Açores com “neutralidade climática até 2045”

O Grupo Parlamentar do PS e a Representação Parlamentar do PAN apresentaram ontem uma proposta conjunta para a criação de um regime geral da acção climática na Região.
Em conferência de imprensa, em Ponta Delgada, o deputado do PAN, Pedro Neves, explicou que o posicionamento geográfico e a natureza arquipelágica colocam os Açores numa posição cada vez mais fragilizada perante os fenómenos climáticos extremos.
 “Precisamos de mudanças profundas nos vários sectores socioeconómicos, mas precisamos sobretudo que estas mudanças se operacionalizem tendo por base um conjunto de políticas coerentes, complementares e, sobretudo, transversais entre os vários órgãos governativos”, defendeu o deputado Pedro Neves.
Já o deputado do PS, Vílson Ponte Gomes, salientou que a defesa do ambiente, em todas as suas frentes, “é uma causa que o PS/Açores e o PAN abraçam”, mas defendeu que “este deve ser um combate de todos e por todos”, porque “todos temos a obrigação preservar o nosso planeta”.
O parlamentar do PS realçou que o diploma “estabelece metas ambiciosas”, como a obtenção de uma “taxa de produção energética a partir de fontes renováveis de 80% em 2035”.
PS e PAN propõem ainda que os órgãos de Governo Próprio da Região, assim como as empresas do Sector Público Empresarial, “deixem de adquirir veículos ligeiros movidos a combustíveis fósseis, mesmo que parcialmente (viaturas híbridas)”, devendo essa descarbonização das frotas automóveis públicas “atingir uma percentagem de 50% em 2040”.
“Os Açores devem atingir a neutralidade climática até 2045”, conclui.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker