Edit Template

Insolvências de empresas decrescem 50%em Ponta Delgada em 2023 e aumentam9,1% em Angra do Heroísmo

Por tipologia de acções, o ano de 2023 fecha com uma diminuição nas declarações de insolvência requeridas por terceiros (menos 21 empresas, o que traduz um decréscimo de 3,1% face a 2022), enquanto as declarações apresentadas pelas próprias empresas apresentam um ligeiro incremento de mais quatro empresas (+0,6%). Os encerramentos com plano de insolvência também diminuem em três empresas (-6,5%) face a 2022. No total do ano foi declarada a insolvência de 2.286 empresas (encerramento de processos), menos 143 do que em 2022, o que resulta numa diminuição no número total de acções de insolvência (menos 163 que em 2022).

Lisboa e Porto encerram o ano como os distritos que apresentam o valor mais elevado de insolvências: 844 e 859 insolvências, respectivamente. Face a 2022, estes valores traduzem uma diminuição de 18,5% em Lisboa e menos acentuada de 2,1% no Porto.
Os restantes distritos que também fecham o ano com decréscimo nas insolvências são: Ponta Delgada (-50%); Évora (-35%); Castelo Branco (-35%); Bragança (-22%); Santarém (-14%); Guarda (-11%); Setúbal (-11%) e Vila Real (-2,4%).
Com aumentos nas insolvências destacam-se os distritos de: Beja (+41%); Horta (+33%); Madeira (+23%); Leiria (+20%); Braga (+17%); Angra do Heroísmo (+9,1%); Viana do Castelo (+8,8%); Viseu (+7,4%); Coimbra (+6,4%); Portalegre (+5%); Faro (+4,2%) e Aveiro (+3,7%).
Apenas dois sectores de atividade terminam 2023 com aumentos nas insolvências: Transportes (+10%) e Indústria Transformadora (+7,1%).
Com variação negativa destacam-se as áreas de: Eletricidade, Gás, Água (-61%); Telecomunicações (-56%); Indústria Extrativa (-25%); Comércio de Veículos (-24%); Agricultura, Caça e Pesca (-19%); Comércio por Grosso (-15%); Hotelaria e Restauração (-14%); Comércio a Retalho (-8,1%); Outros Serviços (-1,4%9) e Construção e Obras Públicas (-0,8%).

Constituições de empresas
1,8% em Ponta Delgada

As constituições de empresas evoluíram de 47.930 em 2022 para 50.891 em 2023, mais 2.961 novas empresas constituídas. Em termos homólogos estes valores traduzem um crescimento de 6,2% face a 2022.
Em 2023, o número de constituições mais significativo verifica-se em Lisboa, com 17.159 novas empresas (+2,5%), seguida pelo Porto com 8.649 constituições (+8,3%).
Outros distritos que também apresentam acréscimos nas constituições são: Beja (+20%); Viana do Castelo (+16%); Aveiro (+13%); Viseu (+12%); Castelo Branco (+11%); Vila Real (+9,3%); Braga (+8,5%); Faro (+8,2%); Coimbra (+8%); Santarém (+8%); Setúbal (+7,8%); Évora (+6,6%); Leiria (+5,3%); Madeira (+2,4%); Portalegre (+2,4%) e Ponta Delgada (+1,8%).
Com variação negativa surgem quatro distritos: Horta (-23%); Bragança (-5,4%); Angra do Heroísmo (-3,6%) e Guarda (-0,3%).
Os sectores que apresentam variação positiva em 2023 quanto à constituição de novas empresas são: Transportes (+42%); Comércio de Veículos (+16%); Electricidade, Gás, Água (+15%); Hotelaria e Restauração (+11%); Construção e Obras Públicas (+10%); Comércio por Grosso (+4,9%); Agricultura, Caça e Pesca (+1,1%) e Comércio a Retalho (+ 0,7%).
Os sectores que apresentam variação negativa são: Indústria Extractiva (-35%); Telecomunicações (- 33%); Indústria Transformadora (-1,3%) e Outros Serviços (- 0,7%).

Edit Template
Notícias Recentes
FACE A FACE!… com Rui Carvalho e Melo
Francisco Matos: “Há modalidades nos Açores que formam campeões nacionais e que têm pouco apoio institucional na Região…”
Artista plástica Nina Medeiros expõe “Mau Feitio” no Convento de Santo António, na Lagoa
Jovens arquitectos denunciam numa exposição em Lisboa a urgência de proteger a lagoa das Sete Cidades da excessiva fertilização dos solos
Vila Franca do Campo vai ter Núcleo da Cáritas a partir do dia 2 de Março
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores