Edit Template

Clube União Micaelense: 113 anos de profícua actividade em prol do desporto sempre jovem e actuante

A história espelha e retrata, fases da humanidade e a actividade dos homens em diversas épocas. A prática do desporto, fez sempre, parte da maneira de viver e de estar do homem.
Nas longínquas décadas de 10, 20 e 30 do século passado, foram os clubes, verdadeiros sustentáculos e utensílios primários, de uma actividade desportiva ao serviço da comunidade. Os Clubes Desportivos, nesta Região, tiveram a sua história, fizeram história, cumpriram e cumprem a sua missão.
Os velhos clubes, como relíquias do desporto que tivemos, vão aos seus primórdios, descobrir factos, nomes, capítulos notáveis, escritos pela determinação e pelo amor, dos homens comuns.
Nem todos resistiram às intempéries desgastantes do tempo e foram ficando pelo caminho, deixando, porém TODOS, obra feita, caminhos a seguir, arquivos recheados.
O Clube União Micaelense, velha e prestigiosa agremiação desportiva, com sede em Ponta Delgada, maus concretamente, na Rua dos Mercadores, baluarte do desporto açoriano, uma das “pedras vivas” do desporto micaelense, que surgiu nos princípios do século XX, lançando os seus “alicerces” mais precisamente, no dia 7 de Maio de 1911 (festejou, por isso, na passada quarta feira, 113 anos de existência) continuando, nos nossos dias, em plena e fecunda actividade – Deus queira por muitos mais anos – Clube por onde passaram, dezenas e dezenas de figuras marcantes da prática desportiva, do dirigismo e da sociedade micaelense, teve, durante a sua longa e meritória história, momentos de glória e situações de fracasso, como todas as colectividades que se dedicam durante longo tempo à actividade desportiva. São décadas, a fomentar e a contribuir, para que o desporto esteja ao serviço da juventude e da comunidade em geral.
Quando nas primeiras décadas do Século XX, se ponha em causa os benefícios da prática da educação física, e os programas escolares passando ao lado de uma correcta utilização e de uma válida integração da disciplina da ginástica, épocas usualmente integradas num período de asfixia, um “medo permanente”, concreto mas, também difuso. Do obscurantismo insidioso e contínuo. A falta de ar. A falta de perspectivas, de possibilidades e de alternativas eram situações comuns e normais.
Havia, porém excepções. Existiam figuras de “vistas largas”, admitindo horizontes diferentes. E foi o Clube União Micaelense, o pioneiro a nível de Clubes, na implantação da Educação Física em Ponta Delgada, sob a batuta de um dos mais esclarecidos e ilustres dirigentes desportivos da época, o saudoso Dr. Raul Benevides, organizando um curso de Educação Física para os seus associados. Estiveram inscritos no curso perto de 140 crianças, orientadas por nove instrutores.
O Clube União Micaelense criou as suas raízes, abri alicerces, construiu o embrião do actual, em 7 de Maio de 1911, na sua primitiva sede, no Campo de São Francisco – Praça 5 de Outubro – numa casa localizada no sítio, onde mais tarde, foram instaladas, as Escolas Primárias de São José, as conhecidas “Escolas do Campo”.
Clube que gozava de grande simpatia nas classes média-alta, e na classe estudantil, como clube recreativo e cultural, promovendo saraus músico-literários e sessões dançantes.
Mais tarde foram elaborados e organizados, os indispensáveis estatutos do Clube, que foram aprovados pelo Governo Civil em 10/12/1919. Neste período (1911/1919) de dúvidas e dificuldades, muita “pedra foi partida”, muitos obstáculos ultrapassados de forma a manter e a cimentar, uma base de um clube com história. Nos seus sócios iniciais que alicerçaram e contribuíram para alicerçar a base de um clube com história no desporto micaelense e açoriano, constam os nomes de Agostinho Raposo de Paiva, Alfredo Ferin Jr. António Carlos Mendonça, António de Lima Carvalho, António Mendonça Machado, Ernesto Soares de Freitas, Manuel Raposo de Medeiros, Olivério Horta Serpa e Teófilo da Costa Benevides, entre outros.
Para que se concretizasse a fundação e criação da então Associação de Foot-Ball de São Miguel, e para que pudesse participar, como sócio fundador, daquele organismo, foram enviados como seus delegados, os senhores António de Medeiros Frazão Jr., Dr. José Jacinto Pereira da Câmara, José da Costa Maiato e Dr. Pedro Cymbron Borges de Sousa. Em 14 de Maio de 1924, era Presidente da Direcção, o Senhor Horácio Teves, tendo como colegas os senhores, Ricardo Mont’Alverne de Sequeira, Aires Mariano da Silva, Tenente Miguel de Almeida Jr., Cláudio de Sousa Pereira e António Augusto de Teves.
Nesta reunião, foram admitidos como sócios-jogadores, João Revoredo Botelho, José Júlio Teixeira, Hipólito Atayde Correia, Manuel Pavão de Medeiros, Ernesto Machado Macedo, Jorge Moura, Mariano de Sousa Lima, entre outros.
E foi assim, que o Clube União Micaelense se enraizou em 1911, e se oficializou, em 10/12/1919, tornando-se hoje, um baluarte do Desporto Açoriano, festejando, com galhardia o seu 113 aniversário, com muita pujança, e pleno vigor, na defesa dos seus pergaminhos.
Por ser do meu total conhecimento, e num preito de justiça e homenagem, quero destacar e lembrar, aqui e agora, dois distintos dirigentes, que muito se distinguiram na consolidação do Clube, oferendo, durante vários anos, muito trabalho, enorme dedicação e grandes canseiras, em prol de vitórias e feitos que ficaram arquivadas no historial da velha Agremiação, numa das “épocas de ouro” do Clube (1960/70), os saudosos e incansáveis servidores, António Rui de Almeida e Fernando Octávio Arruda.
Uma nota a destacar – para continuar a atestar, e a confirmar, a vitalidade do clube (113 anos em plena actividade), em prol do desporto, o “velho” Clube, promove, há já vários anos (15) um
“Torneio de Futebol Infantil -Ssub-11 – convidando para o efeito vários agremiações nacionais e estrangeiras (este ano foram 24 de 8 países).
Iniciativa levada a efeito e concretizada, sob a batuta do dirigente dos actuais corpos sociais, Arsénio Furtado, sob a Chefia do prestigiado Presidente Direcção do Clube, Dr. Manuel Arruda.
Uma prova evidente, de que o Clube mantém, bem viva, a sua actividade em prol do desporto, honrando, assim, os velhos cabouqueiros que já atrás foram citados.
Este ano, foi escolhido para “patrono do referido Torneio”, o saudoso e consagrado desportista, João Luis de Lima Albergaria, um dos mais completos desportistas da Região Autónoma dos Açores (praticou cm elevado nível, futebol, hóquei em patins, basquetecol, andebol, voleibol e natação), tornando-se, por isso um dos mais completos e categorizados servidores do Desporto Micaelense de todos os tempos.
Na pessoa do seu ilustre Presidente, Dr. Manuel Arruda, quero felicitar todos os Corpos Sociais, transmitindo, aqui e agora, os mais sinceros votos de muitos parabéns e desejo de longa vida em defesa e na defesa do desporto açoriano.

Gaia/Vilar do Paraíso, 7 de Maio de 2024
Rogério Oliveira

Edit Template
Notícias Recentes
Mulheres em situação de sem-abrigo em São Miguel estão “em profundo sofrimento psicológico pela situação em que vivem”
Sónia Melo distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões na categoria chef privada
“O folclore é sempre o parente mais pobre da cultura”, afirma Filomena Loura, Presidente do Grupo Folclórico da Lomba do Cavaleiro
Tem crescido o número de caravelas-portuguesas avistadas nas zonas balneares do continente e Açores
Comunidade açoriana de Rhode Island apela a David Neeleman para a Breeze Airways fazer voos directos para os Açores
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores