84 pessoas idosas em contexto de solidão ou de isolamento social na malha urbana de Ponta Delgada


A Câmara Municipal de Ponta Delgada pretende continuar a combater situações de solidão ou de isolamento social no concelho e está disponível para fazê-lo em rede com a Associação Seniores de São Miguel (ASSM), que lidera um estudo sobre a problemática nos Açores, desde Outubro de 2021.
A pretensão foi avançada, esta Segunda-feira, pela Vereadora Cristina Canto Tavares, durante uma sessão de apresentação e de discussão do estudo “Não Esquecer -Combater à Solidão”, que teve lugar numa unidade hoteleira de Ponta Delgada, permitindo fazer o balanço da primeira etapa do projeto e avançar com os pressupostos da sua segunda fase.
“Nesta segunda fase, é intenção da Associação Seniores de São Miguel constituir uma rede de intervenção comunitária e a Câmara Municipal de Ponta Delgada quer acompanhá-la para, em conjunto, podermos mitigar esta situação de solidão ou de isolamento social no concelho“, referiu a autarca, dando nota de que pretende “englobar os dados do estudo nos eixos de intervenção do Plano Municipal para o Envelhecimento Activo” e actuar “cirurgicamente sobre a problemática”.
A primeira fase do estudo realizado pela Associação Seniores de São Miguel recaiu sobre quatro freguesias centrais de Ponta Delgada – designadamente, de Santa Clara, São José, São Sebastião e São Pedro – e vai, agora, estender-se às da Relva, Arrifes, Fajã de Cima, Fajã de Baixo, São Roque e Livramento.

Municípios diz ter respostas
sociais para estes idosos

Foram identificadas 84 pessoas idosas em contexto de solidão ou de isolamento social na malha urbana de Ponta Delgada - 90 por cento das quais, em situação de solidão ligeira -, uma realidade para a qual “o município já possui respostas sociais e medidas estratégicas”, sublinhou a Vereadora, que, do elenco camarário, tem sob sua responsabilidade o pelouro do Planeamento Inter-geracional.
“Este, felizmente, não é um caso em que nos deparemos com limitações em termos infra-estruturais ou com falta de políticas sociais, mas que pode efectivamente beneficiar de uma resposta articulada e sistémica com a rede a ser criada e a contemplar a Associação Seniores de São Miguel, Governo dos Açores, Juntas de Freguesia, Centros Sociais Paroquiais e forças vivas da nossa sociedade”, referiu  Cristina Canto Tavares, lembrando que o município dispõe de uma “ampla oferta no domínio do envelhecimento”, como são exemplo os 23 centros de convívio existentes, o Projecto Conforto - Apoio Geriátrico ao Domicílio, o serviço de Teleassistência, ou as medidas ‘Exercício e Saúde na 3ª idade’, ‘Idosos Activos’ e cartão PDL Sénior.
Sobre o Plano Municipal para o Envelhecimento Activo e as respectivas medidas a implementar até 2026, a vereadora explicou tratar-se de “um instrumento de planeamento dirigido à população sénior e idosa, onde é vertida a estratégia de intervenção a desenvolver numa lógica de promoção de uma cidadania plena e de uma sociedade inclusiva que se preocupa com a qualidade de vida e bem-estar dos seus seniores”. 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker