Edit Template

É fácil votar nas eleições europeias

As eleições para o Parlamento Europeu são uma oportunidade única para os cidadãos influenciarem a próxima direção da União Europeia. Votar nos melhores candidatos não só fortalece a democracia, mas também garante que as nossas preocupações e interesses sejam representados de maneira eficaz.
Temos uma panóplia de candidatos nestas eleições, uns mais conhecidos do que outros, em que os melhores têm um profundo entendimento das complexidades das políticas europeias e sabem como navegar pelas intrincadas estruturas do Parlamento Europeu.
Esses podem representar os eleitores com eficácia, defendendo questões cruciais como políticas ambientais, inovação tecnológica política agrícola-comum, pescas, etc., sectores determinantes para assegurar que a nossa Região não perca o comboio do desenvolvimento europeu.
Candidatos experientes trazem um vasto conhecimento e com capacidades desenvolvidas ao longo de anos de serviço ao Parlamento ou mesmo no notório envolvimento em questões europeias. Essa experiência é vital para a criação e implementação de políticas que beneficiem todos os cidadãos, sobretudo das periferias da União Europeia.
Como tal, os melhores candidatos conhecem os corredores do Parlamento e das estruturas da Comissão Europeia e possuem redes de contatos extensas dentro e fora do Parlamento Europeu. Essa rede é determinante para construir alianças e obter apoio para iniciativas importantes, resultando em políticas mais robustas e abrangentes.
Temos visto nesta campanha eleitoral como os diversos candidatos reagem perante as complexas questões ligadas, não apenas à política regional, como também face aos objetivos dentro da União e facilmente percebemos que os mais habilitados para o cargo demonstram a sua genuína capacidade de defesa dos valores fundamentais da União Europeia, como democracia, direitos humanos e solidariedade e nunca deixam os Açores ficarem à deriva perante os interesses dos países do norte.
Os candidatos que conhecem o intricado sistema de funcionamento do Parlamento Europeu podem antecipar desafios e desenvolver estratégias inovadoras para enfrentá-los, pois têm uma perspetiva mais clara sobre como a Europa pode se adaptar e prosperar num mundo em rápida mudança, abordando questões como migração, tão em moda, as mudanças climáticas, a digitalização e mesmo a inteligência artificial.
Como já sabemos, as decisões tomadas no Parlamento Europeu afetam diretamente a vida dos cidadãos em todos os Estados-Membros e as regiões periféricas, como é o caso dos Açores, têm de ter alguém que assegure a sua defesa intransigente, face ao grande loby dos países ricos.
Ao votar nos candidatos mais conhecedores da União Europeia, os eleitores podem ter a garantia que seus interesses serão defendidos em questões como a segurança alimentar, saúde pública, transporte, educação e muitos outros aspetos do nosso quotidiano insular.
Se queremos uma Europa que proteja, também queremos uma Europa que sinta os problemas humanos, mas, acima de tudo, queremos uma Europa viva, com políticas mais próximas dos cidadãos e promova e preserve a identidade europeia.
Para nós açorianos, desta vez é mais fácil votar nas eleições europeias, porquanto importa que tenhamos uma voz que já conheça os dossiers e as matérias que são importantes para o arquipélago que depende em muito das políticas públicas do Parlamento Europeu e das decisões da Comissão.
Sim, é mais fácil quando os candidatos já são conhecidos e têm maior visibilidade e reconhecimento e, por outro lado, tenham uma postura próxima dos eleitores. Eles podem usar tudo isto a favor da causa açorianae de representar condignamente os interesses da nossa Região.
Votar é um direito e uma responsabilidade cívica. Escolher os melhores candidatos para o Parlamento Europeu é investir no futuro da União Europeia e garantir que ela continue a ser um farol de democracia, justiça e progresso.
Os Açores merecem ser bem representados no Parlamento Europeu, pelo que é preciso ir votar e não ficar comodamente em casa.

António Pedro Costa

Edit Template
Notícias Recentes
“Câmara Municipal de Ponta Delgada deixou praticamente de investir na vila das Capelas nos últimos anos”, afirma Manuel Cardoso
“Sou um bocadinho vulcão dos Açores e as minhas equipas reflectem essa personalidade,”assume a treinadora do Sporting, Mariana Cabral
Marcha com mais de 100 marchantes jovens promete hoje muita “brincadeira e diversão” nas Festas do São João da Vila
“Estas ilhas oferecem-nos sensibilidade, alegria, amor e dádiva que nenhum outro lugar do mundo oferece,” afirma António Rego
Maycon Melo veio de Mato Grosso no Brasil para os Açores para fazer do sushi a sua vida
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores