Emiliana Cabral teve de trabalhar para conseguir pagar o curso dos seus sonhos

Weddihair inaugurado esta semana no Centro Comercial Sol Mar Avenida

Weddihair by Emiliana Cabral está no piso 0 do Centro Comercial Sol Mar Avenida. Embora o nome do espaço seja novo, esta cabeleireira já trabalhava, há algum tempo, num outro espaço, na Ribeira Seca, no Concelho da Ribeira Grande.
Em Ponta Delgada, a Weddihair foi inaugurada na segunda-feira. Curiosamente, à terça-feira, no dia em que o salão abriu as portas, estará, a partir de agora, de folga. “A maior parte dos cabeleireiros ou barbeiros estão fechados à segunda-feira, mas nós estaremos abertos, folgando apenas no domingo e à terça-feira”, relevou a Emiliana Cabral, de 28 anos de idade, à nossa reportagem.
Nos outros dias da semana, inclusivamente aos sábados, o horário de funcionamento é das 09h00 às 18 horas.
“Sem qualquer marcação no primeiro dia, muita gente apareceu aqui no salão e o feedback foi muito positivo. Fico muito agradecida por isso, porque muita gente prometeu voltar”, enalteceu.
“Trabalhamos essencialmente por marcação e convém que assim seja, porque este é um local de passagem de muitos turistas, para os clientes também não correrem o risco de ficarem muito tempo à espera. Contudo, sempre que aparecer alguém sem marcação prévia não deixará de ser atendido por um dos nossos colaboradores”.

Proposta irrecusável

No momento são três os cabeleireiros e uma manicura que ali prestam os seus serviços.
“Tudo foi pensado” com conta, peso e medida, até a equipa, já que todos os colaboradores aceitaram o novo desafio. “A proposta foi irrecusável. Anteriormente estávamos num espaço alugado na Ribeira Seca, na Ribeira Grande, mas esta nova realidade enche-nos as medidas”.
Para consolidar a sua posição no mercado, Emiliana Cabral e Carla Salgadinho, da Weddibride, vão agora trabalhar em sintonia a pensar nas suas clientes e na qualidade dos serviços.
Recorde-se que a Weddibride é a loja onde as noivas podem ter o que precisam. Vestido, acessórios, sapatos, convites, lembranças, decoração ou ajuda na organização do casamento ou outra qualquer cerimónia.

Trabalhar para poder tirar o curso

Emiliana Cabral tirou o curso na Forcabe – Formação de Cabeleireiros e Estética, há cinco anos atrás. A profissão de cabeleireira era um sonho, mas como a família não tinha possibilidades de ajudá-la, a nossa interlocutora passou a trabalhar, numa empresa do ramo da manutenção e limpeza, enquanto estudava. “Foi assim que consegui pagar o curso, com muito sacrifício”, recorda, denotando ainda uma capacidade e ambição fora do comum, de poder chegar ainda mais longe.
Emiliana Cabral ia todos os dias da semana para Ponta Delgada tirar o curso de Cabeleireira, e teve de prescindir de muita coisa para poder pagar os cerca de 5 mil Euros, que foi quanto lhe custou a formação.
Natural de Rabo de Peixe, Emiliana Cabral é um exemplo de persistência, que nunca deixou de sonhar. Aliás, a sua persistência fez dela uma vencedora. “Sempre me mantive focada nos meus objectivos e nunca iria investir em algo que não gostasse”.
Apesar de reconhecer que não tem muito tempo livre fora da esfera do trabalho (muito menos agora), sempre disse que releva “o tempo que está com a família”. Fotografar é um outro hobby, que sempre que pode, gosta de registar.

“Poder elevar a autoestima das clientes”

Entretanto, o tempo passou e Emiliana Cabral já tem um bom leque de clientes. Mas o que lhe move? “Ver um sorriso na cara das pessoas é o que mais importa”. Um corte de cabelo ou uma coloração “ajuda a mudar a aparência e elevar a autoestima”.
O salão é unissexo e isto significa que não é exclusivamente para senhoras, e os homens também são bem-vindos. E o local onde está a Weddihair by Emiliana Cabral, no Centro Comercial Sol Mar Avenida, tem maiores probabilidades de atrair clientes.
Emiliana Cabral cedo tentou aprender a profissão, quando tinha apenas 14 anos de idade. Depois de tirar o curso, começou a trabalhar e agora só pensa em “consolidar a sua posição no mercado”. Entretanto, “como em qualquer outra área e nesta em particular, perdemos clientes, mas ganhamos outras. Tenho clientes da Ribeira Quente, das Furnas, da Achadinha e de todo o lado, que sei que me seguem e são fiéis, e por este motivo estou muito grata”. Por exemplo, quando conversávamos ontem, estava lá uma cliente da Ribeira Grande, que nos confidenciou: “Quando ela me disse que ia ter um novo espaço em Ponta Delgada, disse-lhe que, para onde fores, vou, menos para fora da ilha”.

Marco Sousa *

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker