Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande celebrou 430 anos da sua fundação

 O Consistório da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande foi pequeno para acolher as celebrações dos 430 anos da fundação da instituição, numa cerimónia que contou com a presença de várias individualidades municipais e regionais, que quiseram associar-se à solenidade que teve lugar na passada Quarta-feira, dia 22 de Fevereiro, dia em que por Decreto de El Rei Flipe I de Portugal, em 1593, conforme atesta o alvará real encontrado na Torre do Tombo em Lisboa, passou a usufruir dos mesmos privilégios e liberdades de que gozavam o provedor e irmãos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.
Presidiu à cerimónia Alexandre Gaudêncio, Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, sendo ladeado pela vogal do Conselho Directivo do Instituto de Acção Social dos Açores, Tânia Fonseca, em representação do Vice-presidente do Governo Regional, Artur Lima e ainda pelo Provedor da Santa Casa, Nelson Correia. De realçar a presença de entre os muitos convidados, do Capelão da instituição padre Manuel Galvão, deputados regionais, Presidente e membros da Assembleia Municipal, vereadores, presidentes de Junta de Freguesia, os provedores das Santas Casas da Maia, Nordeste, Povoação e Lagoa, várias agremiações concelhias como a Confraria do Santíssimo Sacramento da Matriz, Irmandade do Senhor dos Passos, Bombeiros, Casas do Povo, Casa Bernardo Manuel da Silveira Estrela, entre outras.
Saudando os presentes, Nelson Correia na sua intervenção disse que para dar resposta aos 800 utentes diários, a Misericórdia conta com todo um conjunto de valências onde se procura acima de tudo aprofundar e renovar os instrumentos de política social, orientados para a redução da pobreza e da exclusão social, trabalhando na implementação de medidas sociais pró-activas de integração e solidariedade.
Contudo, para chegar aos dias de hoje, realçou o papel de todos os que a serviram aquela vetusta instituição ao longo dos séculos, pois foi graças aos seus trabalhadores e colaboradores cuja abnegação, generosidade e sacrifício, em prol do ideal que é sempre o mesmo desde 1593, e sempre fiéis aos princípios, se mantêm na resposta às obras de misericórdia.
Nelson Correia salientou a importância que a comunidade e a Região reconhecem na actuação da Misericórdia da Ribeira Grande, que sabe fazer e faz bem, o que constitui um incentivo a prosseguir, sempre com o enfoque no compromisso entre a tradição e a modernidade. Tradição, pois tem uma missão com 430 anos, que vale a pena continuar, e modernidade devido ao acompanhamento das mudanças da sociedade e da Região, que devem estar sempre ao lado a trabalhar pelos que mais precisam.
O Provedor teve ainda a oportunidade de salientar que a Mesa Administrativa da Santa Casa, que recentemente tomou posse para mais um mandato, está empenhada em concretizar algumas iniciativas de grande alcance, como seja  gerir o programa europeu de Apoio as Pessoas mais carenciadas nos concelhos de Ribeira Grande, Nordeste e Povoação, em  resultado de uma candidatura feita pelo Governo Regional aos Fundos Europeus.
Por outro lado, outro projeto simbólico será  construção de um imóvel em Rabo de Peixe, onde serão concentrados muitas das valências espalhadas naquela vila, bem como a construção de raiz de uma creche e jardim de infância, dignificando assim a presença daquela Misericórdia na vila de Rabo de Peixe. Outrossim, a Santa Casa está apostada na construção de uma residência assistida para 16 jovens, uma valência destinada a jovens com deficiência mental grave a profunda com idades superiores aos 16 anos, cujas famílias cada vez mais envelhecidas têm problemas com o alojamento destes jovens.
Tânia Fonseca, para além de realçar o papel das Misericórdias e das IPSS como verdadeiros parceiros do Governo Regional, enfatizou que tudo está a ser feito para apoiar estas instituições, fazendo um esforço solidário com elas em prol do desenvolvimento social dos Açores. As Santas Casas e as IPSS, prosseguiu, respondem às necessidades das populações, nomeadamente as mais necessitadas de apoio, mormente a crianças, seniores e cidadãos com deficiência, pelo que, nunca como agora o XIII Governo Regional pretende dar uma robustez financeira a estas instituições, a fim de lhes garantir uma maior capacitação. Tânia Fonseca, em nome do Vice-presidente do Governo congratulou a Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande, deixando-lhe uma saudação muito especial pela pública e conhecida dedicação às causas sociais, como forma de debelar dos desafios com que se deparam no dia a dia.
Alexandre Gaudêncio aproveitou na sua intervenção, para além de felicitar uma das mais antigas e prestigiadas instituições do Concelho, pelo seu trabalho em prol dos mais carenciados da sociedade, para anunciar em dia de aniversário que a autarquia da Ribeira Grande, por sua proposta irá aprovar a cedência de um terreno municipal anexo ao Centro de Atividades  e Capacitação para a Inclusão, a fim de que a Santa Casa da Misericórdia possa implementar o seu projecto de construção de uma residência assistida, tão necessária no Concelho.
Por outro lado, o Presidente da autarquia ribeiragrandense comprometeu-se a financiar a elaboração do projecto para a construção do edifício em Rabo de Peixe, onde se congregará muitas das valências da Santa Casa naquela Vila, uma obra que constitui uma mais-valia em prol do trabalho social insubstituível que tem sido levado a cabo pela Misericórdia numa das parcelas do Concelho mais importantes e onde residem uma franja considerável da população do município da Ribeira Grande.
O anúncio feito no dia em que a Misericórdia celebrou os 430 de fundação constituiu como que a cereja no topo do bolo, como classificou Alexandre Gaudêncio, notícia que foi aplaudida pela Mesa Administrativa, atendendo a que se trata de um importante impulso para se concretizarem obras há muito almejadas pela instituição.
O momento de festa foi ainda aproveitado para a Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande homenagear os seus trabalhadores com mais de 30 anos ao serviço daquela instituição, bem como dos que passaram recentemente à situação de aposentados, em reconhecimento pelo denodo do seu trabalho e entusiasmo com que dedicaram à Santa Casa.
Os presentes foram brindados por dois momentos musicais de alta qualidade, com o jovem talento da Ribeira Grande Luís Martins, que executou ao piano de forma brilhante peças de Johannes Brahms, Franz Liszt e Maurice Ravel. Por seu lado, Bárbara Azevedo, natural do Pico e enfermeira de profissão, que desde sempre revelou uma grande paixão pela música e integra vários projectos musicais conhecidos no panorama regional, apresentou-se num formato intimista de piano e voz, revisitando temas intemporais, de artistas como Rui Veloso e Pedro Abrunhosa. Ambos os momentos foram exuberantemente aplaudidos pela assistência.
As comemorações dos 430 anos prosseguem, realizando-se no próximo Domingo a procissão em honra do Senhor Santo Cristo dos Terceiros, uma celebração promovida pela Santa Casa, como prevê o Compromisso de há séculos daquela instituição.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker