6 de setembro de 2022

Jovens embaixadores europeus

Neste Ano Europeu da Juventude, a escola de verão, da Representação da Comissão Europeia, em Portugal, rumou até ao concelho mais jovem de Portugal, ou seja, à Ribeira Grande. Este summerCemp juntou estudantes do ensino superior, com um leque diverso de protagonistas de vários setores, nestas ilhas inspiradoras para aprenderem mais sobre o projeto europeu, através de formatos açorianos específicos.
A Vila de Rabo de Peixe foi o cenário dos primeiros dias deste summerCemp, com debates, exercícios em equipa, atividades que aproveitaram os recursos locais e muito espaço para conversas, perguntas e opiniões diferentes. Um areópago que promoveu e projetou a Vila de Rabo de Peixe, que mostrou como sabe acolher os visitantes e proporcionar-lhes momentos inolvidáveis, com vivências incríveis que ficarão para a vida.
Os participantes começaram por embarcar em cinco barcos de armadores de Rabo de Peixe, ainda o sol dormia, e puderam, numa experiência inaudita, inteirar-se das dificuldades com que os pescadores se deparam no dia-a-dia, principalmente quando as condições atmosféricas não permitem pescar, pelo que a falta de apoios europeus para a reconversão da frota se faz sentir, sem que, em alternativa, o Governo de República tenha olhado para esta situação urgente. Os jovens puderam ainda experienciar o saber ancestral dos pescadores e o à-vontade de cada armador para esclarecer as suas dúvidas. 
Foram 40 os participantes, para além dos coordenadores, que puderam ir para o mar e materializar anseios de há muito. Tomemos o exemplo de um daqueles jovens, todos eles com formação superior, neste caso, o João Paiva, oriundo do Porto, de 26 anos idade, que possui o Mestrado em História & Economia, pela Universidade de Bayreuth, Alemanha, para além da uma Licenciatura em Direito, pela Universidade do Porto e de outra Licenciatura em História, pela Universidade de Coimbra. Inscreveu-se na escola de verão da Comissão Europeia e pode concretizar um dos sonhos da sua vida, o de ir pescar em pleno Oceano Atlântico. 
Ainda muito novo, ele fez algumas tentativas, saindo muito cedo de casa até à Afurada, a mágica vila de pescadores à beira do Porto, fazendo algumas investidas junto dos pescadores para poder ir a bordo de um dos barcos e experienciar como era a vida no mar. Um sonho sempre adiado e frustrações acumuladas, dado que existem muitas limitações para se embarcar com segurança e poder participar na faina da pesca. As normas são muito restritivas, pois os pescadores não querem correr o risco de deixar entrar estranhos na embarcação, sob pena de pesadas multas, pelo que o João viu sempre delongada a sua pretensão de ser pescador por algumas horas. 
Em Rabo de Peixe, ele teve, finalmente, a oportunidade de no programa do summerCemp ter sido organizada uma saída ao mar, devidamente autorizada e em condições de segurança, permitindo aos alunos da escola de verão madrugaram. Com efeito, pelas 6 horas da manhã, lá estavam eles prontos para arrearem e partirem para uma aventura, que se veio a mostrar muito enriquecedora, porquanto vivenciaram o fascínio de uma arte de risco, que só os corajosos homens do mar conseguem enfrentar na labuta diária e dali retirarem o sustendo para si e para os seus.
O João Paiva, tal como os outros alunos, tem agora uma história, que se tornou numa fascinante aventura, para contar aos familiares e amigos, dado que não é todos os dias que se pode ter o ensejo único de estar lado a lado com os bravos pescadores, desafiando as alterosas ondas do mar, muitas vezes em condições muito precárias, e poderem exercer a sua profissão.
O João, ao pôr os pés em terra, pode dizer que concretizou um sonho, mas esta satisfação veio embalada com um sabor amargo, por ver como os pescadores de Rabo de Peixe, tal como a maioria dos pescadores da ilha de S. Miguel, se dedicam ainda a uma pesca quase arcaica, com tradição e em condições precárias, ficando, todavia, impressionado com o uso sustentável dos recursos naturais nestas ilhas e da resiliência destes bravos homens do mar.
A partir de agora, Rabo de Peixe ganhou novos “embaixadores” que não se deixarão levar pelas balelas das parangonas jornalísticas pouco fundamentadas e também uma oportunidade para aprofundar o diálogo entre diferentes atores sobre o debate do que poderá ser feito para se arrancar um estigma de uma localidade inserida numa Europa em que todos os europeus se revejam totalmente. Só assim esta iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal, que nasceu da necessidade de envolver os atuais e os futuros líderes de opinião no debate sobre a União Europeia, poderá mobilizar a geração jovem, em torno do que é e do que pode ser o projeto europeu e o papel da Comissão Europeia. Venham outras.

António Pedro Costa

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker