Edit Template

Açores de regresso à Primeira Divisão de futsal

Onze anos depois os Açores regressam com uma equipa à Primeira Divisão de futsal. É através do SC Lusitânia, que assegurou na penúltima jornada a subida à agora designada Liga Placard.
A promoção ficou assegurada com a vitória, por 3-1, no recinto do vizinho da ilha Terceira, o SC Barbarense, e com a surpreendente derrota (2-4), em casa, da Associação dos Moradores de Santo António dos Cavaleiros (AMSAC), diante do último classificado, o FC Famalicão, que nos 12 anteriores jogos só tinha averbado 1 ponto.
Depois de quatro anos na série Açores da Segunda Divisão, ganhando-a por duas vezes, e com a alteração ao modelo do campeonato a partir da época de 2021/22, o Lusitânia passou a competir inserido na série Sul com equipas continentais e madeirense.
A Direcção do clube de Angra do Heroísmo apostou na época passada numa equipa para subir à Primeira Divisão. Mantendo pela quarta época o treinador Cláudio Martins (actual adjunto de Joel Rocha no Sporting de Braga), reforçou-se com 10 jogadores do exterior dos Açores. Não atingiu o objectivo. Terceiro lugar na fase regular, mantendo a mesma posição na fase de subida. Ficou a 11 pontos do campeão Torreense e a 3 do Belenenses, as duas equipas promovidas.
Nesta época trouxe o experiente treinador José Feijão (60 anos de idade), que treinou o Operário na parte final da época de 2012/13 e também na Segunda Divisão, em 2013/14.
Voltou a apostar em jogadores com cartel contratados a clubes nacionais e estrangeiros. Concluiu a fase regular na quarta posição. Conseguiu ficar no grupo da subida por 1 ponto.
Para enfrentar a segunda e decisiva fase procedeu no início de Janeiro a uma remodelação no grupo, com a entrada de jogadores mais experimentados. Antes e após a substituição de jogadores nenhum sénior açoriano figurava. Alguns juniores vão surgindo, mas apenas Hernâni Rosa tem sido convocado.
Os resultados desta fase foram em crescendo, com 9 vitórias, 1 empate e três derrotas, consumando o segundo lugar porque a uma ronda do fim dispõe de mais 4 pontos do que o AMSAC e menos 1 ponto do que o líder Dínamo Sanjoanense. Se ganhar na recepção ao AMSAC e o Dínamo não vencer, em casa, ao Nuno Álvares, pode ainda ser campeão nacional da Segunda Divisão.
A uma jornada do final a classificação é a seguinte: 1.º Dínamo Sanjoanense, 29 pontos; 2.º SC Lusitânia, 28; 3.º AMSAC, 24; 4.º Burinhosa, 21; 5.º SC Barbarense, 16; 6.º Nuno Álvares de Fafe, 15; 7.º Marítimo da Madeira, 14 e 8.º Famalicão, 4 pontos.

Operário, o anterior inquilino

A primeira equipa açoriana a militar na Primeira Divisão nacional foi o Clube Operário Desportivo. Ascendeu ao classificar-se em segundo lugar na série Sul da Segunda Divisão de 2010/11, a 3 pontos do Leões de Porto Salvo.
A estreia em 2011/12 foi de sonho. Era a quarta época de Roger Augusto como treinador. O Operário concluiu a fase regular no 6.º lugar, entrando no playoff para apuramento do campeão. Coube defrontar o Módicus, que tinha sido terceiro. Foi eliminado ao terceiro jogo, com duas derrotas (2-3 e 1-5) em Gaia, após ter ganho na Lagoa (6-5).
Na segunda e última época (12/13) na Primeira Divisão, inicialmente com Ricardo Canavarro como treinador, terminou a fase regular em 12.º e antepenúltimo lugar, com 23 pontos. Jogou para a fase de permanência com os 9.º (Fabril Barreiro), 10.º (Cascais) e 11.º (SL Olivais) a pontos e a duas voltas. Já com José Feijão na orientação da equipa, alcançou uma vitória em 6 jogos, descendo à Segunda Divisão como último daquela fase. Manteve-se naquele escalão mais dois anos e no final da temporada de 2014/15, com a drástica redução no valor do contrato de promoção dos Açores no exterior, encerrou a secção de futsal até aos dias de hoje.

CP Livramento complicou

A equipa do GD Casa do Povo do Livramento esteve tão próxima de, embora com os mesmos pontos, de ficar na classificação da série 2 da fase de manutenção/descida da Segunda Divisão à frente do Macedense e fora dos dois lugares de descida.
Derrotou, em casa, por 4-2, a equipa de Macedo de Cavaleiros, mas deveria tê-lo feito por 4 golos de diferença para ultrapassar o adversário directo, com quem perdeu na primeira volta por 8-5. E tudo estava encaminhado para tal. Entre os 12 e os 18 minutos da primeira parte a equipa da ilha de São Miguel marcou 4 golos, por Diogo Dias, Rodrigo Branco, Adriano Gonçalves e por João Paulo Ramos, não sofrendo nenhum. Na segunda parte o Macedense marcou dois, através de Takumi Mizuno (25m) e de Patrick Araújo (35m), e a CP Livramento nenhum.
A uma ronda do fim Macedense (52 golos marcados e 52 sofridos) e CP Livramento (47-49) têm os mesmos pontos. Para sair da teia complicada em que se encontra e evitar a descida como penúltimo da série, a equipa micaelense terá de esperar que o Macedense perca ou empate em casa com o Portimonense e vá a Castelo Branco igualar ou ganhar ao Boa Esperança, num recinto onde empatou (6-6) na primeira fase. O seu resultado está sempre dependente do que fizer o Macedense.
Os resultados da 13.ª jornada: Venda Nova – Boa Esperança, 6-2; Portimonense – Póvoa Fustal 9-0; Módicus – Amigos da Cerva, 6-0 e CP Livramento – Macedense, 4-2.
O Módicus foi derrotado na secretaria por ter utilizado um jogador Sub-19 que estava castigado em jogo do seu escalão. Havia na jornada anterior empatado a 3 golos no campo do Portimonense, mas, devido à irregularidade, foi-lhe aplicada a derrota por 3-0 e uma multa de 128€.
Deste modo, a classificação é agora a seguinte: 1.º Módicus, 30 pontos; 2.º Portimonense, 28; 3.º Boa Esperança 27; 4.º Venda Nova, 21; 5.º Amigos da Cerva, 19; 6.º Macedense, 15; 7.º CP Livramento, 15 e 8.º Póvoa Futsal, 0 pontos.

Quatro açorianos em observação

Em resultado das actuações dos vários jogadores no torneio nacional inter-Associações de Sub-13, realizado em São Pedro do Sul e em Oliveira de Frades no início do mês de Abril, a equipa técnica da selecção nacional do escalão etário, chefiada pelo seleccionador José Luís Mendes, chamou 30 jogadores de 28 clubes para um estágio de observação a ter lugar no Luso.
Dos Açores vão participar nos quatro treinos, marcados para os próximos sábado e domingo, quatro jogadores: Afonso Ferreira, do nóvel clube, a Associação Desportiva e Cultural de Santa Cruz, Lagoa; Tristan Ayala, da CP Livramento, e os terceirenses Francisco Vieira, do Lusitânia, e Simão Cabral, do Posto Santo.

Edit Template
Notícias Recentes
Mulheres em situação de sem-abrigo em São Miguel estão “em profundo sofrimento psicológico pela situação em que vivem”
Sónia Melo distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões na categoria chef privada
“O folclore é sempre o parente mais pobre da cultura”, afirma Filomena Loura, Presidente do Grupo Folclórico da Lomba do Cavaleiro
Tem crescido o número de caravelas-portuguesas avistadas nas zonas balneares do continente e Açores
Comunidade açoriana de Rhode Island apela a David Neeleman para a Breeze Airways fazer voos directos para os Açores
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores