8 de janeiro de 2023

É o futuro que está em causa!

 1- De forma surpreendente, a semana foi marcada pelo falecimento do teólogo Joseph Ratzinger e Papa emérito Bento XVI, que juntou milhares de pessoas em Roma durante o velório e exéquias presididas pelo Papa Francisco, com a presença de alguns chefes de Estado e rainhas que, por vontade própria e em representação dos seus países, prestaram homenagem a um sábio e estudioso que deixa um legado sobre o pensamento quanto à evolução da Igreja, da Fé e relativamente ao cristianismo que se espalha para outros continentes, enquanto vai morrendo na Europa devido ao envelhecimento não só das pessoas, mas também da crença que provinha das famílias e dos jovens, mas que tem desaparecido devido ao envelhecimento das pessoas e à falta de reposição pelos novos nascimentos.
2- A Europa corre sérios riscos sociais e económicos por falta de mão-de-obra e pelo desequilíbrio populacional que tem, ao que se junta as consequências resultantes do teatro da guerra que se desenrola na Ucrânia, mas que abrange toda a União Europeia.
3- Neste cenário como pano de fundo, continua-se a procurar a verdade que é um bem tão antigo quanto a existência do ser humano, mas que é desfigurada pelas falsas doutrinas espalhadas como verdades absolutas pelos governantes em termos económicos e sociais, mas que só servem para aumentar a riqueza de uns poucos já muito ricos, tidos como donos disto tudo, e prolongar a pobreza de quem trabalha sol a sol, para sustentar os que estão a seu cargo.  
4- O pior é que as pessoas movidas pelo individualismo, consequência do que lhes é facultado pelas redes sociais e por quantos as procuram influenciar, caem nas falsas doutrinas ou nas meias verdades vindas dos diversos poderes que dominam a sociedade e que, por via disso, tornam-se geradores de um défice de crença, e profunda carência, que só poderá ser resolvida pelo retorno à verdade, retorno que depende da vontade e acção dos cidadãos.
5- Todos sentimos os custos que 2022 trouxe às empresas e às famílias, tudo em nome e por graças da “inflação” que levou logo à subida das taxas de juros e arrastou consigo os bens alimentares.
6- O problema dos problemas agora prende-se com o custo da energia que aponta para valores a pagar que poderão duplicar para a indústria. Tudo isso acontece quando o barril de Brent está abaixo dos 80 dólares, as hidroeléctricas voltaram a produzir e as eólicas não deixaram de ter vento restando saber qual é a produção das centrais solares, isto em Portugal.
7- Quanto aos Açores, a capacidade eólica mantêm-se activa, a geotermia continua a produzir parte importante da energia fornecida a São Miguel e à Terceira, e o fuel oil certamente que não duplicou o seu valor. O que está a faltar conhecer-se é a forma que foi usada na composição de custos, que leva o Regulador a fixar os preços de venda do KW à indústria tal como que tem sido apregoado.
8- É preciso transparência e esta não tem existido nos crescentes aumentos de custos que se tem verificado, com a bênção das entidades inspectivas que têm sido “cegas e mudas”.
9- O Governo Regional anunciou que foi abordado na primeira reunião deste ano “um sistema de acompanhamento e monitorização de preços”, que não se sabe o que é. Decidiu também criar um “mecanismo de apoio ao incremento salarial para empresas e empregadores”.
10- Anunciou ainda “um processo de capitalização para Pequenas e Médias Empresas” faltando saber o que é, e como vai funcionar, porque numa situação como a que se vive as candidaturas e a sua análise não podem ser um emaranhado burocrático que as leve a ficarem no limbo da decisão.
11- Todas as “referências” abordadas no Conselho de Governo são medidas bem-vindas para superar os estrangulamentos que a crise está a provocar nas famílias e nas empresas, merecendo referência o apoio ao crédito à primeira habitação das famílias.
12- Porém, tais medidas precisam ser postas em execução num curto espaço de tempo para poder ter efeito já que o futuro é uma incógnita, e para tanto impõe-se uma convergência das forças políticas com assento Parlamentar porque, é o futuro que está em causa!

 Américo Natalino Viveiros

 

 

Print
Autor: CA

Categorias: Editorial

Tags:

Theme picker