Bolieiro volta a sublinhar que Açores são referência estratégica para futuro da Europa

O Presidente do PSD/Açores José Manuel Bolieiro afirmou ontem que os “Açores constituem uma referência estratégica para a Europa”, sublinhado que “somos uma vantagem competitiva relativamente ao presente e, principalmente, ao futuro da União Europeia e para Portugal”.
José Manuel Bolieiro falava na sessão de abertura das 1ªs Jornadas Interparlamentares que decorrem em Ponta Delgada até hoje, reunindo os deputados social-democratas do Parlamento Europeu, das assembleias da República e Legislativa dos Açores.
O líder dos social-democratas açorianos, citado, considera essencial “mudar o chip das Regiões Ultraperiféricas relativamente ao distanciamento, o isolamento, a pobreza e pequenez”, para colocar os Açores no lugar que ocupam verdadeiramente, pelo “valor que acrescentam à Europa”, salvaguardou. “Se no entendimento do território incluirmos a componente terrestre, tal como se impõe, assim como o espaço marítimo e aéreo, somos uma vantagem competitiva relativamente ao presente, e sobretudo, ao futuro da União Europeia e para Portugal”, ressalvou.
Tal implicará investir na “capacidade reivindicativa e da promoção, de intensificação de princípios como os da coesão territorial, da coesão social, no quadro das políticas públicas comunitárias”, destacou., sublinhando que “esta dimensão verdadeiramente marítima da União Europeia deve-se às RUP, que precisam, efectivamente, com justiça, de ver reconhecidas as suas reivindicações para o auxílio ao seu desenvolvimento”, frisou.
Nesse sentido, o dirigente do PSD/Açores elevou que “os Açores são mais importantes que o valor até hoje atribuído”, impondo-se assim uma “afirmação patriótica dos conteúdos afirmativos, em nome do futuro”.
José Manuel Bolieiro apontou os diversos sectores para os quais a Região tem colaborado, desde “a economia azul, ao desenvolvimento sustentável, as questões das alterações climáticas, a excessiva carbonização da nossa economia, a aposta na transição digital e energética, como referências para o desenvolvimento sustentável, de uma economia não extractiva, mas mais valorativa dos recursos endógenos”.
Daí que “a disrupção que gostaria de ver sobre a nossa participação na integração europeia é de, em vez da mão estendida, passarmos a ter a capacidade demonstrativa do valor que acrescentamos à Europa”, acrescentou.
Isto desde o desenvolvimento sustentável à dimensão marítimo-espacial, “se associarmos à ciência, à inovação, à investigação, um capital endógeno incomensurável para o desenvolvimento futuro do planeta para a importância estratégica e geoestratégica da Europa”, declarou.
“Sinto orgulho de ser açoriano e quero que os Açores tenham importância no futuro de Portugal, da Europa e do Mundo”, finalizou, citado, José Manuel Bolieiro.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker