Edit Template

Bolieiro pede ao povo açoriano mandatocom “estabilidade política e governativa”

O Presidente José Manuel Bolieiro pediu ao povo açoriano para que dê à Coligação PSD/CDS/PPM um mandato com “estabilidade política e governativa”, de forma a “consolidar as medidas públicas em curso na Região”.
“O que agora humildemente peço é que, a partir de 4 de Fevereiro, o povo nos dê estabilidade política e governativa, para que haja previsibilidade e duração nas políticas públicas e consistência nos seus resultados”, sublinhou.
O líder da Coligação PSD/CDS/PPM discursava sábado à noite num comício no pavilhão da Associação Agrícola de São Miguel em que foram apresentados os cabeças de lista pelas nove ilhas dos Açores.
José Manuel Bolieiro não tem dúvidas de que “a consistência das políticas e a sua duração é que asseguram o sucesso, resultados positivos e consolidados”, disse.
Para tal, “é fundamental termos uma vitória robusta para podermos voltar a colocar os Açores acima das tricas partidárias e politiquices dos outros partidos”, reforçou.
Ciente de que “estávamos num rumo de mudança que estava a melhorar a vida dos açorianos”, acusa o PS por ter interrompido a sua governação que, “com a oposição urdiu uma estratégia de gabinete para rejeitar o melhor Orçamento da legislatura”, realçou o Presidente Bolieiro.
“O Orçamento para 2024, que foi chumbado, previa um valor um investimento de 2000 milhões de euros. Para continuar e reforçar as boas medidas do nosso Governo. Só os interesses partidários e pessoais, que ignoram o interesse dos açorianos, é que justificaram aquele chumbo”, lamentou.
E depois, em plena pré-campanha, o PS, pela voz de Vasco Cordeiro, “para ganhar votos, pretende fazer e dar continuidade ao que o meu Governo realizou em 2021, 2022 e 2023”, mesmo em relação ao Orçamento para 2024, que chumbou, numa tentativa “de enganar os distraídos”.
“Isto é descaramento. É incoerência. Não é normal”, acusou José Manuel Bolieiro, acrescentando: “votou contra, mas agora toma como boas as nossas propostas, que nunca realizou em oito anos de governo, que criticou e chumbou repetidamente”.
Para o líder do PSD/CDS/PPM, “enquanto o Partido Socialista parte para estas eleições com intenção de fazer esquecer o seu passado e currículo de competências, nós queremos lembrar o que fizemos”.
Elencando a implementação das políticas públicas na Região, assume ter “orgulho no que já fizemos e temos motivação para fazer o tanto que ainda queremos fazer pelos Açores. Continuar e prosseguir, inovando e fazendo melhor e diferente é o que interessa ao nosso futuro”.
É factual igualmente que “nos anos de 2021 e de 2022, o crescimento médio anual do Produto Interno Bruto foi de 7,1%, enquanto o do país foi de 6,2%. Isto é, convergimos com o país”, enalteceu.
Outro indicador muito positivo, prende-se com o facto de termos “agora o maior número de pessoas empregadas de sempre – 118 600 pessoas. O desemprego diminuiu”, disse. Medidas estas que abrangeram os Açores, com expressão significativa na ilha de São Miguel: “com o meu Governo, 572 professores passaram ao quadro de efectivos, dos quais mais de 400 em São Miguel”.
Ao nível do apoio social escolar, José Manuel Bolieiro apontou que “passou de 9,4 milhões de euros em 2019 para cerca de 12 milhões em 2023, nos Açores”, metade dos quais foram investidos em São Miguel.
Em 2020, a creche gratuita abrangia 590 crianças na Região, chegando a mais de 4000 em 2023, 3200 das quais em São Miguel, enumerou.
“Nos Açores, foram investidos em 2023, 32,3 milhões de euros. Em São Miguel, somaram 16,7 milhões de euros”, frisou José Manuel Bolieiro.
“Contrataram-se mais 258 profissionais: 85 médicos, 148 enfermeiros e 25 técnicos superiores de diagnóstico”, nos últimos três anos, indicou o Presidente.
“Hoje 93% dos açorianos têm médico de família. Em São Miguel, são abrangidos 97% dos utentes”, recordou.
No sector da atcividade portuária, destacou o investimento em curso de 71 milhões de euros, 40 milhões dos quais alocados no Porto de Ponta Delgada, “incluindo a obra e seu apetrechamento com uma nova grua e um novo rebocador”.
“Em 2023, desembarcaram nos aeroportos dos Açores 2,1 milhões de passageiros, o maior número de sempre. Em São Miguel, foram destes 1,2 milhões de passageiros, mais 12% que em São Miguel”, constatou.
Na sSexta-feira, na Praia da Vitória, José Manuel Bolieiro realçou o espírito de união da Coligação PSD/CDS/PPM, reforçando “o orgulho numa missão que coloca os Açores em primeiro lugar, afinal foi essa a génese do projetco político com que governamos estas ilhas”.
O líder da Coligação PSD/CDS/PPM falava na apresentação da lista de candidatos pelo círculo eleitoral da Terceira às eleições legislativas regionais.
A lista, liderada por António Ventura (PSD), tem como número dois Artur Lima(CDS/PP) e número três Mónica Seidi (PSD).
Artur Lima, líder do CDS-PP/Açores e também candidato da Coligação pela Terceira, sublinhou que “estamos aqui por que o nosso Orçamento foi chumbado”, lamentando que isso “tenha impedido a concretização de várias iniciativas”, mas certo de que “somos a única garantia de continuidade de políticas que tornaram os Açores melhores”.
“Não estamos a fazer promessas, estamos a concretizar. Foi esta a mudança de paradigma desta coligação, para desenvolver os Açores como um todo”, assinalando a diferença “para o Partido Socialista, que nos deixou obras mal feitas, como a do terminal de cargas, que tivemos de inaugurar e um embuste como o PREIT, uma vergonha que os terceirenses não podem perdoar”, afirmou Artur Lima.

Edit Template
Notícias Recentes
Finançor e Greenvolt celebram parceria para a instalação de 3.880 painéis solares em superfícies comerciais, hotéis e fábricas
O maior problema de Santo António “é a falta de habitação”, diz o autarca Marco Oliveira
Santa Clara mantém título de Campeão da Segunda Liga
Presidentes da Câmara do Funchal e Ponta Delgada querem polícia municipal formada na PSP
Praia de Monte Verde na Ribeira Grande interdita
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores