Edit Template

ESA admite voo inaugural do Space Rider nos Açores

A ESA deverá decidir durante o segundo trimestre de 2024 o local de aterragem dos primeiros voos do Space Rider e Santa Maria continua a ser uma das melhores possibilidades, mesmo para o voo inaugural. “Estou aqui para insistir nisso. Santa Maria é uma boa opção”, afirma o Director de Programas de Voo da ESA, prometendo tomar uma decisão rapidamente.

Uma delegação da Agência Espacial Europeia (ESA) visitou a ilha de Santa Maria, Açores, no âmbito do processo de decisão do local de aterragem do Space Rider, o futuro veículo orbital reutilizável não tripulado da ESA, que está actualmente em fase de testes e validação.
“Estou aqui basicamente porque Santa Maria é, desde o início, uma das opções para a aterragem do Space Rider. Porquê Santa Maria? Porque o local é fantástico em termos de operações espaciais e já tem infraestruturas que podem ser adaptadas. Precisará de poucas melhorias para permitir esta aterragem, sendo o Space Rider o primeiro veículo europeu reutilizável capaz de aterrar”, afirma Stefano Bianchi.
O Presidente da Agência Espacial Portuguesa, Ricardo Conde, congratula-se com o apoio recebido da ESA e garante que a agência nacional tomará “todas as medidas necessárias para garantir que a ilha de Santa Maria estará preparada para receber o voo inaugural do Space Rider, se essa for a intenção da ESA”. “Existem alguns condicionamentos que exigem a análise dos planos orbitais e que também dependem dos planos do Vega, mas teremos tempo para nos preparar”, afirma.
O Space Rider está actualmente em fase de testes e validação, estimando-se que o voo inaugural aconteça no terceiro trimestre de 2025. Este veículo pretende fornecer um sistema de transporte espacial integrado de acesso e retorno do espaço para clientes comerciais. Uma vez lançado, o Space Rider permanecerá em órbita durante dois meses, permitindo aos clientes que efectuem experiências e testes tecnológicos.
Para apoiar as futuras actividades do Space Rider, Portugal está já a desenvolver os trabalhos necessários para a implementação do Centro Tecnológico Espacial de Santa Maria.
“Estamos a falar de um centro de integração de capacidades que vai servir de apoio para as actividades de investigação e experiências científicas desenvolvidas no Space Rider”, esclarece Ricardo Conde, sublinhando que está já decidido que uma experiência do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), da Universidade de Coimbra irá a bordo do voo inaugural do Space Rider.
A recente publicação do Decreto-Lei n.º 20/2024, de 3 de fevereiro, que revê a chamada Lei do Espaço, virá simplificar e potenciar a implementação do Centro Tecnológico Espacial de Santa Maria e a realização de actividades científicas em Santa Maria. O referido Decreto-Lei define o conceito de actividades experimentais, clarificando que actividades podem ser abrangidas por um regime especial de licenciamento e de dispensa ou redução do valor do seguro: “qualquer actividade espacial que se destine primariamente à investigação, criação, desenvolvimento, teste ou validação de novos conceitos, produtos, serviços, tecnologias ou processos, ainda que possa ter, simultaneamente, fins comerciais.”

Edit Template
Notícias Recentes
Cuidar do nosso património
Flagelo da toxicodependência, falta de habitação e o agravamento da pobreza são as maiores dificuldades que afligem as famílias da Ribeira Seca
Presidente da Assembleia destaca importância do Museu do Parlamento no 1º aniversário
Bombeiros de Ponta Delgada vão transportar Coroado Município na Grande Coroação deste Domingo
“Um dos objectivos que distingue a RARA é a tentativa de afirmação do artesanato como uma profissão de futuro”
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores