11 de setembro de 2022

Recados com Amor...

Meus Queridos! Tinha pensado que nos meus recadinhos de hoje iria falar sobre os benefícios das medidas anunciadas pelo Governo do Primeiro-ministro António Costa para combater os efeitos da inflação no custo de vida… já que o novo marketing do Governo mandou colar em vários sítios o slogan que diz: “As famílias primeiro”. Perdi então um bocado do meu tempo a estudar as oito medidas, sendo que as duas mais badaladas respeitam… a primeira ao pagamento extraordinário de 125€ a cada cidadão não pensionista com um rendimento até 2.700€ mensais brutos, apoio que vai ser pago em Outubro e fica isento de IRS… A segunda é o pagamento de 50€ por cada descendente, criança ou jovem a cargo, até aos 24 anos de idade, independentemente do rendimento da família. As outras medidas, ficam-se pela descida do IVA da electricidade, desconto na factura do gás e nos combustíveis. Fazendo as contas por junto, tais medidas cheiram a poucochinho… já o pobre dizia… “miolos juntos fazem pão”… Mas perante a subida avassaladora da inflação e dos custos que ela provoca na alimentação e nos demais encargos das famílias… e não querendo ser desmancha-prazeres… a verdade é que não vislumbro grande benefício nas medidas de apoio “As famílias primeiro”…. Isso para não falar no apoio aos reformados, que ainda não se percebeu o que o Governo quer fazer com as pensões e com os pensionistas… Ainda não se conhecem os acrescentos que o Governo Regional anunciou que irá fazer…. mas, o que é digno de realce é a prontidão do município  do meu rico Presidente da Câmara da minha cidade norte, Alexandre Gaudêncio, que vai apoiar famílias do concelho que tenham rendimento per capita até 214 euros, com o objectivo de reforçar as medidas nacionais de combate à inflação… Cá para mim e pelo andar da carruagem… ainda vai correr muita água debaixo das pontes, até sabermos onde vamos parar com essa anunciada crise que se segue à pandemia!...

Ricos: A festa do Coração de Jesus da minha querida paróquia de Nossa Senhora da Estrela, realizou-se no passado Domingo, e fez-me recuar no tempo, com a iluminação da fachada da igreja a preceito, fazendo-nos imaginar que as grandes obras que estão em curso naquele vetusto templo já tinham terminado e que poderíamos, finalmente, poder admirar um dos mais amplos e belos templos dos Açores. Fez bem o prior Manuel Galvão em levar a imagem do salão para a igreja em obras, cumprindo a tradição da cerimónia de despedida, que virou moda na nossa ilha. Foi um momento muito bonito que o povo aplaudiu e assistiu com entusiasmo ao fogo-preso, e eu e a minha comadre Leopoldina, que veio do Nordeste de propósito para assistir às festas de Verão da minha paróquia, não quisemos deixar para trás nenhum momento do programa, e até fomos assistir à missa dos emigrantes, uma novidade que veio para ficar para homenagear quem saiu da sua terra natal em busca de melhor vida. Ainda estou derreada devido à trabalheira que me deu o tapete de flores que fiz em frente à minha casa, para a passagem da procissão. No Sábado, eu e a Leopoldina tínhamos ido até à Junta de Freguesia da Matriz, mesmo sem sermos convidadas, para assistir à cerimónia do Dia da Freguesia, onde houve a atribuição de distinções honoríficas, atribuídas ao empresário Albano Vieira, ao Centro de Bem-Estar Jacinto Ferreira Cabido e a João Carlos de Sousa Carvalho. Daqui mando um beijinho ternurento ao padre Manuel Galvão pela bonita festa, fazendo votos que no próximo ano estejam concluídas as obras na Igreja Matriz da minha cidade norte.


Ricos! A minha comadre Jacinta, que mora na Povoação, telefonou-me a perguntar se eu sabia a data em que o meu querido Presidente Bolieiro estaria em Ponta Delgada para que ela viesse a Sant’Ana tentar falar com ele, porque tem telefonado para marcar uma audiência, tem mandado e-mails e nem resposta nem mandado… A aflição de Jacinta prende-se com o futuro da Escola Profissional da Vila… Lá tentei explicar-lhe que o Presidente tinha vindo do Espírito Santo em Fall River e depois esteve esta semana na Horta na Assembleia Legislativa… e vai com uma caterva de membros do Governo passar uns dias à Madeira para reunir com o Governo de Miguel Albuquerque e firmar acordos entre as duas Regiões… acrescentando que com todo esse reboliço falta tempo para acudir a outras coisas… e despachar o que é preciso despachar… Prometi a minha comadre Jacinta que logo que saiba que o meu rico Presidente Bolieiro aterrou em Sant’Ana… logo lhe dizia para ver se ela consegue chegar à fala com alguém!


Meus Queridos! A minha sobrinha neta foi para Lisboa continuar os estudos na universidade a que havia concorrido… e como tem de apanhar o transporte desde casa até à universidade foi tratar do passe, que pelos vistos é gratuito para os lisboetas… Pensava ela que também tinha direito a usufruir daquele privilégio, mas levou com um balde de água fria quando lhe disseram que aquele beneficio só se aplica a quem tem residência em Lisboa… Como ela não tem papas na língua, imediatamente disparou dizendo, mas eu para estudar em Lisboa tenho de morar em Lisboa, apesar de ter a minha residência oficial em São Miguel… e acrescentou, não é favor a Câmara Municipal de Lisboa estender a gratuitidade do passe a todos os estudantes em Lisboa, porque vivendo em Lisboa vamos contribuir para a economia local, através dos gastos de casa e de alimentação que vamos ter ao longo do ano. É assim que vai a política seja ela municipal ou nacional. A medida da Câmara de Lisboa é discriminatória e a minha sobrinha neta espera que a Associação de Jovens Açoreanos Unidos dos Açores consigam chamar à razão os responsáveis da Câmara Municipal de Lisboa….  


Meus queridos! Quando aqui, na minha Rua Gonçalo Bezerra, no meu cantinho da sala, comecei a escrever os meus recadinhos desta semana, para os ir entregar ao simpatiquérrimo director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, lembrei-me que neste Domingo, 11 de Setembro, se completam 21 anos sobre a data em que o mundo ficou suspenso com a notícia do atentado às Torres Gémeas, nos States, com todas as consequências que alteraram a ordem estabelecida e foram ponto de partida para a nova guerra macabra e terrível do terrorismo que tem marcado este quase primeiro quartel do Século XXI e que agora, nesta semana que termina vê desaparecer um dos ícones marcantes dos últimos setenta anos, na Europa e no mundo, com a morte de Isabel II, a Rainha! Para quem vai envelhecendo, o desaparecimento desses símbolos e o surgimento desta nova civilização ditada pelo ódio e pela cobardia política e económica é sinal preocupante de um mundo diferente em que é cada vez mais difícil aprender a viver…


Meus queridos! Ouvi com toda a atenção a entrevista que o Papa Francisco deu à jornalista Maria João Avilez e que foi transmitida em duas partes na CNN/TVI. Devo dizer que foram belos momentos de saudável humor e de agradável conversa, embora sem novidades, tal como era de esperar. O Papa Francisco, como sempre, mostra-se um atento ouvinte, mesmo das palavras em língua portuguesa, a que foi respondendo no seu “Portunhol”, como ele mesmo disse… Mas o que mais me ficou na retina, para além da sua afirmação de que “para mim, Portugal é Fátima”,… foi a da incerteza se viria ou não no ano que vem às Jornadas Mundiais da Juventude… “Gostava muito de ir, mas se não for eu, há-de ir João XXIV”… Quando tanto se especula sobre a breve renúncia do Papa Francisco, ser ele próprio a sugerir, mesmo que brincando, um nome para o seu sucessor, pode ser premonitório. O que se sabe é que, depois de um inusitado consistório de criação de cardeais em pleno mês de Agosto e do chamamento ao Vaticano de todos os Núncios, em tempo de férias, é caso para pensar que algo pode estar na forja, digo eu que sou mulher de poucos conhecimentos vaticanistas…


Ricos! Estou a combinar com uma das minhas amigas de peito fazer uma visita ao recém-inaugurado Centro Interpretativo da Geotermia, na recuperadíssima “Casa das Caldeiras”, que se torna mais uma atracção ao já muito concorrido espaço aqui nos arredores da minha cidade norte. Só depois de lá ir e tentar usufruir da interacção que os equipamentos lá montados permitem é que darei a minha opinião porque, por mim, acho que uma das funções de um centro interpretativo é dar a conhecer o pioneirismo desta forma de energia limpa que nasceu, logo nos alvores da Autonomia dos Açores, como sonho com futuro e que tantos que depois se tornaram cristãos-novos da geotermia, quando no princípio mofaram e até combateram… Como diz minha prima Jardelina, desses não reza a história, mas eu acrescento que é preciso que a história não esqueça os verdadeiros pioneiros, alguns dos quais ainda por cá andam, vivinhos e de boa saúde e memória…


Meus queridos! Nunca se imaginou que a corrida às máquinas de recolha de embalagens para reciclagem de vidro, fosse tão grande… ao ponto de em todos os lados onde estão instaladas, já serem insuficientes para recolher a oferta, …. Ao ponto de se formar bichas das pessoas que aguardam a vez de colocar o vasilhame na dita máquina… O problema é que como a oferta é muita, as máquinas ficam completamente entupidas. Agora até já foi posto um limite por pessoa de 500 latas ou garrafas o que dá por mês o máximo de 25 euros… Independentemente de tudo… este novo equipamento veio mostrar como ainda há tanta gente entre nós que necessita mesmo daqueles trocos para viver. E, pior ainda, veio criar uma nova actividade que são os catadores de embalagens que nos contentores de lixo e nos ecopontos, reviram tudo à procura de embalagens para colocar nas máquinas… E ainda por cima deixam o lixo revirado, pelo chão com os sacos esventrados. Ou seja, uma medida com tudo para ser boa, revela-se em pouco tempo um espelho da sociedade e das misérias que ainda temos… Não está fácil e diz a minha prima Teresinha que o milagre das rosas a 125 euros nada adianta…


Ricos! E a propósito dos 125 euros e de outras medidas do Governo do Primeiro-Costa para ajudar aos efeitos da inflação, eu que vivo com a minha magra reforma de funcionária da Caixa, aqui na minha cidade-norte, ainda não entendi nada dos anúncios soltos e repetidos que vão sendo feitos por aí e gostava era de saber concretamente por cá, nos Açores, que medidas vão ser tomadas e se desta vez vão fazer valer a capacidade de decidir com as margens e poderes da Autonomia. O Primeiro-Costa é exímio nas contas e já conseguiu, com um prato de lentilhas este ano, reduzir para metade a percentagem de aumento nas pensões que deveria dar para o ano e que ficaria para os anos seguintes… Assim, come-se agora o prato de lentilhas, de boca calada e no futuro amanhas-te com o que vier… Por isso gostei tanto da frase do sempre atento director do Diário Insular, na entrevista que deu ao velhinho e sempre renovado Diário dos Açores: “Pôr comida na mesa vai tornar-se cada vez mais difícil”.

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker