25 de outubro de 2022

Opinião

Firmeza e transparência

 As empresas do grupo SATA têm sido, de entre todas as empresas públicas da Região, as mais escrutinadas dos Açores, desde a saída do Engº. Cansado da presidência do Conselho de Administração do grupo.
Segundo julgo saber, a saída daquele reputado técnico deveu-se a desentendimentos com a tutela, ou seja, com o Governo Regional, na altura liderado por Carlos César. 
Falou-se até que tudo se deveu à pretensão de César em imiscuir-se na política das rotas que  a SATA Internacional – hoje AZORES AIRLINES – deveria optar, mesmo que se desconhecesse se haveria, ou não, sucesso na opção sugerida pelo governo.
Se bem me lembro - como diria Nemésio - julgo que, até aquele momento, o grupo SATA não tinha apresentado prejuízos ou, se eventualmente os teve, foram de pouca monta. Com as sucessivas administrações escolhidas pelos governos do Partido Socialista o grupo SATA entrou em “vôo picado” em direcção ao abismo.
Com a escolha da equipa administrativa actualmente em funções, apesar de terem encontrado um grupo de empresas deficitárias conseguiram, em relativamente pouco tempo, começar a equilibrar as contas apresentando já algum lucro, em termos de exploração deste ano.
Ora, como o passivo da SATA é gigantesco para a nossa realidade, o resultado agora conhecido dá-nos uma certa esperança de início na recuperação total do grupo.
Li algures que o Presidente do Conselho de Administração do grupo SATA tinha ido, um dia destes, ao Canadá, mais propriamente ao Québec, em visita de cortesia a um empresário daquela área. Esta visita, feita fora dos holofotes governamentais e fora do âmbito das organizações comunitárias, numa palestra por ele proferida, ao que percebi, nas instalações do dito empresário, abordou a questão das rotas deficitárias.
Na circunstância teria afirmado:- os políticos que se dediquem à política e deixem-nos trabalhar naquilo que sabemos fazer. Se não foram estas as exactas palavras, foi algo muito parecido. Bravo senhor Presidente! Se as coisas tivessem sido assim desde sempre, o grupo SATA não estaria como está. Em boa verdade, os políticos nunca deviam ter “metido o nariz” naquilo para que nunca foram chamados.
Neste momento veio-me à ideia o que se falou na passada semana sobre a TAP – não tem nada a ver com os automóveis BMW para os directores e administradores. Desta feita falou-se que a TAP, ao tempo da anterior administração, teria adquirido aviões mais caros do que a concorrência, pese embora os ditos fossem iguaizinhos.
Lembrei-me da primeira aquisição de aviões que a SATA fez, na altura em que Mota Amaral presidia ao Governo Regional. Não me recordo que tipo de avião foi adquirido na altura; todavia, lembro-me de ter vindo a público que teria havido comissões naquela compra.
Falei com o então Presidente do Conselho de Administração de quem era, e sou amigo, tendo-me informado na altura que era de prática corrente o fabricante “mimar” o comprador com uma comissão de dez por cento, salvo erro.
Por a pessoa em questão ser uma pessoa séria, aquela comissão reverteu a favor da empresa SATA mas, para os menos escrupulosos, a dita cuja, provavelmente, seria embolsada.
Isto faz-me lembrar de um outro caso, embora noutras circunstâncias. Um empregado de uma empresa local foi a um estabelecimento comprar determinados bens para a empresa onde trabalhava.
O vendedor perguntou-lhe:- o desconto vai na factura… ou ? Respondeu-lhe o tal empregado: é claro que vai na factura!
Não sei como é que hoje em dia se processam as coisas, mas pelo que me apercebo pelo que leio, ouço ou vejo, a firmeza, a rectidão e a transparência andam pelas ruas da amargura.
Como sou daqueles que criticam quando as coisas não estão bem com a nossa transportadora aérea, não quero finalizar este meu trabalho sem felicitar o Conselho de Administração do grupo SATA pelos resultados agora divulgados. Parabéns! 
Não se esqueçam que firmeza e transparência na governação da SATA é o que se pede.
O Governo Regional também não esqueça que, em equipa que ganha, não se mexe!
Para bem dos Açorianos que são os verdadeiros donos da SATA.

 P.S. Texto escrito pela antiga grafia.
23OUT2022


Carlos Rezendes Cabral

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker