Edit Template

Santa Clara continua na Taça Nacional

O CD Santa Clara vai continuar na Taça Nacional de futsal sénior feminino porque a equipa B do Sporting fez alinhar irregularmente duas jogadoras na partida que efectuaram a 7 de Abril em Lisboa.
Naquele encontro, a contar para a 3.ª jornada da Série G da primeira fase da competição, o Sporting venceu por 8-3, mas utilizou as jogadoras Inês Lopes e Luana Vieira depois de terem jogado em mais de 10 jogos na equipa principal.
O regulamento dos Clubes Satélite e Equipas B determina que os/as atletas quando ultrapassam os 10 jogos oficiais pela equipa A não podem jogar pela formação secundária. A secção não profissional do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, que abriu um processo disciplinar por ter recebido uma participação disciplinar do CD Santa Clara a 19 de Abril, concluiu que Luana Vieira realizou 13 jogos na Liga Feminina Placard (equivalente à Primeira Divisão) e Inês Lopes 11.
Na averiguação realizada, comprovou-se que as duas jogadoras do clube de Lisboa também marcaram presença na partida da 1.ª jornada, frente ao Juventude Campinense, efectuada a 16 de Março em Loulé e ganha pelo Sporting por 6-1.
Recorde-se que Campinense e Santa Clara concluíram os 4 jogos da primeira fase da Taça Nacional feminina (similar a uma Terceira Divisão) com 2 pontos, porque empataram os dois jogos a 1 e a 2 golos. Ambos foram realizados em Ponta Delgada por acordo entre os clubes e porque, devido ao mau tempo, o avião que transportava a equipa algarvia não aterrou.
Valorizando apenas os resultados, o Campinense ficou à frente do Santa Clara por ter melhor diferença entre os golos marcados e sofridos. Um golo faria a diferença se não houvesse esta situação.
Mas porque é o Santa Clara apurado como segundo classificado, agora com 5 pontos, mantendo o Campinense 2 pontos, quando o Sporting B cometeu irregularidades nos dois jogos? Porque quando foi aberto o processo disciplinar (19 de Abril) já se encontravam decorridos mais de 15 dias sobre a realização da partida com o Campinense, pelo que o respectivo resultado (6-1 favorável ao Sporting B) se considera tacitamente homologado.
Assim, a punição ao Sporting no encontro com o Campinense foi de um jogo à porta fechada e de 255€ de multa. Em relação ao desafio com o Santa Clara o Sporting B foi punido com derrota por 3-0 e com 153€ de pena pecuniária.
O Sporting B terminou a série com 9 pontos, o Santa Clara com 5 e o Juventude Campinense com 2 pontos.

Calendário apertado

A segunda fase já começou, mas o Santa Clara, por estar a aguardar a decisão agora conhecida, só fará a estreia a 18 de Maio, defrontando no pavilhão de São Sebastião o Vitória de Santarém, partida relativa à 3.ª jornada. No dia seguinte actua em Faro com o Farense, voltando a jogar em Ponta Delgada, a 25 de Maio, agora com o Torreense. Segue-se a partida a 30 de Maio no pavilhão do Torreense. A 1 de Junho recebe o Farense, finalizando a participação no campo do Vitória de Santarém, a 8 de Junho.
No dois desafios efectuados na série 4 o Farense ganhou, por 5-3, ao Vitória de Santarém, que, perdeu, Sábado, em casa, por 2-0, com o Torreense.
Competem na segunda fase as equipas classificadas nos dois primeiros lugares das oito séries da primeira fase da Taça Nacional feminina.

Edit Template
Notícias Recentes
Mulheres em situação de sem-abrigo em São Miguel estão “em profundo sofrimento psicológico pela situação em que vivem”
Sónia Melo distinguida com o Prémio Cinco Estrelas Regiões na categoria chef privada
“O folclore é sempre o parente mais pobre da cultura”, afirma Filomena Loura, Presidente do Grupo Folclórico da Lomba do Cavaleiro
Tem crescido o número de caravelas-portuguesas avistadas nas zonas balneares do continente e Açores
Comunidade açoriana de Rhode Island apela a David Neeleman para a Breeze Airways fazer voos directos para os Açores
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores