Açores precisam de mais 40 carteiros para o correio chegar em tempo útil

 Faltam 40 carteiros nos Açores, razão para os graves problemas de distribuição, nomeadamente, na ilha de São Miguel.
O tempo de entrega pelos correios tem vindo a aumentar e não difere muito nos Açores. As críticas aos CTT são recorrentes. O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios justificou à Antena 1 Açores com o aumento da carga de trabalhos sem que a empresa contrate funcionários.  
Correio Verde, Correio Azul ou Expresso, há cada vez menos diferença no tempo de entrega nos Açores. O volume de correio aumentou na ordem dos 60%, sobretudo o Expresso, revela o sindicato nacional dos Correios e Telecomunicações que deixa claro que sem “ovos não há omoletes”. Os carteiros, pelo seu número exíguo para o trabalho que têm, não conseguem dar resposta. Falta gente para trabalhar em todas as ilhas. “Sabemos que há ilhas mais pequenas, onde não há tanto atraso no Correio mas a empresa precisava de contratar à volta dos 40 carteiros na Região”, disse o sindicalista Filipe Nunes à Antena 1 Açores.
É a imagem dos carteiros que está em causa. “Estamos sempre ouvir reclamações. As pessoas não são todas iguais, mas damos o nosso máximo”, afirma Filipe Nunes.
O Sindicato vai fazer um périplo nacional, agora com paragem nos Açores. O que é certo é que as condições de trabalho dos carteiros são piores desde que os carteiros foram privatizados. “A empresa diz que não tem dinheiro para dar aumentos aos trabalhadores, quando é mentira. Dividem os lucros e os dividendos pelos accionistas”.
Há mais de 10 anos que os trabalhadores dos Correios reivindicam aumentos que acompanhem a inflação. A última actualização salarial rondou os 7.50 euros.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker