogo”entre República e Açores sobre gestão do mar
Ministro da Agricultura manifesta em Santarém interesse em reunir com Jorge Rita
Três deputados dos Açores com assento no Parlamento Europeu na legislatura 2024-2029
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores