Edit Template

Ildeberto Medina: um açoriano de sucesso nos Estados Unidos da América

Com um percurso inspirador e de sucesso nos Estados Unidos da América, Ildeberto Medina está em São Miguel.

Ildeberto Medina tem 62 anos de idade e nasceu em 1962, na ilha Graciosa, que diz “ser pequena, mas com muito charme”.
“Temos uma ligação forte com Portugal e com os Açores, e temos a possibilidade de vir várias vezes à Região, de férias e visitar amigos”.
Ildeberto Medina foi para os Estados Unidos na companhia dos pais e do irmão, que é mais novo um ano. Quando a família emigrou em 1977, tinha 15 anos e no dia imediatamente a seguir começou logo a trabalhar para um patrão, que também era da ilha Graciosa, na construção.
Depois de ter experimentado “outros trabalhos”, começa “a trabalhar por conta própria em 1979”, primeiramente em regime de tempo parcial, mas depois a tempo inteiro, acabando por fundar a empresa Medina Construction, em 1985.
Os pais não se adaptaram e a família regressou aos Açores. Contudo, seis meses depois, Ildeberto Medina e o irmão mais novo, desta vez sozinhos, prevaleceram no objectivo de concretizar o sonho americano.
A Medina Construction tem 10 colaboradores, mas “dá muito trabalho, ainda a outras pessoas, através de subempreitadas, quase todos os dias”.
No presente “são duas, as empresas na construção: uma faz manutenção na carpintaria e pinturas, e a outra faz trabalhos de raiz, empreitadas gerais, que pega em qualquer obra, que depois é concluída através da acção de subempreiteiros”.
Ildeberto Medina vive em Providence, capital e cidade mais populosa do estado de Rhode Island.

Sempre teve vontade de emigrar

Ildeberto Medina revelou ao nosso jornal, que sempre teve vontade de emigrar por causa da sua avô paterna, que “tinha estado nos Estados Unidos da América, entre 1900 e 1916, e ela falava muito bem da América e foi com ela que aprendi um pouco de Inglês”.
Ildeberto Medina chegou a fazer parte da Sociedade Filarmónica União Praiense, fundada em 12 de Maio de 1889 com o nome de Sociedade Artística União Praiense, banda que nunca interrompeu a actividade e foi onde conheceu Dina Medina, a sua mulher, que emigrou também para os Estados Unidos da América em 1980, mas o casamento foi realizado na ilha Graciosa. O casal tem dois filhos e três netos.
Sempre que possível Ildeberto e Dina Medina, regressam aos Açores e à ilha que os viu nascer, onde têm lá uma casa de passar férias, mas agora vieram durante uma semana às Festas do Senhor do Santo Cristo.
No Verão, a família vai toda para a ilha Graciosa, onde estará durante três semanas.
E porque regressa à Região com a regularidade possível, Ildeberto Medina tem acompanhado o desenvolvimento dos Açores, ao longo dos tempos, relevando “a construção das estradas, que desempenham um papel crucial no desenvolvimento das localidades”, pois conectam comunidades, vilas e cidades, facilitando o transporte de pessoas, mercadorias e serviços. “Em São Miguel nota-se mais esse desenvolvimento, também porque a ilha é maior, mais populosa e com muito turismo, mas na globalidade todas as ilhas estão diferentes, mas não noto muito, porque venho cá todos os anos”.
Conhecendo bem a realidade norte-americana, só recomenda a emigração aos jovens, porque já não é o que era.

Distinções

Ildeberto Medina tem recebido inúmeras distinções, mas destaca uma, em particular, quando em 2022, no âmbito das comemorações do Dia dos Açores, que se assinalam na Segunda-feira do Espírito Santo, nesse ano realizadas no concelho da Lagoa, foi homenageado com a insígnia autonómica de mérito industrial, comercial e agrícola. Uma insígnia honorífica atribuída pela Assembleia Legislativa e o Governo Regional dos Açores, que visa agraciar aqueles que, tendo desenvolvido a sua actuação na área industrial, comercial ou agrícola, se destacaram por relevantes serviços para o seu desenvolvimento ou por excepcionais méritos na sua actuação.
“Quando fazemos alguma coisa de bom, principalmente quando representamos o nosso país é gratificante. Felizmente, sou português dos Açores e sou reconhecido por ajudar muitos portugueses, porque lá não temos ajuda do Governo para nada, mas ajudo os portugueses e assim quero continuar”.
Desafiado a deixar uma mensagem de incentivo a todos quantos queiram singrar na vida, Ildeberto Medina diz, que “o segredo é a ambição e muito trabalho, mas é preciso ter sorte na saúde, também. A partir daí, através do trabalho árduo e fé em Deus, tudo corre pelo melhor”.
De referir ainda, que para além de patrão, Ildeberto Medina vai à sua empresa “todos os dias trabalhar com os seus colaboradores e mostrar como é que se faz, porque a clientela norte-americana é muito exigente e estando lá ajuda muito”.
Saliente-se do mesmo modo, que com a sua incansável dedicação e trabalho, ainda ingressou no ensino universitário norte-americano, com poucos mais de 40 anos, onde se formou em línguas.

Marco Sousa

Edit Template
Notícias Recentes
Mulheres em situação de sem-abrigo em São Miguel estão “em profundo sofrimento psicológico pela situação em que vivem”
Sónia Melo distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões na categoria chef privada
“O folclore é sempre o parente mais pobre da cultura”, afirma Filomena Loura, Presidente do Grupo Folclórico da Lomba do Cavaleiro
Tem crescido o número de caravelas-portuguesas avistadas nas zonas balneares do continente e Açores
Comunidade açoriana de Rhode Island apela a David Neeleman para a Breeze Airways fazer voos directos para os Açores
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores