26 de junho de 2022

Recados com Amor...

Meus Queridos! Todos os dias o meu rico Primeiro-ministro António Costa, numa competição com os comentários das oito da manhã às 24 horas do meu querido Presidente Marcelo,… anuncia, através da comunicação social, que trabalha por sua conta… “as cenouras” que vai oferecendo ao povo para mantê-lo longe da crise e da desgovernação que começa a sentir-se em todos os ministérios… Mas o que Costa faz aos portugueses também usa para o estrangeiro, fazendo promessas e ofertando, por exemplo, à Ucrânia um apoio financeiro no valor de 250 milhões de euros, prometendo pagar já 100 milhões este ano, e oferecendo material de guerra, entre o qual se contam 15 blindados que foram já à revisão e estão em condições de seguir para a Ucrânia, via fronteira com a Polónia. São carros de assalto que foram cedidos a Portugal pelos Estados Unidos da América ao abrigo do equipamento militar fornecido em contrapartida do Acordo entre Portugal e os Estados Unidos da América pelas facilidades concedidas nos Açores entre 1989 e 1992. Acontece agora que, segundo fontes militares, o Governo português não dispõem de verbas para custear o transporte do material até à zona de guerra, e anda de mão estendida à espera que a Inglaterra ou a Alemanha possam assumir os custos da operação. A minha prima Maria da Praia diz que não percebe porque é que o Governo de António Costa não pede ajuda aos americanos para entregarem material que já foi oferecido por eles a Portugal… via Açores… ou então inclui as despesas do transporte nos cem milhões que ficou de entregar este ano à Ucrânia por conta dos 250 milhões de euros de oferta… Lá estão os Açores a servir de mealheiro de esmolas usado por Portugal … e depois quando chega a hora de reclamar benefícios da coesão territorial… parece que não sabem isso o que é… e onde se situam as ilhas que dão dimensão a Portugal!

Ricos! A minha prima Maria da Praia, anda muito atarefada com os parentes que chegaram da América para as festas de São João e vão ficar até às festas da Praia… Os parentes andam num corrupio, por todas as freguesias onde há touradas à corda, e os petiscos próprios da ocasião… Mas Maria da Praia anda muito preocupada com os desaguisados que têm vindo a público sobre a promoção turística dos Açores, que pelos vistos está a tornar-se promoção turística distrital, embora os distritos tenham sido abolidos há mais de cinquenta anos… tal como há muitos outros foi abolida a escravatura… Maria da Praia diz que pelo andar da carruagem… das duas, uma… Ou os manda chuva das instituições representativas dos interesses de grupos têm capacidade para se entenderem e dialogarem como pessoas crescidas, ou então estão mal nas funções e responsabilidades que têm e não têm o direito de pôr em perigo a unidade dos Açores, mesmo que o gorgulho seja alimentado pelo poder político que sustenta o Governo Regional…. Meus queridos! Tenham tino na cabeça e lembrem-se que a guerra não constrói…. Destrói!

Meus queridos! Isto agora o que está a dar, para quem anda nas redes sociais, sobretudo para quem delas depende dia e noite, …. São as festas e marchas de São João por todo o lado…. Quase que não há figura nem par que não tenha a sua foto expondo os dotes de marchante e com sorriso até às orelhas, porque realmente isto de festas é um belo remédio para esquecer as agruras de todo o ano e aliviar este stress de cada dia… com tudo a encarecer e o pilim a encolher para quem precisa de comprar os alimentos em cada dia. A minha comadre Florinda diz que na marcha dos “Coriscos” lá estava a encabeçar a dança o meu querido Presidente do Governo José Manuel Bolieiro e por perto lá estava também em grande forma a anterior Secretária Regional das Obras Publicas Ana Carvalho e o marido Duarte Cunha. Antes já tinha sido visto nos acompanhantes da marcha da Terceira que abria o festejo,… o Deputado José Pacheco, que ia distribuindo  sorrisos e fazendo acenos ao povo espalhando na Ilha de Jesus o nome do Chega… A minha comadre Florinda diz que enquanto forem aparecendo os apoios para tanta folia,… menos se vai falando na crise que apesar dela já pesar bastante no bolso dos mais pobres … é um assunto que vai ficar para ser discutido nos frios dias de Inverno… Éque depois de dois anos de pandemia e confinamentos … até é bom sentir as multidões na rua, dentro da nova normalidade e só se espera que os números da Covid não disparem, porque isto de ficar doente num tempo destes não está fácil para ninguém porque os médicos, enfermeiros e outros técnicos de saúde, além de serem poucos, também têm direito a gozar férias…
Ricos! A minha prima Maria da Praia ligou-me esta semana para dizer que muito tinha gostado do grande concerto que aconteceu na Praça Velha de Angra, num dos palcos das Sanjoaninas, e que juntou as magníficas do FadoAlado com a banda Harmonia Mosteirense, num momento ímpar de verdadeira cultura, com a Praça Velha cheia como um ovo, a provar que mesmo no meio de festas populares ainda é possível verdadeira cultura, com nível digno de qualquer espaço no mundo e também como é possível aliar um são humor e uma descontraída apresentação à seriedade da música e das interpretações. A minha prima Maria da Praia diz que foi para casa de alma lavada e “alada” com tanta “harmonia” … o que me deixou a pensar… como seria bonito ver, com o meu vestido azul-bandeira, um concerto daqueles nas Noites de Verão, depois do êxito que já tiveram no Teatro Micaelense e aqui na minha cidade norte, no velhinho e sempre renovado Teatro Ribeiragrandense.

Meus queridos! E já que estou a falar das Sanjoaninas, também não posso deixar de mandar um ternurento beijinho para os bombeiros de Vila Franca do Campo, cuja charanga esteve na cidade-património mundial… a animar as festas, desfilando pelas ruas e apresentando cumprimentos ao alcaide-mor, Álamo de Meneses. O novel Presidente dos bombeiros da velha Capital, o sempre charmoso Rui Carvalho e Melo, desde que tomou posse, não tem parado e depois da grande festa de anos da Associação, que este ano e fez em Ponta Garça, já recebeu das mãos do Presidente da velha Capital, Ricardo Rodrigues, a medalha de ouro do município e agora rumou a Angra, ainda a tempo de regressar e estar na Vila a abrir o desfile das marchas da noite mágica… que cada vez mais se divide entre Angra e a velha Vila, com milhares de micaelenses a demandar a rua da Sé onde este ano os “Coriscos” marcharam ao ritmo da música de João Oliveira e com letra de Piedade Lalanda…

Ricos! E já que estou em maré de falar de festas de São João, a minha prima Maria da Vila esta semana estava pior que estragada e até me pediu para eu dar um toque a quem de direito, nos meus recadinhos, porque ela ia sendo levada à frente de um popó quando teve de andar quase toda a Rua Teófilo de Braga, mais conhecida como rua direita, sempre dentro da faixa de rodagem porque dois dias antes das marchas já todos os passeios da Vila estavam ocupados com cadeiras, cadeirões e pesados maples de sala de quem não se importa de tapar passeios e a porta das pessoas para depois ver as marchas sentado…. E o pior é que até no lugar onde param os autocarros, mesmo frente à Matriz, fica tudo entupido com cadeiras, obrigando a camioneta a esperar no caminho que abrissem espaço, … Além disso ainda estão prontas a discutir se, … se sentam nas cadeiras que… “são minhas”… Diz a minha prima que tem de haver uma norma impondo que as cadeiras só possam ser colocadas no dia… e a partir de certa hora da tarde… e quem não obedecer terá de as levantar depois no armazém da Câmara ou na polícia, pagando, no caso, a devida multa de ocupação ilegal de espaço… Ponto final… É que quando houver uma desgraça, todos vão fugir com o rabo à seringa…

Meus queridos! Enquanto alguns andam para aí a fabricar ficção para cinema ou televisão, sem medir a linha que deve separá-la da realidade e sem medir as consequências de mexer com assuntos que ainda estão muito na memória das pessoas, que não são tabu, mas que não podem ser tratados ao deus-dará e ao sabor mais ou menos fértil de cada imaginação, enquanto alguns andam nisto, outros vão fazendo o melhor que sabem para promover terras e gentes que bem merecem… A TVI, depois de ter estado na velha capital, agora tem estado a gravar um programa chamado “Mesa Nacional”… E ainda há poucos dias esteve em Rabo de Peixe, perante o espanto e a alegria de muitos residentes. Disse-me a minha prima Teresinha que entre os espaços filmados esteve os “Valentes do Mar”, onde não faltaram as iguarias queridas dos pescadores, …assim como momentos de muita música e umas boas cantigas e trinados de viola… Vai um ternurento beijinho para os organizadores e para o meu querido e sempre pronto anfitrião dos Valentes do Mar, Afonso Quental…

Ricos! Lá para os lados do Faial da Terra houve festa rija para a inauguração do novo espaço de recreio junto ao mar, com a sua pequena piscina, o seu bar e também com o içar da Bandeira Azul… Tudo feito com pompa e circunstância, pelo edil mor da Povoação, Pedro Melo, e Junta de Freguesia. E como é costume, lá apareceram os fundamentalistas do Ambiente, multiplicados nas redes sociais, a dizer que era um erro e uma vergonha uma piscina de água doce tão perto do mar, onde se devia ir buscar água salgada… Mesmo que haja água doce a correr para o mar, num lugar onde ela felizmente é abundante, só porque sim, deveria gastar-se um balúrdio em montar um sistema de trazer água salgada para terra. Claro que todos, mas todos, devemos estar atentos ao Ambiente e à economia da água… mas poupar no farelo para desperdiçar na farinha é coisa de quem gosta de falar por falar… e a verdade é que água suja não dá bom banho!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker