Edit Template

Santa Clara perde no acesso à Taça Nacional

Ao perder, em Ponta Delgada, por 6-3, com o Farense, o Santa Clara não vai passar à fase final da Taça Nacional de futsal feminino. Com 3 pontos em 4 jogos na série 4 da segunda fase, o Santa Clara já não consegue alcançar o primeiro lugar, que dá acesso à discussão do vencedor da prova, através das meias finais e da final com a participação das quatro equipas vencedoras das respectivas séries.
Na partida de Sábado, o Santa Clara marcou logo na primeira jogada, por Sara Almeida. Com outra rodagem e com uma intensidade de jogo superior, o Farense empatou ao minuto 1 por Inês Rosa. Cátia Sousa, aos 4m, deu nova vantagem ao Santa Clara, mas no minuto seguinte um auto golo de Sara Almeida estabeleceu o empate a dois golos. A 6m do intervalo o Farense ficou em vantagem com o 3-2 de Inês Rosa.
Os golos de Vanda Dias (33m) e de Mónica Romão (35m) deram mais conforto às algarvias, que viram o Santa Clara reduzir para 3-5 aos 36m. A marca final de 3-6 sucedeu aos 39m, obra de Lara Antunes.
No feriado de Quinta-feira, o Santa Clara jogou em Torres Vedras a partida em atraso da 1.ª jornada, perdendo com o Torreense por 7-0, com 4-0 ao intervalo.
O Santa Clara joga para a 6.ª e última jornada no Sábado no campo do Vitória de Santarém e no domingo actua em Faro, com o Farense, no desafio em atraso da segunda ronda.
O Torreense, que lidera com 15 pontos, recebeu e venceu, por 3-0, o Vitória de Santarém. O Farense é segundo com 9 pontos e menos um jogo, estando o Santa Clara em terceiro com 3 pontos e também com menos um jogo. O Vitória de Santarém ainda não pontuou.

Edit Template
Notícias Recentes
“Câmara Municipal de Ponta Delgada deixou praticamente de investir na vila das Capelas nos últimos anos”, afirma Manuel Cardoso
“Sou um bocadinho vulcão dos Açores e as minhas equipas reflectem essa personalidade,”assume a treinadora do Sporting, Mariana Cabral
Marcha com mais de 100 marchantes jovens promete hoje muita “brincadeira e diversão” nas Festas do São João da Vila
“Estas ilhas oferecem-nos sensibilidade, alegria, amor e dádiva que nenhum outro lugar do mundo oferece,” afirma António Rego
Maycon Melo veio de Mato Grosso no Brasil para os Açores para fazer do sushi a sua vida
Notícia Anterior
Proxima Notícia
Copyright 2023 Correio dos Açores