Projecto-piloto que vai substituir o papel pelo digital nas provas escritas vai chegar a 700 alunos de sete escolas açorianas

Mais de 700 alunos divididos por sete escolas açorianas irão, já no próximo mês de Junho, fazer parte do projecto-piloto levado a cabo pelo Ministério da Educação, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, que prevê, até ao ano de 2025, a “desmaterialização da avaliação externa” para que provas de aferição, provas de final de ciclo e exames nacionais sejam feitos apenas em formato digital.
Conforme explica Sofia Ribeiro, nos Açores foram seleccionadas sete escolas de seis ilhas diferentes, como a Escola Básica e Secundária da Povoação, na ilha de São Miguel, a Escola Básica Integrada Francisco Ferreira Drummond, na ilha Terceira e a Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira, na ilha do Corvo, a Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico, a Escola Básica e Secundária da Madalena e a Escola Básica e Secundária da Graciosa, por exemplo, sendo do interesse do Governo Regional incluir os alunos açorianos neste projecto.
 “Contactados pelo Ministério da Educação relativamente a este projecto-piloto, nós entendemos que seria do nosso interesse aderirmos para nos irmos apercebendo dos constrangimentos e das dificuldades que vamos sentido nas nossas escolas relativamente a esta tipologia de prova, no sentido de também podermos ir aperfeiçoando e acompanhando aquilo que se vai fazer a nível nacional, sob pena de ficarmos para trás nesta nova tipologia de exames”, explica a Secretária Regional da Educação e dos Assuntos Culturais.
Uma vez que este projecto será implementado de forma faseada, o mesmo irá iniciar com os alunos do 2.º, 5.º e 8.º anos das 42 escolas seleccionadas a nível nacional, correspondendo a um total de três mil alunos, incluindo regiões autónomas, que irão começar por resolver as provas de aferição com recurso a computadores, incidindo nas provas das disciplinas de Português, Matemática, História e Geografia, Estudo do Meio e Ciências Naturais.
Apesar de considerar que não está em risco o sucesso escolar destes alunos, Sofia Ribeiro adianta que este é um “novo desafio” que tem que ser “enfrentado com muito cuidado”, uma vez que estarão em causa formas de avaliação que, num momento mais avançado do projecto, “poderão interferir com os resultados do sucesso escolar dos alunos”, como será o caso dos alunos sujeitos à realização dos exames nacionais pela via digital, previsto para 2024.
No seguimento deste projecto, o objectivo do Ministério da Educação é o de que, já “no próximo ano, todos os alunos destes anos de escolaridade passem a fazer as provas em formato digital”, prevendo que se introduza o projecto piloto nas provas finais de ciclo.
Sofia Ribeiro refere ainda que este projecto “apenas é possível porque o Governo Regional tem feito um investimento ao nível dos equipamentos das escolas que não tinha há dois anos”, recordando que no passado ano lectivo as escolas açorianas foram dotadas com mais de cinco mil equipamentos, nomeadamente computadores, que antes não existiam, e que agora criam condições para que este projecto possa avançar.
A Secretária Regional da Educação e Assuntos Culturais adiantou ainda que durante o dia de hoje decorrerá uma reunião preparatória organizada pelo Ministério da Educação, estendida a todas as escolas, com as coordenadoras dos projectos nas escolas e presidentes dos conselhos executivos em que o Governo Regional dos Açores irá também participar.
 

 

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker