Edit Template

Executados 12,8 ME e pagos 5,8 ME dos incentivos já aprovados no programa Solenerge para aquisição e instalação de painéis solares no arquipélago

O último relatório mensal do Solenerge, programa no âmbito do PRR , que “isa a atribuição de incentivos financeiros para a aquisição de sistemas solares fotovoltaicos a instalar nos Açores, revela que até 31 de Janeiro foram submetidas 4.617 intenções de investimento e que foram pagos 5.804.078,63 € de um total de 12.573.087,06 € dos incentivos aprovados.

Até ao último dia do mês de Janeiro, tinham sido submetidas, junto da Direcção Regional da Energia, no âmbito do Solenerge, um total de 4.617 intenções de investimento. De acordo com o relatório mensal de acompanhamento deste programa de incentivos, que se destina à aquisição e instalação de sistemas solares fotovoltaicos, este valor representa “um incentivo aprovado de 12.573.087,06 €, representando uma potência aprovada de 9 248,32 kW.”
O documento, que pode ser consultado na página da Direcção Regional de Energia, ainda a este propósito, refere que “616 candidaturas já foram pagas, representando um montante de incentivo atribuído de 5.804.078,63 € e uma potência instalada de 4198,15 kW.”
Este sistema de incentivos para a aquisição de sistemas solares fotovoltaicos em edifícios localizados na Região Autónoma dos Açores é financiado por verbas provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), sendo que o Solenerge atribui 100% das despesas elegíveis na aquisição e instalação de sistemas solares fotovoltaicos até ao máximo de 1.500,00€ por cada kW instalado.
No que diz respeito “ao alcance dos marcos para cumprimento da meta proposta de 11,2 kW instalados em sistemas solares fotovoltaicos até ao final 2025”, o relatório de acompanhamento referente a Janeiro realça que “o primeiro marco foi superado, com uma potência instalada de cerca de 3,7 MW, à data de 30 de Novembro de 2023. A meta para 31 de Dezembro de 2024 é a instalação de mais 6,7 MW.”
Segundo o mesmo documento, é possível constatar que a maioria do valor total dos incentivos aprovados (12 573 087,06 €) diz respeito a pessoas singulares (7 245 650,66 €)
Já as pessoas colectivas representam 5 090 849,42 € enquanto as instituições da economia solidária registam apenas 236 586,98 € dos incentivos já aprovados até ao último dia do mês de Janeiro.
O Solenerge tem prevista uma verba de 19 milhões de euros até 2025 e, de acordo com o último relatório publicado, os incentivos já aprovados representam 66% do valor total destinado a este incentivo financeiro para a aquisição e instalação de sistemas solares fotovoltaicos.

Dados por ilha

Por ilha, a grande maioria dos incentivos já aprovados encontra-se em São Miguel com um valor de aproximadamente 8.8 milhões de euros. Segue-se-lhe a ilha do Faial, com 1.3 milhões de euros, e a Terceira, onde os incentivos aprovados são na ordem dos 1.2 milhões de euros. Nas restantes ilhas do Grupo Central dos Açores, foram aprovados, em São Jorge, incentivos de cerca de 418 mil euros, de aproximadamente 445 mil euros no Pico e 17 mil euros na Graciosa. Finalmente, em Santa Maria e nas Flores, os incentivos já aprovados eram de 281 mil euros e 12,6 mil euros, respectivamente. O Corvo é a única ilha do arquipélago sem qualquer incentivo aprovado ou intenção de investimento até ao final do mês passado.
Quanto aos incentivos já pagos, São Miguel detém o maior valor, com um montante de 3.901.278,11 €, seguido pelo Faial que acumulou 610.226,01 €, e a Terceira, com incentivos pagos na ordem dos 855.532,34 €. São Jorge, Pico e Graciosa somam 274.200,48 €, 100.675,88 € e 6.682,50 €, respectivamente. As ilhas de Santa Maria e das Flores registam 50.285,81 € e 5.197,50 € em incentivos já pagos, e o Corvo mantém-se como a única ilha sem qualquer incentivo pago.
Relativamente às intenções de investimento, o número mais elevado concentra-se na maior e mais populosa ilha do arquipélago dos Açores. No final do mês em análise, registavam-se 2607 intenções de investimento em São Miguel e, ainda no Grupo Oriental, Santa Maria registava 110 intenções de investimento.
Por sua vez, na Terceira, o número destas intenções fixava-se em 748. No Faial, eram 500 as famílias, empresas ou instituições da economia social e solidária, que tinham demonstrado intenção de investir. Nas restantes ilhas do Grupo Central, as intenções de investimento no Pico e em São Jorge eram 282 e 270, respectivamente, enquanto na ilha Graciosa de apenas 65. A ilha dos Açores onde se registava a menor intenção de investir era, no final de Janeiro, a das Flores (35).
Ainda por ilha, o relatório publicado pela Direcção Regional da Energia revela a potência em Kw já aprovada. Assim, em Santa Maria já tinham sido aprovados 217,61 kW; em São Miguel 6 548,34 Kw; na Terceira 956,64 kW; na Graciosa 11,22 kW; em São Jorge 280,64 kW; no Pico 314,43 kW, no Faial 910,98 kW e nas Flores 8,47 kW. O Corvo não tinha qualquer potência aprovada no final do passado mês de Janeiro.
No que diz respeito à potência em Kw instalada, em Santa Maria já tinham sido instalados 37,72 kW; em São Miguel 2.888,45 kW; na Terceira 548,08 kW; na Graciosa 4,455 kW; em São Jorge 185,32 kW; no Pico 70,28 kW, no Faial 424,375 kW e nas Flores 3,465 kW. O Corvo não tinha qualquer potência aprovada no final do mês passado.

Carlota Pimentel 
Edit Template
Notícias Recentes
Deputada municipal da Povoação quer a freguesia das Furnas sem carros e uma gestão adequada do espaço da lagoa e dos cozidos das caldeiras
Marcelo e Luís Montenegro destacam a excelência da agricultura açoriana no panorama nacional
Confusão com disponibilidade de caixas para o peixe levou intermediários a só comprar peixe a partir das 13 horas
Governo estrutura Parque Marinho dos Açores e delimita as Áreas Marinhas Protegidas Oceânicas e interdita 30% do mar a actividades extractivas
Câmara Municipal de Ponta Delgada promove as XXI Grandes Festas do Divino Espírito Santo de 11 a 14 de Julho
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores