Edit Template

Vasco Cordeiro diz que o PSé o partido que “melhores garantias dá em respeitar a nossa Autonomia”

Vasco Cordeiro afirma que é o Partido Socialista que “dá melhores garantias de respeitar a nossa Autonomia” e “construir um Portugal inteiro”.
O Presidente do PS/Açores falava num jantar-comício em Ponta Delgada, perante centenas de apoiantes da candidatura do Partido Socialista às eleições legislativas nacionais do próximo dia 10 de Março. A lista do PS/Açores a estas eleições é liderada por Francisco César e conta com Sérgio Ávila, Isabel Almeida Rodrigues, Tiago Branco e Vanessa Goulart.
Na sessão, em que intervieram também Pedro Nuno Santos e Francisco César, e que contou com a presença do Presidente do PS, Carlos César, Vasco Cordeiro realçou o “empenho” dos candidatos do PS/Açores à Assembleia da República neste “combate pelo nosso país, pela nossa Região e pela nossa Autonomia”, salientando a “importância dos Açores no nosso país e a importância da nossa Autonomia na construção de um futuro melhor”.
Para o Presidente do PS/Açores, as eleições do próximo dia 10 de março “têm tanto a ver com o nosso país, como têm importância para a nossa Região”, sublinhando que “aquilo que está em causa neste combate eleitoral é a defesa e a afirmação de uma determinada visão daquilo que deve ser Portugal”.
Vasco Cordeiro realçou a “visão e a ambição” do candidato do PS a Primeiro-Ministro, Pedro Nuno Santos, que defende um “Portugal inteiro”.
“Nesta expressão há tanto e tanto significado que se encerra. Não apenas um Portugal inteiro naquilo que tem a ver com a dimensão territorial, do interior, do litoral, do mundo rural, do mundo urbano, do continente e das Regiões autónomas. Mas também um Portugal inteiro naquilo que tem a ver com uma determinada visão da nossa sociedade. Um Portugal inteiro que não recusa, que não rejeita, que não destrata aqueles que, de entre nós, de entre a nossa sociedade, necessitam de apoio, necessitam de ajuda”, frisou. Vasco Cordeiro sublinhou que, no próximo dia 10 de Março, há “duas visões que estão em confronto” acerca daquilo que deve ser o país e a Região.
“É com o Partido Socialista que se cria e se cumpre um dos pilares fundamentais da nossa Autonomia que é a Lei de Finanças das Regiões Autónomas”, lembrando que Luís Montenegro, que estava na Assembleia da República como líder parlamentar de Pedro Passos Coelho, cujo Governo “suspendeu a Lei de Finanças das Regiões Autónomas” e “fez com que os impostos fossem mais altos, aqui nos Açores”. O Presidente do PS/A recordou,que foi o Governo da República de Passos Coelho, com o apoio de Luís Montenegro na Assembleia da República, que “cortou o financiamento à Universidade dos Açores”, uma injustiça corrigida pelos Governos da República do Partido Socialista, que aumentaram o financiamento à Universidade dos Açores.
Vasco Cordeiro abordou ainda a questão do estabelecimento prisional de Ponta Delgada, “uma chaga que se arrastou durante décadas”, salientando que quem “pôs fim e iniciou o processo de resolução desta chaga foi o Governo do Partido Socialista, onde estava Pedro Nuno Santos, o futuro Primeiro-Ministro de Portugal”.
“Por tudo isso, no próximo dia 10 de Março, é importante votar no PS, ajudar a construir um Portugal inteiro na Assembleia da República e no Governo da República, com o Governo do Partido Socialista, porque é esse o partido que melhores garantias dá de respeitar e engrandecer a nossa Autonomia”, finalizou o Presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro.
No mesmo jantar-comício, Francisco César, candidato do PS/A à Assembleia da República, admitiu haver ambição de fazer “mais e melhor” em áreas com impacto direto na vida dos açorianos, dando especial ênfase a propostas socialistas como a extensão do IRS Jovem a todos, o aumento da abrangência do Complemento Solidário para Idosos, as novas metas de aumento do salário mínimo e médio e apoio às rendas e compra de casas, só para mencionar algumas.”

Edit Template
Notícias Recentes
“É urgente a necessidade de reduzir o número de utentes por Médico de Família”, diz Maria Teresa Albergaria
Jaime Oliveira foi um dos cinco açorianos que ao lado de Salgueiro Maia desceram de Santarém a Lisboa no dia 25 de Abril de 1974: “Tive medo…”
“Temos muita fé no Divino Espírito Santo”, afirmamos mordomos dos Remédios da Bretanha
Câmara de Ponta Delgada estuda solução para o trânsito na Alameda de Santa Teresa
19 medalhas de ouro, 19 de prata e 18 de bronze no Campeonato Regional das Profissões
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores