Pagamento do apoio aos produtores e passagem do património da Cooperativa Ocidental nas Flores avança “durante o primeiro semestre deste ano”

Quase um ano após a decisão tomada pelos sócios da Cooperativa Ocidental de avançar para o encerramento da instituição, a única na ilha das Flores a laborar leite, este é um dossiê que ainda não se encontra totalmente encerrado. Em causa estão a totalidade do pagamento indemnizatório devido a 11 produtores, pela reconversão das suas explorações de leite para vacas de carne e a efectivação da passagem do património da Cooperativa florentina para o Governo Regional.
O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural tinha deixado a garantia, durante um debate na Assembleia Legislativa no passado mês de Setembro, que estes produtores que tinham avançado com a conversão da produção de leite para carne, iriam receber estes apoios financeiros até ao final do ano. Ora, esse pagamento ainda não foi realizado e o governante, contactado pelo nosso jornal, avança que isso irá agora ocorrer “durante o primeiro trimestre deste ano”.       
“Essa conversão de leite para carne tem aqui um tempo sem rendimento e nós demos uma indemnização a cada produtor de leite. Já está publicada (em Jornal Oficial) e devem receber agora neste primeiro trimestre de modo a que possam fazer face aos custos de transformação de leite em carne”, afirmou.
A transferência do património da Cooperativa, avaliado em mais de um 1 milhão de euros, sabe o nosso jornal, deverá igualmente ser concretizado durante o primeiro trimestre de 2023. No entanto, a decisão terá de ser tomada em Conselho de Governo, explica o Secretário Regional.
“É uma decisão de todo o Governo. Há uma proposta em cima da mesa, já houve uma avaliação realizada por parte do Governo e agora está-se a analisar para decisão”, refere.
Apesar disso, António Ventura considera que essa decisão seria “positiva”.
“Acho que sim desde que exista uma ideia concreta para o desenvolvimento do Grupo Ocidental em termos da inovação, da experimentação, de novos agroalimentos ou de energias alternativas. Podemos ter ali um centro de desenvolvimento e experimentação não só na área agrorural mas também noutras áreas. Penso que faz falta ao Grupo Ocidental e, na perspectiva da transição verde, da transição energética nas novas tecnologias, nos novos alimentos e na utilização do potencial que a ilha tem, acho que seria positivo”, justifica.
O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural realça que o encerramento da única cooperativa responsável pela laboração de leite “não significa que não possa continuar a existir produção e transformação de leite na ilha das Flores”.
“Existem duas queijarias privadas a funcionar e fundos comunitários (…) para as agroindústrias no valor de 8,5 milhões de euros e em que a iniciativa privada, se assim entender, pode candidatar-se à transformação e comercialização nesta área. A produção de leite e a sua transformação em queijo ou manteiga não está vetada nas Flores, bem pelo contrário, e existem as mesmas oportunidades de financiamento que existem em todas as ilhas”, garante.
A Cooperativa Ocidental apresenta actualmente um passivo a rondar os 600 mil. Desse valor, cerca de metade foi contraído recentemente com as obras realizadas na ETAR e, com o prolongar da decisão de passagem ‘de mãos’ do seu património, o passivo, visto que a laboração cessou completamente, vai naturalmente crescendo.
António Ventura, questionado concretamente sobre esta matéria, referiu não ter conhecimento da situação e lembrou o processo que levou ao encerramento da Cooperativa.
“Era uma Cooperativa muito endividada e a produção de leite estava a diminuir ano após ano (…) De 2021 para 2022 verificaram-se quebras de produção de 30%. Reuni com os produtores de leite e grande parte deles não tinha vontade em continuar e não havia, de facto, o compromisso de assegurar a matéria prima. Deixei à consideração o que fazer; um compromisso forte no sentido de encontrarem outros produtores ou então uma outra alternativa. Eles reuniram e decidiram terminar com a Cooperativa”, realça.   
O governante lembrou ainda que em 2021 “demos o maior apoio financeiro de sempre à Cooperativa Ocidental”.
“Exigimos relativamente a este apoio que existissem alguns compromissos; que os produtores tivessem a matéria prima (…) e um compromisso de gestão no âmbito de um plano de revitalização futuro para a Cooperativa. Enviamos uma equipa de técnicos que fez um relatório daquelas que eram as fragilidades e as suas potencialidades. Esse relatório foi apresentado à Direcção e deixado um compromisso, por parte do Governo dos Açores, de que estaria disponível a acompanhar e a apoiar essas perspectivas de viabilidade”, salientou.
A Cooperativa Ocidental na ilha das Flores cessou a sua actividade em Julho do ano passado.                                   

Luís Lobão    

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker