Edit Template

Juros Compostos

Na crónica de hoje, vamos falar daquela que é considerada por muitos a “magia das finanças pessoais”. Esta ferramenta mágica, costuma gerar dificuldade na compreensão do seu funcionamento, mas é, de facto muito simples. Proponho-me, por isso, explicar, de forma fácil, do que se trata e qual o seu verdadeiro poder na multiplicação dos teus investimentos.
Se eu te dissesse que os teus 10 000€ de hoje podem vir a valer 108 347€ daqui a 25 anos e 452 593€ em 40 anos, acreditavas? Mas é mesmo verdade! É esta a magia que tanto se fala.
Em termos simples, os juros compostos referem-se ao cálculo de juros não apenas sobre o capital inicial, mas também sobre os juros acumulados. Este processo gera um efeito multiplicador ao longo do tempo, transformando pequenas quantias em montantes substanciais. Se aproveitado de forma eficaz, este fenómeno pode trabalhar a teu favor.
Imagine que investes os tais 10 000€ hoje. Nos juros simples, os ganhos seriam calculados apenas sobre o montante inicial. Ou seja, supondo que a tua rentabilidade alcançada foi de 10% naquele ano, no final do ano obterias um lucro de 1 000€, e no ano seguinte, se a rentabilidade se mantivesse, o valor de lucro seria os mesmos 1 000€. Se mantivéssemos esta estratégia por 25 anos, assumindo sempre a mesma rentabilidade, ao final deste tempo, o teu capital inicial transformar-se-ia em 35 000€ e, 40 anos depois, em 50 000€. Isto é muito diferente daqueles valores que te apresentei no início, embora a percentagem assumida tenha sido a mesma.
Este fenómeno acontece porque nos juros compostos, os ganhos são incorporados ao capital (é o que se chama de recapitalização), permitindo que os juros se acumulem sobre o novo total. No longo prazo, isto resulta numa curva de crescimento exponencial, onde os ganhos começam a acelerar à medida que o tempo avança. Este crescimento é ainda maior se, em vez de investires o teu dinheiro uma única vez, fizeres depósitos recorrentes (mensais, por exemplo) nos teus investimentos. Tomemos como exemplo a primeira situação acima apresentada. Se, para além dos 10 000€ investidos num produto que garante os juros compostos, fizesses depósitos recorrentes de 100€ mensais, ao fim dos mesmos 25 anos, em vez de 108 347€, terias 238 165€, que é mais do dobro. E o mesmo acontece para esta simulação a 40 anos onde, em vez de 452 593€, terias 1 036 815€. É uma grande diferença! Num ficarias milionário, no outro não. E estamos a falar só de 100€ mês, imagina se conseguisses investir mais?
O fator chave para fazer uso desta magia não é a quantidade de dinheiro que investes, mas sim o tempo. Só quando investes no longo prazo é que que podes tirar partido do poder dos juros compostos. Para te provar isso mesmo, quero que imagines as seguintes situações fictícias:

1) O João começou a investir aos 20 anos num ETF que replica o índice S&P500, que tem dado em média cerca de 10% ao ano, nos últimos 50 anos. Vamos supor que esta rentabilidade média se mantem e que o capital inicial do João foi de 20 000€, com depósitos mensais de 100€. Ao final de 25 anos, quando ele tivesse 45 anos, o João teria 346 512€, e se ele mantivesse a sua estratégia por mais 15 anos, quando ele tivesse 60 anos de idade, o seu capital seria de 1 489 407€.
2) Agora temos o Pedro que só se apercebeu desta necessidade de investir mais tarde aos 40 anos, mas que, para compensar o tempo perdido, para além de investir 40 000€, decidiu também fazer depósitos recorrentes de 200€. Ou seja, duplicou, tanto investimento inicial, como o os depósitos recorrentes. Ao fim de 20 anos, quando ele já tivesse os mesmos 60 anos que o João, ele só teria 358 915€. Muito diferente, não?

Noto que, para facilitar a explicação, estou sempre a considerar que o cálculo dos juros e respetivo vencimento é feito ao ano, não ao mês ou ao dia.
Dito isso, claro que para podermos fazer todos esses cálculos, tivemos de considerar toda uma série de variáveis como se fossem constantes. Vai sempre haver um mês que não vais conseguir poupar 100€ para depositar e talvez noutros vais conseguir fazer depósitos maiores. Para além disso pode haver meses que não garantas os 10% de rendimento. Mas uma coisa é certa, esta magia existe e é real, no entanto, ela só assiste a quer for disciplinado o suficiente durante um período longo no tempo.

Emanuel Teves

Edit Template
Notícias Recentes
Plano de Saúde2030 aprovado pelo Governo “garante igualdade nos resultados da saúde”
Vilafranquense regressa às Festas de São João da Vila e forma a Marcha do Emigrante com representantes dos Estados Unidos, Canadá, Bermuda e Inglaterra
Novo hotel Hilton é de “vital importância para o desenvolvimento da notoriedade internacional dos Açores”, afirma Duarte Freitas
Azeite e papo-seco foram os produtos que mais aumentaram de preço nos Açores entre Junho de 2023 e Maio de 2024
“O ioga é uma jornada profunda de auto-conhecimento”, afirma a instrutora Carolina Lino
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores