“Algum ligeiro aumento da criminalidade não tira a tranquilidade e segurança a residentes e turistas nos Açores”

Na reunião que decorreu na Secretaria Regional de Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, José Manuel Bolieiro fez no final uma declaração, reafirmando que “o Gabinete de Segurança da Região Autónoma dos Açores conta com todas as instituições empenhadas, participativas e dedicadas com competência na gestão dos escassos meios e recursos que têm, optimizando a sua actuação nos Açores. Esta referência justifica também, em nome Governo dos Açores uma saudação, um cumprimento de louvor à actuação de todos os membros deste Gabinete de Segurança da Região Autónoma dos Açores”.
Em jeito de conclusão, “os Açores têm uma estabilização no sentimento de segurança em geral”. Deste modo, “somos uma Região com comportamentos, no que diz respeito à criminalidade, de sensação de segurança e de tranquilidade, não só para residentes como também enquanto destino turístico, de visita e de estada”.
Apesar desta realidade, o Presidente do Governo não pôde, no entanto, deixar de reconhecer, “um crescimento na criminalidade ligada ao estupefaciente e à informática. Não é anormal, no contexto nacional, mas há um efectivo crescimento nesta matéria e com isso, é bom que possamos estar vigilantes e obviamente atentos naquelas que sejam as diligências políticas, públicas, minimizadoras deste destes fenómenos”.
Sendo solidário com as populações e com as entidades, José Manuel Bolieiro respondeu ao apelo de “poderem contar com o Governo Regional dos Açores também como um parceiro na reivindicação, justa, de mais meios e recursos por parte do Governo da República, numa população que tem a demografia que tem, mas que também tem a sua dispersão geográfica”.
A mensagem que todas as instituições de segurança transmitiram ao Presidente do Governo Regional dos Açores, é que “estamos numa terra  segura, apesar do crescimento de procura que estamos a ter, enquanto destino turístico”, notando “empenho e sobretudo, um planeamento à distância, que todas estão a fazer, apesar de haver alguns fenómenos específicos, designadamente quanto ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, tendo em conta as soluções nacionais, onde apesar desta instabilidade quanto ao calendário de reorganização, o que notei foi um empenho total, sem perturbação com que estão a desempenhar com competência a sua missão”.
A propósito da reorganização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, José Manuel Bolieiro afirmou que “haverá especial sensibilidade para o fenómeno específico dos Açores”, nesse plano, quer no diz respeito à sua calendarização e organização.
Ainda no que toca à cibersegurança, o Presidente do Governo Regional dos Açores apela todas as entidades públicas e privadas para a necessidade de reforço de meios e de tecnologia. “Aqui tem de haver um exercício de sensibilidade relativamente a esta matéria”.
Na questão da criminalidade, José Manuel Bolieiro afirma haver, de facto, “alguma criminalidade, mais ao nível comportamental e social”, aproveitando a oportunidade para relevar a “importância do reforço policial, que possa servir de proximidade como força dissuasora criminal”. No demais, apelou à responsabilidade pessoal e social da população, recusando que possa haver algum alarme social quanto a um eventual aumento da criminalidade, que apesar de registar um ligeiro aumento, ainda é reduzido, havendo ainda um sentimento de segurança nos Açores. “Sempre que for possível, reforçar nos serviços periféricos dos Estado, meios e recursos, desde logo humanos, é bom para o processo dissuasor da prática criminal”.

Marco Sousa *

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker