Edit Template

Livro “Sempre a Cantar – 30 anos da Tuna Académica da Universidade dos Açores” vai ser apresentadoem Bragança a 2 de Março

O livro “Sempre a Cantar – 30 anos da Tuna Académica da Universidade dos Açores”, lançado em Dezembro de 2023 em Ponta Delgada, será apresentado no dia 2 de Março, pelas 18h45, no Instituto Politécnico de Bragança.
O livro da autoria de Rui Fagundes Silva e Linda Luz perpetua o percurso da TAUA, reunindo informação documental e registos sobre a tuna ao longo dos seus 30 anos. Em 240 páginas com cerca de 350 registos fotográficos, são abordados os temas da fundação e dos primeiros anos da TAUA, a organização de espectáculos musicais, as actuações e digressões, as produções e a criação musical, as participações em festivais e a sua organização interna. Neste livro são ainda apresentados testemunhos de antigos e actuais membros da TAUA, de antigos reitores da Universidade dos Açores, tunas e de algumas personalidades com relevância no percurso da TAUA.
A TAUA foi fundada a 6 de Dezembro de 1993 e conta com diversas actuações e digressões em festivais nacionais e internacionais pelas ilhas dos Açores, Portugal continental, Espanha, França, Bélgica, Holanda e Canadá. Possui dois registos discográficos, editados em 1996 e em 2017, e organiza o festival de tunas mistas “Inventio – Festival Internacional de Tunas”.
O livro será apresentado por Bruno F. Gonçalves, professor da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança. Para além dos autores, a apresentação conta com a presença de Pedro Agrelos, antigo maestro e membro da TAUA.
O evento é inserido nas IV Jornadas Internacionais de Tunas, organizadas pela RaussTuna – Tuna Mista do Instituto Politécnico de Bragança, que decorrem de 1 a 3 de Março subordinadas ao tema “A necessidade de adaptação das Tunas aos novos tempos”.

Edit Template
Notícias Recentes
“É urgente a necessidade de reduzir o número de utentes por Médico de Família”, diz Maria Teresa Albergaria
Jaime Oliveira foi um dos cinco açorianos que ao lado de Salgueiro Maia desceram de Santarém a Lisboa no dia 25 de Abril de 1974: “Tive medo…”
“Temos muita fé no Divino Espírito Santo”, afirmamos mordomos dos Remédios da Bretanha
Câmara de Ponta Delgada estuda solução para o trânsito na Alameda de Santa Teresa
19 medalhas de ouro, 19 de prata e 18 de bronze no Campeonato Regional das Profissões
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores