Edit Template

33º romaria infantil do Colégio de São Francisco Xavier saiu ontem à rua

Na passada Sexta-feira, dia 22 de Março, o Colégio de São Francisco Xavier realizou a sua 33ª romaria, com a participação de 117 crianças. Este evento anual liga os alunos à herança cultural e espiritual açoriana.
Com a primeira edição em 1991, esta tradição do Colégio de São Francisco Xavier já conta com 33 anos de existência. A Irmã Domingas Lisboa, Directora do Colégio, relembra a origem e o significado deste ritual: “Uma tradição da nossa ilha que é vivenciada no tempo da Quaresma. Começa em 1522 devido aos terramotos, numa altura em que as pessoas sentiram a necessidade de fazer essa procissão para pedir a Deus que protegesse a ilha. Esta é uma tradição de oração, penitência e também de agradecimento e, para além de todos os conteúdos académicos, também faz parte da missão do nosso Colégio incutir nas crianças o amor pela tradição e pela cultura do seu povo. Porque só na medida em que as crianças consigam conhecer, viver, amar e respeitar a sua tradição é que também conseguirão valorizar a tradição de outros.”
Para além da aprendizagem dos cânticos, a antecipação deste dia também inclui “uma preparação espiritual feita por um sacerdote, o senhor padre Norberto, que esteve a explicar o significado desta romaria. Também tivemos um irmão romeiro que falou sobre simbologia de cada um dos elementos que as crianças levam na romaria”.
Para além disso, a Irmã Domingas explica que o a capela do Colégio de São Francisco recebe romeiros de toda a ilha que interagem com as crianças com a partilha de orações e cânticos: “ainda anteontem pararam na nossa capela e estiveram a cantar com as crianças. Quando elas ouvem os romeiros, pedem imediatamente para ir para a capela.”
O repórter do Correio dos Açores seguiu esta romaria até porta do Convento da Esperança, onde a Irmã Domingas revisitou algumas paragens do seu percurso: “Passamos pela capela de Nossa Senhora onde as crianças rezaram; de seguida também fizemos uma paragem na capela de Nossa Senhora do Carmo e viemos pelo Senhor São José, que também é uma passagem dos romeiros. Ou seja, para além das igrejas dedicadas a Nossa Senhora, também paramos nas igrejas com o Santíssimo Sacramento.” E prossegue, “Rezamos em frente à Igreja de São José, a igreja a que o nosso colégio pertence. Depois, seguimos com o Senhor Santo Cristo, onde o tivemos a celebração da eucaristia animada também para as próprias crianças. Agora, eles vão até ao Coro Baixo, mesmo junto ao senhor Santo Cristo. E, logo de seguida, irá decorrer o encontro das famílias no Campo de São Francisco, onde irão partilhar o seu farnel e fazer o seu convívio. É um momento de vivenciado em Igreja, um momento de fé”.
Por fim, a Directora explicou que esta tradição faz parte das várias iniciativas do Colégio que envolvem as famílias dos alunos: “Em Novembro fizemos um convívio que inclui um concurso de sopas; depois, a festa do Natal; em Fevereiro fizemos o nosso baile de Carnaval que também inclui as famílias. E, depois desta romaria, haverá a coroação dos finalistas e a sopa do Espírito Santo. E também haverá uma festa no final do ano lectivo. É um colégio com muita vida, que não pára!”, conclui.

D.C.

Edit Template
Notícias Recentes
25 de Abril - 50 anos
De Mota Amaral a Vasco Cordeiro: 30 anos de história do Comité das Regiões agora disponíveis
Jovem de 22 anos meteu um saco plástico na cabeça da vitima e agrediu-lhe no rosto em Ponta Delgada
“Abril será ouvido/Enquanto se for lutando/Para por a nu palavras/Que se teimam em vestir”
Há festa na Praça Nossa Senhora do Rosário da Lagoa com populares a assinalar o 25 de Abril
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores