Açores analisados por critérios exigentes consolidam-se como destino sustentável certificado com o Nível III de Prata

 A Região Autónoma dos Açores atingiu formalmente o Nível III de Prata da certificação como “Destino Sustentável” pela Earth Check, de acordo com os exigentes e internacionalmente aceites critérios de sustentabilidade do Conselho Global de Turismo Sustentável (GSTC), mantendo-se como o primeiro e único destino arquipelágico no mundo com esta certificação.
O anúncio foi feito ontem, no âmbito da participação da Azores DMO (Estrutura de Sustentabilidade do Destino Turístico) no Congresso do GSTC, que decorre esta semana, em Sevilha, e que reúne mais de 350 participantes de 61 países.
A Secretaria Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, representada pela Azores DMO, foi convidada a apresentar a Região como ‘case-study’ internacional nesta conferência.
Na ocasião, Stewart Moore, CEO da entidade certificadora Earth Check afirmou que “os Açores são um destino líder em termos de desenvolvimento sustentável”.
Berta Cabral, Secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, sublinha o “grande orgulho nesta certificação e neste novo patamar, que reafirma a liderança da região em matéria de sustentabilidade, mas que também consolida o posicionamento internacional dos Açores como destino de excelência”. A exigência do processo de certificação que a Região Autónoma dos Açores adoptou é evidenciada pelo grau de compromisso requerido, pela prática diária necessária, pelas auditorias recorrentes e pelo modelo de evolução progressiva, que tem uma base anual.
O processo de certificação da Earth Check inicia-se com o “Nível I de Prata” e cada ano seguinte representa uma potencial evolução para um nível superior, até se atingir o “Nível IV de Prata”. Apenas no final de cinco anos é possível atingir o nível “Ouro”.
A evolução para cada nível só é efectivada perante a comprovação objectiva do cumprimento de vários critérios e requisitos, com validação em sede de auditoria, o que demonstra o grau de compromisso e o extenso trabalho que tem sido desenvolvido pela Região Autónoma dos Açores ao longo dos últimos anos.uista, relembrando que “este é um processo contínuo”.
“Todos os anos queremos demonstrar fazer mais e melhor, pois temos o objectivo de atingir o nível de Ouro em 2024”, adiantou.

Governo assinala revogação
da taxa turística regional

 A  Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas assinalou ontem, numa nota informativa, que a Assembleia Legislativa Regional dos Açores revogou o diploma regional que criava a taxa turística regional.
A Secretária Regional do Turismo, Berta Cabral, já havia manifestado a sua posição contrária à entrada em vigor de uma taxa turística no próximo ano na Região.Mas, depois, no plenário da Assembleia Legislativa Regional, deixou claro que se a vontade do Parlamento regional fosse avançar com a taxa turística, o Governo dos Açores tinha tudo preparado para cumprir com a decisão do órgão máximo da Autonomia açoriana.
Realce para o facto de ter sido o deputado independente, Carlos Furtado, que dera maioria à aprovação da taxa turística, tenha votado a favor da sua revogação, embora com o pretexto de poder voltar a apresentá-la para entrar em vigor em 2024.
Na nota informativa ontem distribuída, a Secretária Regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral, realça que “o Governo dos Açores “sempre se mostrou contra a taxa turística regional, sobretudo tendo conta o momento da sua criação e aplicação, mas também considerando o modelo que tinha sido definido”.  “Vemos naturalmente como positiva a revogação da taxa turística regional”, acrescentou a governante.
Berta Cabral, no momento do debate, anunciou que os Açores tinham atingido formalmente o Nível III de Prata da certificação como “Destino Sustentável”, pela Earth Check, demonstrando o adequado percurso que tem sido trilhado em matéria de sustentabilidade e a assinalando a evidência de que os Açores estão muito longe de ser um destino massificado. (ler noutra local). “Somos um destino sustentável e vamos continuar a sê-lo, porque é essa a matriz do nosso posicionamento e da nossa atuação, mas temos ainda temos muito potencial para crescer e a obrigação de consolidar o nosso turismo e a qualidade oferecida ao turista”, acrescenta a Secretária Regional.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker