Edit Template

XXVI Além Mar Rali faz regressar provas do TAC à Praia da Vitória

O Terceira Automóvel Clube (TAC) promoveu a apresentação pública do XXVI Além Mar Rali TAC, na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira (Praia da Vitória). A prova abre o Campeonato dos Açores de Ralis (CAR) e o Troféu de Asfalto dos Açores (TRAA) de 2024, correndo-se nos dias 5 e 6 de Abril.
Um rali que, segundo o Presidente do TAC, Paulo Silveira, “esteve em risco de não se realizar”, e que só vai acontecer “graças ao apoio da Fábrica de Tabaco Estrela (FTE), através da marca Além Mar, a quem temos de agradecer”, tudo porque a situação política na Região “fez com que os apoios públicos ficassem como que congelados, além de que ainda nos falta receber verbas relativas a 2023”, explicou.
“Assim, vamos fazer um esforço grande para ter o rali na estrada, mas seguindo sempre o princípio da sustentabilidade financeira do clube”, assegurou, sublinhando que “os ralis não têm de dar lucros, mas o saldo tem de ser zero, se for menos um (-1), já não é possível e no TAC vai ser sempre assim, com esta Direcção”.
Paulo Silveira frisou a colaboração com a autarquia da Praia da Vitória “que permite o regresso das provas do TAC a um concelho onde os desportos motorizados já foram muito activos”, então pela acção “do OEC Motor Clube”, sendo que “somos um clube de ilha e, apesar das dificuldades de mudar toda a nossa logística para a Praia, este é um desafio, e estamos cientes de que tudo vai correr bem”.
O esforço do clube estende-se “aos apoios para as equipas de fora da Terceira”, entretanto anunciados, “e corrigidos face ao valor inicial decidido de 370 euros”, assegurando agora “o transporte de duas viaturas pela Transinsular, uma em contentor, outra fora, assim como as passagens aéreas de piloto e navegador”, disse, posteriormente, aquele responsável.
Para o Director Regional do Desporto, Luís Carlos Couto, que representou o Governo açoriano, “o automobilismo, vertente competitiva do desporto, é também um animador da nossa economia”, devendo ver recompensada essa sua faceta, “como aliás acontece com todas as outras modalidades, especialmente na época baixa, pela movimentação de pessoas entre as várias ilhas”.

Regresso à Praia

Para Vânia Ferreira, Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, “é um gosto enorme receber um evento como este no nosso concelho”, confirmando “toda a disponibilidade da autarquia para criar as melhores condições a um acontecimento que junta sempre tanta gente, que movimenta a economia, e que estamos em crer vai ser um sucesso, também a nível desportivo”.
Guido Teles, Vice-presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, realçou “a mobilização da comunidade da ilha Terceira em torno do desporto automóvel”, reiterando o apoio do município a “uma actividade com notoriedade” e que agrega “uma imensa equipa de voluntários para que as provas decorram da melhor forma”.
Carlos Costa, da PSP local relevou a necessidade “de assegurar toda a segurança da prova”, o que é feito “entre as autoridades e o TAC, mas que tem de contar com o apoio do público e de todas as equipas”. Também presentes estiveram os representantes da FTE, Paulo Costa, que elogiou “a entrega do TAC e de todos quantos fazem parte da equipa organizativa, desejando aos pilotos e ao muito público da Terceira, uma grande prova”, assim como da New Coffee (Bogani) Bernardo Oliveira, empresa que agora se associou ao TAC, realçando “essa oportunidade e a vontade de continuar esse apoio”.
Filipe Rocha, Director de provas do TAC, delineou as 10 provas especiais de classificação, com cerca de 76 quilómetros cronometrados em piso de asfalto, referindo “a grande novidade, que é a deslocalização do centro nevrálgico do rali para a Praia da Vitória”, onde vão decorrer as partidas e chegadas, onde estarão o Centro Operacional, o Parque de Assistência e o Parque Fechado, e onde vão decorrer as verificações das viaturas e equipas, assim como a apresentação pública das mesmas.

Miguel Sousa Azevedo/DI

Edit Template
Notícias Recentes
“É urgente a necessidade de reduzir o número de utentes por Médico de Família”, diz Maria Teresa Albergaria
Jaime Oliveira foi um dos cinco açorianos que ao lado de Salgueiro Maia desceram de Santarém a Lisboa no dia 25 de Abril de 1974: “Tive medo…”
“Temos muita fé no Divino Espírito Santo”, afirmamos mordomos dos Remédios da Bretanha
Câmara de Ponta Delgada estuda solução para o trânsito na Alameda de Santa Teresa
19 medalhas de ouro, 19 de prata e 18 de bronze no Campeonato Regional das Profissões
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores