Edit Template

Recados com Amor…

Meus Queridos! A minha Prima Maria da Praia estava muito satisfeita porque o XIII Governo dos Açores tinha conseguido “dobrar o cabo das tormentas, com a aprovação do Programa de Governo aprovado Sexta-feira na Assembleia Legislativa, com os votos da maioria relativa do PSD,CDS,e PPM… e com a ajuda do PAN, IL, e Chega, que se abstiveram fazendo o acto de contricão quando “chumbaram” o Orçamento no final do ano passado e que levou à queda do anterior Governo… foi um gesto que mostra a responsabilidade dos partidos que se abstiveram… Maria da Praia diz que tem pena do desnorte em que se encontra o Partido Socialista, porque ele faz parte da democracia que ajudou a implantar em Portugal… e por isso não se pode comportar como um partido extremista nascido muito depois da democracia já crescida… Maria da Praia como uma mulher muito sabida nessas de política que é fruto da sua formação… diz que o desnorte no PS ainda vai manter-se nos próximos tempos porque não preparou sucessores para liderar o partido… e não é fácil arranjar à pressa na louça da Lagoa um sucessor para liderar o Partido Socialista nos Açores! Vamos esperar para ver!

Meus Queridos! Ainda está fresca como uma alface a situação vivida recentemente por um grande grupo empresarial de comunicação social nacional… que deu brado em Portugal e suscitou reacções de vários quadrantes políticos e foi até “um prato” servido frio há poucos dias no Congresso dos Jornalistas, que teve como recompensa apenas… a greve dos jornalistas que teve lugar Quinta-feira passada… O que estava em causa era o chamado caso da Global Media e o conjunto de jornais e jornalistas, que estão a ser vítimas de “negócios” até agora por esclarecer, sem se saber a cor do dinheiro e o rosto de quem comprou e manda nos jornais centenários que são um património que tem de ser preservado … Fala-se numa reestruturação do negócio, mas o que está em causa é o património que eles representam… e o serviço que prestam à democracia… Perante a crise em que estão mergulhados os jornais em geral , espera-se que haja bom senso por parte dos governos para zelarem pela existência dos Órgãos de Comunicação Social… É que, pelos vistos, os governos ainda não se aperceberam que além de outros factores, o grande risco para cada país vem do exterior, sobretudo de quem quer comprar os jornais para depois poder interferir e comandar a sociedade a partir das ordens dadas do estrangeiro…. Este meu recadinho vem a propósito do que aconteceu agora mesmo na Inglaterra num contexto polémico em torno da compra e venda do jornal conservador Daily Telegraph a um consórcio americano–emitari… que tem como cronista o ex-Primeiro-ministro Boris Johnson… o que levou o Governo inglês de imediato a rever o processo de venda do grupo Telegraph, intervenção feita em nome do “interesse público”. Segundo a imprensa inglesa, a perspectiva da aquisição suscitou preocupações entre os deputados, e o Governo britânico anunciou Quarta-feira a intenção de legislar para impedir a aquisição de jornais britânicos por estrangeiros, declarou o Secretário de Estado Stephen Parkinson, no contexto da polémica em torno da aquisição do conservador Daily Telegraph…

Ricos! A minha amiga Agustina que vive em Londres, telefonou-me dizendo que o “barulho” que por lá vai por causa desse negócio, deriva da tentativa dos grandes magnatas do petróleo comprarem os órgãos de comunicação social e juntá-los aos clubes de futebol para… como faziam os oligarcas da Rússia, que apareceram como grandes empresários no reino de sua majestade como “beneméritos” com o fito de lavarem o dinheiro das grandes negociatas provindas dos combustíveis… A minha amiga Agustina lembra que a maioria desses oligarcas já partiram deste mundo a mando do Putin,.. mas tomarem as rédeas das instituições e de parte da economia de vários países da Europa… Oxalá que os governos e a União Europeia aprendam com a “nova colonização” que está em marcha e a entrar na Europa com o dinheiro do petróleo do mundo árabe…Tenham tino!

Meus Queridos! E por falar no contributo de cada um, a minha Prima Maria da Praia no relato semanal que faz a partir da Ilha de Jesus, contou-me que o Conselho Paroquial para os Assuntos Económicos da Igreja de Santa Cruz da Praia da Vitória, lançou um apelo aos paroquianos apelando à sua obrigação e generosidade, nos seguintes termos: …
Para quem pertence paróquia de Santa Cruz, por naturalidade ou por residência, sabe que é habitual fazer-se ao longo do ano os chamados peditórios tradicionais a favor de causas determinadas. A única obrigação, para além de aqui termos a terra, o sangue e os mortos, é o sentido de pertença, a responsabilidade pelos bens comuns e a generosidade voluntária. As duas centenas de famílias que já contribuíram para o culto anual… os nossos agradecimentos, e que ignorem esta opção…
Quanto ao demais, aqui vai o peditório para a renúncia quaresmal (jejum e esmola), para a pintura da Matriz (a decorrer), e para as celebrações da Semana Santa e da Páscoa (oração) … – Quanto à renúncia quaresmal, o nosso bispo escreveu-nos que este ano podemos concretizar a partilha, apoiando o próximo com o fruto das nossas poupanças em dois projectos sociais, um em S. Tome e Príncipe, na cidade clãs Neves e outro em Cabo Verde, Santiago na cidade da Praia (cidade irmã).
Quanto à pintura exterior da Matriz, damos conta como está degradada, comparada com as casas envolventes da cidade. (Ainda que sem os recursos necessários) já começamos os trabalhos, contando com a providência de Deus e a generosidade dos Homens…. O apelo do Conselho Paroquial para os Assuntos Económicos da Igreja de Santa Cruz da Praia da Vitória termina o peditório lembrando dois poemas de há 100 anos da autoria de Vitorino Nemésio… que eram dedicados à Igreja de Santa Cruz, e perguntando-se agora o que diria o poeta ao ver o estado da sua e nossa Matriz? São perguntas que não conseguimos responder porque não se consegui estabelecer o contacto com o além!

Ricos! Mas a propósito do apelo do Conselho Paroquial para os Assuntos Económicos da Igreja de Santa Cruz da Praia da Vitória, falando com a minha amiga Genoveva, que é uma mulher muito entendida nessas coisas da Igreja, ela é da opinião que as pessoas devem participar na “colecta” para o arranjo e manutenção das igrejas, ou de outras instituições que estão a pedir misericórdia … mas é preciso ter em conta que o tempo não vai a jeito… com o decréscimo da crença e da prática religiosa que por aí anda, além da perda de credibilidade que se deu no clero,… ao que se junta a crise da Igreja na Europa e em Portugal… assim como as crises que percorrem por junto todos os sectores sociais e culturais, das nossas ilhas, embora o efeito sinta-se mais numas do que noutras… São os sinais dos tempos… que exigem mais atenção de quem está empenhado uma sociedade comprometida com os outros e atente aos necessitados sobretudo de amor!

Ricos! E por falar em sinais dos tempos, tenho recebido uns telefonemas de amigas minhas que estão irritadas com o facto das eleições nos Açores terem decorrido há mais de um mês, mas continuam expostos nos postes de luz e não só… placards das campanhas eleitorais que são um perigo, porque em dias de vento forte muitos deles foram arrancados dos postes de luz e por duas vezes houve quem ficasse com o vidro do carro rachado devido ao impacto do dito placard …. É altura de limpar a cidade e as estradas da propaganda que já é velha porque estamos já noutro ciclo, tarefa que cabe aos partidos políticos fazerem, e até julgo que há legislação que assim determina, e em alternativa são os municípios devem obrigar os “poluidores” a fazerem a limpeza que é necessária…

Meus Queridos! Segundo a minha elegante prima Gertrudes, conhecida no jet-set da capital do ex-império… por Tutu, disse-me que durante a recente Feira de Turismo de Lisboa o grande cartaz do certame, para além das atraentes figuras açorianas que por lá desfilaram e posaram com políticos e artistas nacionais,… foi rainha do certame, a Terceira… agora generosamente promovida pela novela “Senhora do Mar”, apesar do tratamento um pouco tosco de certos diálogos, cenários, encenações e  alinhamentos, mas que, apesar disso, tem divulgado excepcionais imagens paisagísticas, potenciadoras de turismo na ilha de Jesus Cristo…
Porém, durante uma das provas de produtos tradicionais dos Açores na FTL, Tutu teve um acesso de irritada tristeza quando um velho jornalista continental lhe perguntou a que se devia atribuir a causa dos terceirenses terem vindo a alienar algumas das suas empresas históricas, dizendo o nome delas, mas que eu não posso aqui dizer por respeito aos que deram o seu melhor para que tais empresas crescessem e se mantivessem durante anos e anos… é que a vida é curta para todos, mesmo para a empresas que duraram décadas e foram importantes para a economia da Terceira… O dito velho jornalista continental não se esqueceu ainda de elencar outras firmas tradicionais que também estavam a atravessar uma persistente crise, mormente na Praia da Vitória, depois da saída dos americanos das Lajes!
A todas as incómodas perguntas do antigo correspondente de Imprensa, a minha prima Tutu retorquiu invocando os rentáveis atractivos taurinos e os festejos profanos e religiosos da Terceira, acentuando os brasões monumentais do concelho e cidade de Angra, agora mais valorizados com as traças públicas e privadas do famosíssimo arquitecto Siza Vieira, sem falar nas dinâmicas acções culturais do sustentado IAC e do IHIT (este que acabou de receber do último Governo Regional a módica quantia de 40.000 Euros para um Observatório sobre os estratégicos pássaros de ferro da Base Americana que outrora demandavam os férteis campos e lojas do Ramo Grande), tudo isso se passou na FTL perante o pasmo dos outros ilhéus, agentes institucionais ou meros intelectuais e artistas de segunda e terceira geração… Tutu diz que a ignorância é atrevida e foi o que resultou do encontro que teve com o “velho” jornalista continental!

Edit Template
Notícias Recentes
“É urgente a necessidade de reduzir o número de utentes por Médico de Família”, diz Maria Teresa Albergaria
Jaime Oliveira foi um dos cinco açorianos que ao lado de Salgueiro Maia desceram de Santarém a Lisboa no dia 25 de Abril de 1974: “Tive medo…”
“Temos muita fé no Divino Espírito Santo”, afirmamos mordomos dos Remédios da Bretanha
Câmara de Ponta Delgada estuda solução para o trânsito na Alameda de Santa Teresa
19 medalhas de ouro, 19 de prata e 18 de bronze no Campeonato Regional das Profissões
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores