Edit Template

Festas e festivais em Sexta-feira Santa e Sábado do Senhor

Sexta-feira Santa, – em que Jesus é chicoteado, coroado com uma coroa de espinhos, com o rosto ensanguentado e, depois, faz o caminho até Calvário carregando uma coroa de espinhos, (é sempre que caía era chicoteado para se levantar) – é, na Páscoa, o dia da morte do Senhor.
E o Sábado tem um sentido muito próprio na Páscoa. É o dia que marca o intervalo entre a dor pela morte de Jesus e a alegria de sua ressurreição hoje, assinalada pelas 15h00.
Sobretudo Sexta-feira Santa, mas também o Sábado do Senhor, são dias de reflexão e de oração, jejum e penitência para os cristãos.
Todos constatamos que a Páscoa está maculada pelo materialismo. Para muitos, mesmo muitos, Páscoa sem folares, amêndoas e ovos de chocolate, já não é a mesma coisa. Há uma esmagadora maioria dos cristãos que não cinge a Páscoa apenas ao sentido espiritual de vivência dos momentos de sacrifício e dor de Jesus Cristo para, depois, viver intensamente a alegria da Ressurreição.
Esta dimensão materialista, na Páscoa, é mais praticada e aceite por uns cristãos do que por outros. Nos tempos de criança de muitos de nós, nem havia meios financeiros para ter a mesa recheada de ovos de Páscoa e amêndoas e a massa sovada era feita nos fornos de lenha que se tinha em casa e este e era um momento que antecedia a Sexta-feira.
E foram os nossos pais que nos incutiram que na Sexta-feira Santa e no Sábado do Senhor não se comia carne. Um hábito da Páscoa de outrora, que tinha um sentido muito próprio, e que hoje também se perdeu em casa de muitas famílias cristãs.
O clero, religiosos, movimentos e serviços pastorais vão vivendo a Páscoa, aceitando, tacitamente, estas práticas quase como naturais.
Agora, o que deve ser inaceitável na comunidade cristão é que os cristãos vivam a Sexta-feira Santa e o Sábado em festa e até com festivais públicos.
Não sendo cristão praticante, choca-me – como deveria chocar a todos os cristãos praticantes ou não – que se viva em festa nos dias de sacrifício e dor de Jesus Cristo no período pascal.
Sou leigo e vou ter sempre muito a aprender como cristão, mas festas e festivais num Sexta-feira Santo e num Sábado de Páscoa que deve ser encarado como um dia de silêncio e reflexão… ?
Ora, para a comunidade cristão, estás práticas têm de ser inadmissíveis e criticáveis.

João Paz
Edit Template
Notícias Recentes
Governo destaca Marca Açores como uma ferramenta essencial na promoção dos produtos e serviços do arquipélago
Presidente do Governo reafirmou ao Almirante Gouveia e Melo os poderes autonómicos dos Açores na gestão do mar
Padre Duarte Melo e Leonor Anahory defendem que se deve aproveitar o saber dos mais velhos para ajudar a formar os mais novos
Dezenas de pessoas “com muita devoção pelo Espírito Santo” ajudaram nos preparativos das 13 mil sopas que serão servidas hoje no Campo de São Francisco
Cinco detidos no aeroporto de Ponta Delgada com documentos de identificação falsos
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores