Fundação Oceano Azul lidera investigação científica aos Açores com parceiros internacionais

A Fundação Oceano Azul revelou ontem que lidera uma expedição científica aos Açores que decorre entre os dias 3 e 24 de Junho, em parceria com a Waitt Foundation e a National Geographic Pristine Sease, em colaboração com o Governo Regional dos Açores. De acordo com informação disponibilizada, esta viagem científica surge no âmbito do programa Blue Azores e reforça a intervenção da Fundação na promoção do conhecimento para a conservação do oceano. O mar dos Açores é já hoje percepcionado, inclusive pela comunidade internacional, como uma área de extrema relevância a nível de biodiversidade marinha, biorecursos e da sustentabilidade do oceano. Porém, ainda há zonas pouco exploradas e um grande desconhecimento das suas comunidades biológicas e da natureza dos fundos marinhos. Esta expedição às áreas mais intactas do mar dos Açores pretende contribuir para um panorama científico mais revelador do valor destes ecossistemas. A expedição decorre a bordo do histórico navio Santa Maria Manuela e conta com a participação do N.R.P. Almirante Gago Coutinho, pertencente à Marinha Portuguesa ao serviço do Instituo Hidrográfico, assim como do ROV “LUSO” da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental. Realizada no âmbito do programa BlueAzores, a exploração destas zonas pouco conhecidas do mar dos Açores é levada a cabo por uma vasta equipa científica liderada por Emanuel Gonçalves, biólogo e membro da Comissão Executiva da Fundação Oceano Azul e Paul Rose, Líder de Expedições da National Geographic Pristine Seas, e tem o apoio do Governo Regional dos Açores e da Marinha Portuguesa, assim como de parceiros científicos nacionais como a Universidade dos Açores. Segundo Emanuel Gonçalves, «para se poder avaliar o real valor do mar dos Açores, seja biológico, económico ou social, é fundamental conhecermos melhor os seus ecossistemas. Uma expedição como esta, ou um programa de intervenção mais ampla como é o Blue Azores, podem contribuir para a protecção de vastas áreas do oceano, através da implementação de áreas marinhas protegidas, conservando assim a riqueza e o equilíbrio dos habitats e promovendo o seu uso sustentável por parte das comunidades que delas dependem. Só assim é possível garantir o futuro da Humanidade». Recorde-se que o programa Blue Azores, com uma duração estimada de três anos, tem como objectivo a promoção e valorização do capital natural azul do arquipélago dos Açores, em estreita colaboração com o Governo Regional dos Açores e outras entidades. O programa envolve muitas das áreas de actuação da Fundação Oceano Azul: ciência, conservação, avaliação do valor económico dos ecossistemas, literacia e co-gestão das pescas. A génese da Fundação Oceano Azul resulta da convicção de que em tempos de profunda mudança, é necessário alterar comportamentos que permitam a coexistência do desenvolvimento humano com a protecção do oceano. Assim, a Fundação nasceu, em 2017, de uma vontade de reaproximar Portugal do mar e de ajudar o país a desenvolver uma geração azul e a posicionar-se como líder nos temas ligados ao oceano. A Fundação Oceano Azul tem como eixos principais da sua actividade a Literacia, a Conservação e a Capacitação, sob o lema “Ocean’s Point of View”.
Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker