Edit Template

Associação para a Valorização Económica dos Açores surge com “nova imagem, novo conceito e nova equipa”

O ano de 2024 é sinónimo de mudança para a AVEA – Associação para a Valorização Económica dos Açores que, como core business a promoção do sector de hotelaria, turismo, restauração, produção cultural, produtos endógenos e serviços, surge com “uma nova imagem, um novo conceito e uma nova equipa”.
Na sua dependência estão a Escola de Formação Turística dos Açores (EFTAZORES) e o Restaurante/Lounge Anfiteatro.
Agora, as três organizações apresentam-se com “uma imagem corporativa renovada”.
A nova identidade visual da Associação “assenta numa abordagem moderna e progressiva, espelho de confiança, credibilidade, solidez e profissionalismo, reforçando o seu posicionamento no mercado açoriano”, lê-se num comunicado que a AVEA distribuiu.
A EFTAZORES “aposta numa imagem actual e jovem, que se pretende associada à competência, ao rigor, à excelência e know-how”. A marca do Restaurante/Lounge Anfiteatro “procura reforçar a sua qualidade, autenticidade e experiência, evidenciando uma natureza contemporânea e singular”.
A divulgação oficial das “renovadas identidades visuais e da nova carta Anfiteatro” será feita no dia 26 de Janeiro, pelas 19H30, com a realização de um cocktail, ocasião que “promete ser uma festa de sabores e amizade”.
O Restaurante/Lounge Anfiteatro reabrirá ao público no dia 27 de Janeiro, apresentando um novo conceito baseado “na sustentabilidade, autenticidade, frescura, tradição e contemporaneidade”.
A nova carta do restaurante “ajusta-se à actualidade, assumindo como desafio o desperdício zero, onde tudo de transforma e nada se perde. A filosofia da ementa baseia-se na sofisticação da simplicidade, com recurso aos excelentes produtos locais e menos usuais, para confeccionar, com a criatividade que nos é característica, comida conforto que irá surpreender todos os que nos visitarem”.
Das entradas às sobremesas todas as propostas são home made, “garante da qualidade superior que se pretende oferecer, numa carta dinâmica que promete satisfazer os apetites mais exigentes, adequada à estação, mediante as mais frescas matérias-primas disponíveis no mercado”.
Para concretizar este novo projecto, a Associação para a Valorização Económica dos Açores conta com “uma nova e reforçada equipa”, liderada pelo chef Paulo Freitas, apoiado pelo chef Rui Medeiros na qualidade de chef consultor, e no serviço de sala pela experiente Chefe

Chef Paulo Freitas
Nascido em Moçambique, com apenas um ano de idade a família muda-se definitivamente para os Açores, considerando-se por isso um açoriano de gema. A sua ligação à cozinha acontece desde tenra idade, fazendo desta o seu laboratório onde dava asas à imaginação, procurando experimentar e replicar as receitas da mãe cabo-verdiana, cujos aromas e paladares o deixavam extasiado. Daí em diante, não houve volta a dar, o seu futuro estava traçado, tendo percebido durante a sua formação que a adrenalina que se vive na cozinha era do Restaurante/Lounge o combustível que lhe dava gás para criar sabores, texturas e, acima de tudo, sentir-se permanentemente desafiado. Enquanto formando foi Vice-campeão do Azores Skills, em 2004, na área de cozinha.
Quando terminou o curso, de imediato rumou a Lisboa, para ganhar experiência e trabalhar com alguns nomes que ainda hoje lhe servem de referência, como o chef Alexandre Silva (Restaurante Loco – 1* Michelin) e o Chef Tiago Bonito (Casa da Calçada – 1* Michelin), que considera os seus mentores, revendo-se na sua forma de estar na cozinha e na filosofia de regresso às origens.
A nível internacional, identifica-se com o chef Marco Pierre White, para muitos considerado “o pai da cozinha moderna”. O regresso aos Açores acontece, em 2009, para trabalhar no Grupo Açorsonho, empresa detentora de dois hotéis de 5 estrelas, onde permaneceu durante 14 anos, atingido o topo da carreira como chefe executivo e tendo um dos restaurantes, em 2019, sob a sua liderança, sido distinguido com o prémio World Luxury Hotel Restaurant. Durante nove anos, foi também formador da Escola Profissional das Capelas.
O cChef Paulo Freitas assume agora a liderança do Restaurante Anfiteatro onde, sem dúvida, irá, com toda a sua experiência, surpreender com uma proposta que procurará elevar os sabores da cozinha açoriana a um patamar que não conhece fronteiras e tendo apenas como limite e ingrediente principal o mundo global da gastronomia.

Chef Rui Medeiros
Natural de Vila Franca do Campo, o chef Rui Medeiros fez a sua formação na Escola de Formação Turística dos Açores, curso que terminou em 2008. O seu percurso profissional inicia-se com um estágio profissional, período após o qual assumiu a chefia da cozinha de um restaurante em S. Jorge, ilha onde também formador da escola profissional aí existente.
Em 2010, foi para a Córsega, onde foi sócio-gerente de um restaurante/discoteca, durante quase três anos. De regresso às origens, trabalhou como consultor e, actualmente, exerce funções de formador em duas escolas profissionais, uma das quais a Escola de Formação Turística dos Açores, “podendo-se, neste caso, dizer que o bom filho à casa torna”.

Patrícia Sousa
Patrícia Sousa iniciou a sua carreira na área de restaurante/bar em 2002. Em 2007, com vista à evolução e progressão profissional, frequentou o curso de empregada de mesa da Escola de Formação Turística dos Açores, qualificação que complementou com diversas formações em enologia com vários especialistas, dos quais se destacam Carlos Magalhães, Joana Maçanita, Manuel Moreira e Rodolfo Tristão, entre outros.
Sob o seu olhar “atento e perspicaz, o serviço de sala do Restaurante Anfiteatro está muito bem entregue. Profissional, sóbria e atenciosa é com brio e zelo que passa a comandar a equipa de sala do Anfiteatro, procurando atender e antecipar todas as necessidades dos clientes, sendo a anfitriã perfeita para receber quem nos visita, com simpatia e competência.”

Edit Template
Notícias Recentes
FACE A FACE!… com Rui Carvalho e Melo
Francisco Matos: “Há modalidades nos Açores que formam campeões nacionais e que têm pouco apoio institucional na Região…”
Artista plástica Nina Medeiros expõe “Mau Feitio” no Convento de Santo António, na Lagoa
Jovens arquitectos denunciam numa exposição em Lisboa a urgência de proteger a lagoa das Sete Cidades da excessiva fertilização dos solos
Vila Franca do Campo vai ter Núcleo da Cáritas a partir do dia 2 de Março
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores