Edit Template

Vila Franca do Campo leva a cerâmica açoriana ao 1.º Congresso Nacional e Mostra de Cidades e Vilas de Cerâmica, em Aveiro

Vila Franca do Campo esteve entre os 29 municípios portugueses que participaram no 1.º Congresso Nacional e Mostra de Cidades e Vilas de Cerâmica, um evento que permite aos concelhos com grande expressão na cerâmica divulgar e reforçar a sua identidade cultural. O evento decorreu Centro de Congressos de Aveiro, a 19 e 20 de Janeiro, e foi promovido pela Associação Portuguesa de Cidades e Vilas de Cerâmicas (APTCVC), da qual Vila Franca do Campo faz parte desde Novembro de 2023.
O município vilafranquense teve agora oportunidade de levar ao continente português, numa mostra expositiva, peças tradicionais produzidas em Vila Franca do Campo e de realizar uma apresentação sobre o que a olaria significa para o município.
A Vice-presidente e vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, Graça Melo explica que esta participação permitiu ao concelho “divulgar e dar a conhecer de que forma a olaria é parte da nossa identidade cultural e patrimonial. Por enquanto, somos o único município da Região Autónoma dos Açores a integrar a AptCVC. Fomos desfiados a apresentar o nosso “ADN” cerâmico e o que se faz actualmente em Vila Franca do Campo nesta actividade.”
A vereadora conta que a Câmara “teve a oportunidade de fazer uma apresentação sobre o que a olaria representa para o município, e de exibir um vídeo que retrata as nossas melhores paisagens e o que fazemos nesta actividade actualmente.”
Os municípios tiveram ainda oportunidade de mostrar os seus trabalhos em cerâmica numa mostra. “Participámos na Mostra expositiva com peças tradicionais da autoria de Oleiros do século XX e com peças tradicionais produzidas na nossa Olaria Museu, um dos espaços do Roteiro das Olarias. O feedback foi positivo, fomos abordados para respondermos a algumas questões relacionadas com a técnica da roda, a matéria-prima utilizada, a origem das tipologias representadas, os processos de cozedura, entre outras. Na Mostra estavam presentes ceramistas, artesãs, oleiros e oleiras que tiveram possibilidade de se envolver numa troca e partilha de ideias, técnicas e experiências. As miniaturas das peças tradicionais da vila foram muito apreciadas,” revela a vice-presidente.
Graça Melo ressalta que “as olarias foram uma actividade com grande impacto económico e social na vila. Nos últimos anos, a Câmara Municipal de Vila Franca do Campo apostou na recuperação e preservação dos últimos espaços desta actividade em parceria com a Junta de Freguesia de São Pedro, fazendo um Roteiro das Olarias. Actualmente, o roteiro além de funcionar como atração turística, tem um espaço que acolhe actividades socioeducativas e artísticas, e mantém a produção de peças tradicionais activa.”
A participação neste evento permitiu também ao município vilafranquense conhecer a realidade e o trabalho desenvolvido na cerâmica de outros concelhos, “e estabelecer novas sinergias, refletindo como podemos crescer e melhorar este nosso serviço,” acrescenta.
Os dois dias de congresso foram preenchidos com debates, menciona a vereadora da Cultura: “No primeiro dia debateu-se quem é quem no ‘Portugal Cerâmico’ e na ‘Europa Cerâmica’, uma experiência muito enriquecedora que nos permitiu conhecer de forma mais abrangente os centros produtores de cerâmica, quer na história, quer na actualidade. No segundo dia, as várias conferências abordaram os desafios da tradição e da inovação criativa na cerâmica, bem como a implementação de novas tecnologias em processos artísticos. De certa forma, a cerâmica tradicional e as inovações ou desafios da sustentabilidade estiveram presentes na ordem de trabalhos.”
Segundo a Vice-presidente da Câmara de Vila Franca do Campo, a segunda edição do Congresso Nacional da AptCVC vai acontecer em 2026, em Barcelos, sendo que o município açoriano terá “todo o gosto em participar. Estas oportunidades são sempre importantes, não só como promoção do nosso município, mas também como trocas de experiência e de maximização dos nossos recursos,” considera.
A Associação Portuguesa de Cidades e Vilas de Cerâmica (APTCVC) foi fundada em 2018 por 14 municípios e tem como objectivos a defesa, a valorização e a divulgação do património cultural e histórico cerâmico, bem como o intercâmbio de experiências entre os associados, nomeadamente a nível da conservação do património, o estabelecimento de parcerias entre cidades e vilas com vínculos tradicionais à cerâmica, seja do tipo produtivo, cultural ou de qualquer outro âmbito.

Programação de Vila Franca do Campo na cerâmica para 2024

As actividades do município relacionadas com a olaria são dinamizadas e geridas através do Museu Municipal de Vila Franca do Campo. Ao longo de todo o ano está disponível o Roteiro das Olarias, sendo que é aconselhado o agendamento prévio. “. Está disponível um programa de Olaria Aberta que artistas, ceramistas e oleiros/as podem frequentar na Olaria Museu, todas as semanas. Estão ainda disponíveis visitas socioeducativas para grupos, escolas e outras instituições, mediante agendamento,” lembra a Vice-presidente. “Teremos também várias actividades temáticas de oficina cerâmica, na Páscoa, no Verão e no Natal, bem como no Dia Internacional do Azulejo e no Bom dia Cerâmica. Apesar de divulgarmos estas actividades nas nossas redes sociais, para mais informações sobre as nossas actividades, podem contactar-nos através do Museu Municipal de Vila Franca do Campo.”
Mariana Rovoredo

Edit Template
Notícias Recentes
FACE A FACE!… com Rui Carvalho e Melo
Francisco Matos: “Há modalidades nos Açores que formam campeões nacionais e que têm pouco apoio institucional na Região…”
Artista plástica Nina Medeiros expõe “Mau Feitio” no Convento de Santo António, na Lagoa
Jovens arquitectos denunciam numa exposição em Lisboa a urgência de proteger a lagoa das Sete Cidades da excessiva fertilização dos solos
Vila Franca do Campo vai ter Núcleo da Cáritas a partir do dia 2 de Março
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores