Edit Template

Universidade sem propinas e apoios ao alojamento para todos os estudantes deslocados são metas do PS

A apenas três dias do decisivo dia de eleições legislativas, o Partido Socialista dos Açores dedicou a manhã de ontem a projetar o futuro, tendo a Universidade dos Açores como base. Entre elogios às conquistas e reconhecimento do papel da instituição na Região, os candidatos reforçaram o compromisso de continuar a atribuir apoios à Universidade e declararam-se empenhados em eliminar os constrangimentos financeiros para os jovens que queiram prosseguir estudos universitários.
“Nenhum aluno, na opinião do Partido Socialista, deverá ficar fora do ensino superior por questões financeiras. Por isso é que nós já estamos a devolver a quem terminou agora a sua licenciatura ou mestrado o valor das propinas que lhes é devido.”, declara Francisco César, evocando a recente medida que, garante, tem tido uma enorme adesão. O candidato acrescenta que as propinas, aliás, têm fim anunciado, estando nos planos do PS para os próximos quatro anos que sejam progressivamente eliminadas.
Os socialistas identificam ainda um outro constrangimento financeiro relacionado com o alojamento, algo com particular relevância no caso de muitos estudantes açorianos, deslocados da sua ilha. Para atender a estes casos, o PS não só tem implementado um plano para aumentar a oferta de camas em residências universitárias, traçando como meta atingir pelo menos as 30 mil até ao final da legislatura, como quer mudar a atribuição do apoio ao alojamento para estudantes deslocados, tornando-o acessível a todos os que estiverem nessa situação e não apenas aos que tiverem bolsa de estudo.
Apoiar as instituições é também prioridade para o Partido Socialista, que quer continuar a garantir uma distribuição diferenciada para as regiões ultraperiféricas, tendo em conta os sobrecustos da insularidade. Neste campo, Francisco César cita como exemplo o contrato de capacitação assinado entre a Universidade dos Açores e o Governo da República. “Este contrato permitirá que, nos próximos 4 anos, a Universidade dos Açores receba cerca de 14 milhões de euros, mais 20% do que no passado, valor destinado não só a prestar um melhor serviço, mas também a envolver-se em projectos com a comunidade científica e empresarial.”, explica o cabeça-de-lista pelo círculo eleitoral dos Açores. Aplaude ainda a iniciativa do Governo da República de garantir mais 20% de majoração destinados à construção de novas residências universitárias nas regiões insulares, para além dos 15% já garantidos a todas as Instituições de Ensino Superior.
“É fundamental, para nós, termos instituições de ensino qualificadas, que permitam aos nossos jovens fazerem a sua formação.”, sublinha Francisco César, renovando o compromisso do Partido Socialista em continuar a aposta no ensino superior, quer junto das instituições, quer junto dos estudantes e suas famílias.

Edit Template
Notícias Recentes
Mulheres em situação de sem-abrigo em São Miguel estão “em profundo sofrimento psicológico pela situação em que vivem”
Sónia Melo distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões na categoria chef privada
“O folclore é sempre o parente mais pobre da cultura”, afirma Filomena Loura, Presidente do Grupo Folclórico da Lomba do Cavaleiro
Tem crescido o número de caravelas-portuguesas avistadas nas zonas balneares do continente e Açores
Comunidade açoriana de Rhode Island apela a David Neeleman para a Breeze Airways fazer voos directos para os Açores
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores