Proporcionado programa de auditoria e formação a 200 restaurantes dos Açores

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou ontem que o Governo dos Açores proporciona às empresas de restauração a segunda fase do programa ‘Selecção Gastronomia e Vinhos’, que pode alcançar 200 restaurantes em todas as ilhas dos Açores até 2019, enquanto “medida prioritária na qualificação” do destino por via da formação dos recursos humanos, bem como do “desenvolvimento e melhoria da oferta turística e promoção gastronómica da Região”. Marta Guerreiro, que falava, em Angra do Heroísmo, na apresentação do programa, depois de sessões em Ponta Delgada e na Horta, salientou que resulta de uma parceria com a AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, sendo que esta segunda fase alcançará também os cerca de 100 estabelecimentos abrangidos na primeira fase, que se dirigiu, essencialmente, às ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, em 2011, permitindo “uma melhor e mais eficaz divulgação da oferta gastronómica dos Açores e a capacitação dos activos que diariamente contactam com os turistas” que visitam os Açores. “Sensibilizar os empresários para as vantagens decorrentes de incluírem nas suas ementas receitas da cozinha tradicional açoriana ou de utilizarem produtos tradicionais de qualidade, de investirem na melhoria dos seus estabelecimentos e promoverem a formação dos seus colaboradores, são alguns dos objectivos definidos neste programa”, acrescentou. Marta Guerreiro frisou que “este projecto assume uma clara intenção de desenvolvimento turístico, enquanto instrumento de marketing muito próximo do consumidor, permitindo fortalecer a notoriedade dos estabelecimentos abrangidos, bem como a promoção da sua inovação, para além de fortalecer a imagem dos Açores como um todo”. Na sua intervenção, a Secretária Regional realçou o “bom caminho” do sector do Turismo, mas lembrou que um dos grandes desafios actuais é a qualificação da oferta, principalmente na formação de recursos humanos, enquanto preocupação na qual o Executivo açoriano está empenhado em promover “este árduo trabalho com e para as pessoas, quer seja na formação inicial, na reconversão ou na formação contínua de actualização de competências”. “É certo que este é um caminho que leva tempo, que deverá ter um contributo público, mas também da iniciativa privada, como se verifica aqui hoje, passando, e muito, pela valorização das profissões directamente relacionadas com o sector”, frisou a titular da pasta do Turismo. Marta Guerreiro destacou ainda a “riqueza gastronómica” dos Açores, realçando a sua importância como “produto turístico por excelência, podendo ser catalisadora da economia regional”, tendo em conta que a gastronomia assume “um papel cada vez mais importante nas motivações de deslocação de um crescente número de turistas”, um pouco por todo o mundo e também nos Açores. “Sabemos que a gastronomia é um factor imprescindível de atracção turística dos Açores e salvaguardando-a estaremos, simultaneamente, a defender e a preservar os produtos agrícolas, piscícolas, lácteos e vitivinícolas, proporcionando, através da relação harmoniosa entre todos, a autenticidade da identidade gastronómica da nossa Região, bem como o incentivo ao desenvolvimento contínuo do sector da restauração e hoteleiro, de crucial importância económica nos Açores”, salientou Marta Guerreiro.
Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker