Edit Template

Mais de três mil visitantes na Exposição de Camélias nas Furnas

Declarações do vereador da Câmara da Povoação, Rui Melo

Correio dos Açores – Qual é o balanço que faz da 20.ª edição da Exposição de Camélias nas Furnas?
Rui Melo (Vereador da Câmara Municipal da Povoação) – Este ano e comparativamente com anos anteriores foi um ano muito positivo. Não somente pela afluência de pessoas, nós estimamos que tivemos por volta de 3 mil de visitantes pagantes. Relativamente ao feedback que conseguimos ter dos produtores locais e dos artesãos, as vendas correram muito bem. Tivemos muitas variedade apresentava na exposição. O cenário recolheu alguns pareceres bastante positivos das pessoas que nos visitaram. Foram dois dias bastante positivos para as Furnas, houve muito movimento.

Na última entrevista, avançou que ia estar mais de 200 variedades de camélias…
Nós não fizemos concursos de camélias. Nós conseguimos ter mais de 200 variedades, não sei o número exacto, porque a exposição das camélias ocorre conforme a colheita que se vai fazendo no Parque Terra Nostra nesses dias. A informação que nós temos do responsável pela exposição, Fernando Costa, teve mais de 200 diversidades. As camélias mais raras, ou seja, aquelas menos comuns nos jardins da ilha, que são mais pequenas e tem cores mais raras, foram as mais procuradas pelas pessoas, especialmente pelos grandes apreciadores. Este número está relacionado com a época do ano. O Parque Terra Nostra tem mais de 800 variedades, nem todas estão a florir na mesma altura.

Os estabelecimentos locais associaram-se novamente ao evento?
Sim, é uma tradição. Deixo um agradecimento ao comércio local que se associa. O facto de termos tido, nesses dois dias, nas Furnas, condições meteorológicas magníficas, com sol radiante, também ajudou para levar as pessoas à exposição, passarem o dia na freguesia e usufruírem o comércio local. O sector da restauração associa-se sempre, com alguns deles a ter ranchos com camélias na entrada dos estabelecimentos. É bastante incentivador para continuarmos com o evento, porque promove a freguesia e ajuda o comércio local.

A freguesia e a ilha viveram o evento? Qual foi a reacção dos residentes? E dos turistas?
Os residentes orgulham-se com um evento com estas características na freguesia. A camélia é uma flor emblemática desta freguesia, está relacionada com a tradição e a utilidade de outrora que tem para os residentes. Esta é uma época baixa para as Furnas, apesar de ser uma das freguesias mais visitas dos Açores durante o Verão e o ano, mas mesmo assim conseguimos ter vários visitantes na freguesia. Os furneses sentem-se orgulhosos e estão contentes por ver tantas pessoas na freguesia. Em relação aos turistas, a autarquia tem uma parceria com o Parque Terra Nostra, que o próprio, por ter diversas camélias, se associou e promoveu iniciativas no âmbito privado, ou seja, foram organizadas algumas visitas, alguns workshops e um programa do Hotel Terra à volta da temática de Camélias. Tivemos a oportunidade de receber um grupo de pessoas pertencentes à Associação Internacional de Camélias, que veio visitar as Furnas nesse âmbito também. O feedback foi, de facto, muito impressionante. Uma das coisas que os entusiastas pelas camélias adoraram e disseram que se distingue das outras demais no país e algumas do estrangeiro é o cenário recriado na exposição. Este ano, tivemos a oportunidade de recriar o fontanário existente no Parque Terra Nostra. É um grande atractivo. Aliás, milhares de pessoas tiraram fotografias ao cenário recriado.

  Várias manifestações desportivas 

e culturais
O vereador da Educação e Cultura da Câmara Municipal da Povoação afirmou que há brevemente dois grande eventos no concelho: o Povoação Trail, que vai contar com mais de 600 participantes que vão percorrer alguns dos trilhos do concelho, em parceria com o HL Runners Club, no dia 9 de Março; e a 30.ª edição da Gala Regional dos Pequenos Cantores Caravela D’Ouro, sendo que já conta com 13 interpretes, com idades compreendidas entre os 5 e os 10 anos, de diversos concelhos da ilha, em colaboração com o Coro e a Orquestra Ligeira da Câmara Municipal da Povoação.

Filipe Torres
Edit Template
Notícias Recentes
“É urgente a necessidade de reduzir o número de utentes por Médico de Família”, diz Maria Teresa Albergaria
Jaime Oliveira foi um dos cinco açorianos que ao lado de Salgueiro Maia desceram de Santarém a Lisboa no dia 25 de Abril de 1974: “Tive medo…”
“Temos muita fé no Divino Espírito Santo”, afirmamos mordomos dos Remédios da Bretanha
Câmara de Ponta Delgada estuda solução para o trânsito na Alameda de Santa Teresa
19 medalhas de ouro, 19 de prata e 18 de bronze no Campeonato Regional das Profissões
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores