Edit Template

“O tempo que estamos a viver é terrível e precisamos de paz para ultrapassar a angústia e as dificuldades”, afirma padre José Borges

A Ouvidoria de Vila Franca organiza iniciativa “A Caminho da Paz” e integra a actividade na festa anual em honra da Senhora da Paz

Mais do que uma oração pela paz a iniciativa “A caminho da paz”, que se realizará Sábado, às 15h00, desde a Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo até à Ermida de Nossa Senhora da Paz, será uma oportunidade para cada participante fazer “um eco personalizado” do que é a paz para si e como pode ser construtor de paz ao seu redor, afirmou ao Igreja Açores o padre José Borges, Ouvidor de Vila Franca do Campo e organizador desta iniciativa.
Integrada nas festas em honra da Senhora da Paz, que anualmente se celebram nesta altura, chamando a esta igreja local centenas de fiéis, a iniciativa é a resposta do Conselho Pastoral ao apelo à Paz feito insistentemente pelo papa Francisco.
“O tempo que estamos a viver é horrível e terrível com tantas dificuldades e angústias… Nós precisamos urgentemente de paz” e “fazer “eco personalizado disso é muito importante”, refere o sacerdote.
“A paz começa na reconciliação do nosso coração com as nossas feridas e dificuldades; deve estender-se aos outros depois através da misericórdia. Nesta paz do coração não há vencedores nem vencidos. É isto que desejamos para o mundo inteiro”, explicitou o padre José Borges.
“Não se trata apenas de rezar; é rezar andando porque a construção da paz no mundo, tal e qual como o vemos hoje, exige caminho, que se faz através do diálogo” afirmou ainda o sacerdote, reeleito Ouvidor de Vila Franca do Campo recentemente.
“Por vezes digo a brincar: se tivesse de escolher entre a paz e a saúde, talvez escolhesse a paz porque sei que ela me traria também, de alguma forma, a saúde” desabafou ainda o sacerdote que está particularmente empenhado nesta iniciativa, que será um dos pontos altos da festa em honra de Nossa Senhora da Paz, que se celebra no seu santuário anualmente.
Esta caminhada “A caminho da Paz” inicia-se na Igreja de São Miguel Arcanjo às 15h00 até à ermida da Senhora da Paz. Às 19h30 é rezado o Terço e às 20h00 será celebrada a Eucaristia. A partir das 21h00 começa a Vigília de Oração, particularmente participada pelos escuteiros e jovens da ouvidoria de Vila Franca do campo.
No Domingo, dia 12, a Eucaristia é celebrada às 11h30 e, às 15h00, será recitado o Terço pela Paz, um momento de oração levado a cabo pelos Romeiros da ouvidoria de Vila Franca do Campo.
Na Segunda-feira, as festas são encerradas com a recitação do Terço, às 19h00, seguida de Eucaristia.
O `Santuário de Nossa Senhora da Paz’, como é designado vulgarmente pelos vilafranquenses, situa-se, num dos pontos mais elevados do concelho de Vila Franca do Campo, antiga capital da Ilha de São Miguel.
A igreja actual data do século XVIII, e terá sido edificado sobre uma anterior, provavelmente datada do século XVI, erguida pela população em honra à virgem, por no locar um pastor ter encontrado, miraculosamente, uma imagem da Senhora da Paz.
Durante os tempos conturbados de ataques piratas e corsários, as populações empreendiam grande fé na protecção que este templo concedia.
É, actualmente, um dos monumentos mais afamados da região, até pela grande paisagem que daqui se avista, constituindo este Monte de Nossa Senhora da Paz um dos miradouros mais privilegiados da “Vila”.

Edit Template
Notícias Recentes
Cuidar do nosso património
Flagelo da toxicodependência, falta de habitação e o agravamento da pobreza são as maiores dificuldades que afligem as famílias da Ribeira Seca
Presidente da Assembleia destaca importância do Museu do Parlamento no 1º aniversário
Bombeiros de Ponta Delgada vão transportar Coroado Município na Grande Coroação deste Domingo
“Um dos objectivos que distingue a RARA é a tentativa de afirmação do artesanato como uma profissão de futuro”
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores