Edit Template

“Há necessidade de um grande investimento na reparação, conservação e ampliação do quartel que serve Ponta Delgada e Lagoa,” salienta o Presidente da associação, João Medeiros

“As actuais instalações necessitam de obras de conservação, remodelação e ampliação, dado que são insuficientes para as nossas necessidades. Só para termos uma ideia, praticamente 50% das nossas viaturas não tem lugar na garagem,” aponta o Presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, João Medeiros. A Associação vai comemorar 145 anos no próximo ano, mas o quartel ainda tem deficiências desde a sua construção que ainda não foram resolvidas. De acordo com o Presidente, “há necessidade de um grande investimento” no quartel de bombeiros, e ainda está por concretizar a ampliação da garagem e a substituição do grupo de geradores. Outras necessidades passam pela melhoria e requalificação do parque de estacionamento e a construção de um campo de formação e treino adequado às necessidades formativas, aponta João Medeiros, em entrevista.

Correio dos Açores – O que nos pode contar sobre os projectos que a Associação de Bombeiros de Ponta Delgada tem para o próximo ano?
João Paulo Medeiros (Presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada) – A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada irá comemorar 145 anos de existência no ano de 2024, mais concretamente a 5 de Agosto, e portanto este será um ano cheio de desafios e de motivações acrescidas; Desde logo com a melhoria da consolidação financeira e da sustentabilidade da própria associação, através de uma consolidação da gestão muito rigorosa e cuidada dos meios disponíveis, face às necessidades de investimento. Ora pretendemos nesta área trazer alguma inovação e junto das empresas locais diligenciar na realização de algumas iniciativas, que permitam encontrar mais parceiros empresariais que possam patrocinar, ao abrigo da lei do mecenato, a aquisição de alguns equipamentos necessários para a melhoria da eficiência, segurança e capacitação do Corpo de Bombeiros; A título de exemplo, através da aquisição de mais uma viatura de transporte de doentes não urgentes e de equipamentos de protecção individual, como casacos, calças, botas de combate a incêndio, aricas, capacetes, etc, a par da necessidade de se concluir a obra de impermeabilização do telhado do quartel, um investimento na ordem dos 150 mil euros, aliada também à realização de obras de beneficiação e conservação dos alicerces do quartel (em parte) e dos balneários.
A par disso, a formação e valorização dos elementos do nosso Corpo de Bombeiros será uma prioridade absoluta; essa valorização faz-se através da renovação de fardamento e também da valorização financeira das suas remunerações e a abertura de concursos internos para progressão na carreira, a par de um esforço continuado de formação de competências permanente.
Os nossos bombeiros, os nossos recursos humanos, são o maior e melhor activo desta Instituição e como tal é nosso dever preparar e antecipar o futuro, através da contratação de mais Bombeiros, jovens, homens e mulheres, que se identifiquem com esta forma de ser e de estar perante a vida e perante os outros; foi isso que aconteceu com a contratação de 12 novos bombeiros, em outubro de 2023, no decurso da conclusão de uma recruta com 15 elementos; Este é um momento chave de viragem na história desta Instituição, porque estamos não só a ampliar a nossa capacidade de resposta, melhorando a qualidade e quantidade dos serviços de socorro prestados (mais de 3.000 ocorrências por ano), mas também se trata de uma antecipação de necessidades, pois dentro de 2/3 anos teremos alguns bombeiros que entrarão na fase de reforma, de forma que um bombeiro não se forma e não se capacita num ano nem dois;
Para além disso, vamos retomar, em plenitude, a permanência de uma ambulância de socorro, na secção destaca de Ginetes, para apoiar, com maior proximidade as populações residentes na costa oeste do concelho de Ponta Delgada.
No campo dos sonhos, teríamos muito gosto em conseguir adquirir uma ambulância pediátrica; Temos vindo a equipar as nossas ambulâncias com diversos equipamentos para uso pediátrico, mas ainda não foi possível termos uma ambulância totalmente equipada, preparada e até pintada para uso de crianças e recém-nascidos. É um sonho que vamos tentar concretizar, demore o que tempo que for necessário, mas julgo que vamos conseguir!
Relativamente à cidade da Lagoa e em estreita colaboração com o Município da Lagoa, estamos empenhados em criar, a curto prazo, em parceria com a Câmara Municipal, algumas valências de proximidade para com a população, que orgulhosamente servimos, quer no campo do transporte urgente, quer na área do transporte de doentes não urgentes, entre outras potencialidades.
Para além disso, e uma vez eleito o novo Governo Regional dos Açores, contamos ver aprovado o Estatuto Social do Bombeiro e o Novo Regime Jurídico, a par da implementação da lei de financiamento das Associações de Bombeiros dos Açores, documentos essenciais que estavam, finalmente, em fase final de implementação e que, infelizmente, a precipitação da situação politica na Assembleia Legislativa Regional veio deitar por terra e atrasar em muito, prejudicando quer os Bombeiros, quer as Associações, inclusive quanto à actualização da portaria das condições de trabalho dos bombeiros, com a consequente actualização dos vencimentos, quer por exemplo quanto à actualização da comparticipação do financiamento do transporte urgente de doentes, agravando ainda mais as dificuldades já existentes das Associações e da nossa em particular.
A boa notícia parece ser mesmo que o custo do consumo da electricidade de média tensão irá baixar cerca de 14%, o que não deixa de ser importante, tendo em conta que depois de uma subida exponencial superior a 85%, houve uma correcção neste segundo semestre em cerca de 30% e agora prevê-se uma nova descida. Um verdadeiro absurdo que coloca em causa a sustentabilidade e o equilíbrio financeiro da nossa Associação que passou de um gasto médio anual de cerca de 80 mil euros para quase o dobro, como costumo dizer, de um dia para o outro, ou seja de 32 de Dezembro de 2022 para 1 de janeiro de 2023, a mesma electricidade, o mesmo consumo, encareceu mais de 80%;

A associação publicou recentemente na sua página de Facebook uma notícia de 1998 (“Bombeiros recebem propostas aliciantes para novas instalações”). Qual o motivo?
Foi mais uma curiosidade, tendo em conta que estamos a aproximar-nos dos 25 anos de existência do quartel e esta foi uma forma de recordar como tudo começou; As actuais instalações necessitam de obras de conservação, remodelação e ampliação, dado que são insuficientes para as nossas necessidades; só para termos uma ideia, praticamente 50% das nossas viaturas não têm lugar na garagem, isto de um total de 45 viaturas de emergência e socorro;

Como se encontram as instalações dos Bombeiros de Ponta Delgada?
É um edifício muito grande, com algumas deficiências na sua construção e que necessita de obras muito significativas de conservação, dado que foram praticamente inexistentes ao longo destes quase 25 anos de existência; claro que com o tempo estas situações tendem a agravar-se, como foi o caso das graves infiltrações do tecto, com consequências acentuadas ao nível de humidades, infiltrações e até avarias em quadros eléctricos. Em si, o próprio edifício enferma de algumas deficiências, que não se compreendem como foi possível não terem sido corrigidas aquando da sua construção, mas que temos vindo a tentar corrigir, paulatinamente e conforme as parcas possibilidades financeiras. Um dos investimentos mais significativos que viemos a concretizar nos últimos anos foi o da substituição da iluminação por equipamentos com tecnologia LED, o que nos permitiu reduzir os encargos mensais de electricidade, apesar do aumento verificado de mais de 80% no inicio de 2023, imposto pela autoridade reguladora no consumo de média tensão; chegamos a ter consumos mensais de cerca de 11 mil euros por mês, o que é um absurdo para a nossa Instituição;
Permita-se chamar a atenção dos leitores que os Bombeiros, apesar de a sua actividade ser a prestação de socorro à população, não têm qualquer redução, beneficio ou isenção em termos de impostos e no que concerne ao pagamento de água e de electricidade, não temos nenhuma cláusula de proteccão e salvaguarda prevista na lei, que impele o corte de água ou electricidade, por falta ou atraso de pagamento, ao contrário de outras instituições.

Há necessidade de novas instalações?
Não há necessidade de um novo espaço, mas há necessidade de um grande investimento na reparação, conservação e ampliação do actual quartel, que serve as cidades de Ponta Delgada e Lagoa, com os seus mais de 85 mil habitantes; é preciso ter em consideração que o actual edifício, tem possibilidade de ser ampliado, quer em altura, quer em largura; Há a necessidade de mais e melhores valências, de forma a podermos dar resposta adequadas às necessidades actuais, tendo em conta que hoje contamos com mais de 120 trabalhadores e no ano em que foi construído seria na ordem dos 70 /80 elementos; Hoje são mais de 45 viaturas; portanto as necessidades e as valências cresceram, mas o corpo, a estrutura não;
A maior parte das nossas viaturas permanece, mesmo em período de não utilização, diurno ou nocturno, ao ar livre, o que acelera as condições de corrosão e desgaste; Afinal de contas perfazem, anualmente., cerca de 900.000 Kms; temos viaturas de transporte que fazem uma media de 8/9 mil kms por mês; diariamente fazemos mais de 200 transportes;

Recorda projectos que nunca foram concretizados?
Um dos principais projectos tem a ver com a ampliação da garagem de parqueamento das viaturas e a substituição do grupo de geradores, de extrema necessidade;
Tendo em conta que no próximo ano vamos celebrar os 145 anos de existência, teria muito gosto que conseguíssemos valorizar e dignificar o monumento de homenagem ao Bombeiro que se encontra no exterior do quartel e que foi conseguido com donativos recolhidos junto da população, há algumas dezenas de anos e que precisa de ser requalificado e valorizado, bem como a zona exterior onde se encontra.
A melhoria e requalificação do parque de estacionamento é uma necessidade, tal como a construção de um campo de formação e treino adequado às necessidades formativas permanentes dos elementos do Corpo de Bombeiros;

No início do ano, foi aprovado o aumento salarial de todos os bombeiros dos Açores. Pairava no ar a questão se o Governo ia comparticipar o aumento dos profissionais e dos voluntários. Qual o ponto de situação?
Sim, Os vencimentos foram, efectivamente e bem, aumentados em 8%, tendo uma parte desse custo sido comparticipado directamente e trimestralmente, pelo orçamento do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores. Espera-se que este ano de 2024, infelizmente perturbado pela instabilidade política e por vários processos eleitorais que vieram condicionar e atrasar, em muito, um trabalho que estava a ser feito, venham a ser aumentados novamente, pois com o aumento do salário mínimo regional, os Bombeiros passam a ter um diferencial de 1 € em relação ao valor base do SMR (862 € sendo que o SMR será de 861 € a partir de 1 de janeiro de 2024), o que não faz sentido absolutamente nenhum;

Em Março iniciaram a campanha “Todos Juntos pelos Bombeiros” em que desafiaram os habitantes de Ponta Delgada e Lagoa a doarem 1 euro para a associação. Como está a correr a campanha?
Confesso que tendo em conta o que foi pedido, isto é, um euro por habitante, um euro por cada membro da família (são cerca de 85.000 habitantes, distribuídos por mais de 34 fogos habitacionais, em Ponta Delgada e Lagoa) esperava outra adesão; por um lado percebe-se que as pessoas vivem momentos conturbados de dificuldades financeiras, mas por outro, verifica-se que não temos uma cultura de apoio aos nossos bombeiros e as nossas forças de segurança, ao contrário do que acontece, por exemplo, na América do Norte; Mas não desistimos e vamos continuar com varias iniciativas, varias campanhas, pois precisamos que a população esteja do lado e ao lado dos seus bombeiros; quer seja apoiando com pequenos donativos, quer seja fazendo-se sócio da Associação.
Temos uma realidade completamente diferente de outras regiões do nosso país. Por exemplo, a nossa Associação não pode concorrer para apoios a fundos comunitários. Qualquer outra Associação sem fins lucrativos pode apresentar candidaturas para aquisição, por exemplo, de viaturas de 9 lugares e conseguem apoio quase a 100%, mas nós não o podemos fazer; não podemos concorrer para Apoios de Orçamentos Participativos, quer de Câmaras Municipais, quer do Governo Regional; Pelo contrário, há associações no continente, em grandes municípios que têm conseguido milhões de euros de equipamentos, ao longo dos anos. Temos uma charanga com 80 elementos e não tem apoios da Direção Regional da Cultura, ao contrário de outros organismos similares (bandas filarmónicas, grupos culturais e recreativos). Substituímos toda a iluminação por LED, tentamos obter apoio há alguns anos, junto da Direção Regional da Energia, sem sucesso. Enfim, a nós, tudo o que conseguimos, é sempre pelo que nos é devido, pelo trabalho e esforço dos Bombeiros e por algum donativo esporádico e residual.

Há alguma outra questão que
gostaria de apontar?
Gostava de pensar que a população de Ponta Delgada e da Lagoa, particulares, empresas, organismos, instituições de diversa natureza, vão intensificar a sua colaboração com os Bombeiros de Ponta Delgada e da Lagoa e que, em conjunto, vamos homenagear os homens e mulheres que fazem parte, no presente, desta Corporação, mas também e sobretudo, honrar e enaltecer a história rica e maravilhosa que nos trouxe até hoje, desde a sua génese ate ao corolário destes 145 anos de história! Apoiem os nossos bombeiros, seja de que maneira e forma for, ou através de um donativo, mesmo que seja um euro, ou fazendo-se sócio se houver essa possibilidade, que são 30 euros por ano, mas pode ser fraccionado o pagamento. Respeitem e acarinhem os nossos Bombeiros.
A titulo institucional, estamos a preparar, de forma empenhada, um conjunto de propostas, para que, junto dos Municípios da Lagoa e de Ponta Delgada, seja possível reconhecer e valorizar os Bombeiros que aqui residem, de forma permanente e aqui pagam os seus impostos e aqui constituíram família, e que gostaríamos de ver aprovadas dentro de um a dois anos, incluindo a formalização de um seguro de saúde.
Finalmente, esta Direção e Comando têm como propósito tudo fazer para criar, da melhor forma possível, caminhos novos de capacitação, de formação, intercâmbio, de realização de todos e de cada um dos nossos Bombeiros, de reconhecer a sua entrega, a sua dedicação, a sua disponibilidade. Um homem ou uma mulher não nascem bombeiros, fazem-se e transformam-se em Bombeiros, por opção, por vocação e fazem da sua vida uma missão de entrega, de, no caso de ser necessário, sendo os primeiros a chegar e os últimos a sair, dar vida por vida! Isto é fantástico ou não é?! Acho que sim! É por isso que cá estamos e cá estaremos enquanto os Bombeiros e os sócios assim o entenderem, numa missão de voluntariado e de serviço à causa dos Bombeiros e da nossa Associação.

Mariana Rovoredo

Edit Template
Notícias Recentes
Finançor e Greenvolt celebram parceria para a instalação de 3.880 painéis solares em superfícies comerciais, hotéis e fábricas
O maior problema de Santo António “é a falta de habitação”, diz o autarca Marco Oliveira
Santa Clara mantém título de Campeão da Segunda Liga
Presidentes da Câmara do Funchal e Ponta Delgada querem polícia municipal formada na PSP
Praia de Monte Verde na Ribeira Grande interdita
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores