Três medalhas de ouro e cinco medalhas de prata para os Açores no campeonato nacional das profissões para jovens

Alunos de diversas escolas profissionais do arquipélago dos Açores marcaram presença no Campeonato Nacional das Profissões (WorldSkills Portugal) para competirem em variadas áreas profissionais. Ao todo, trouxeram para o arquipélago, oito medalhas desta competição. Os campeonatos das profissões, competições dirigidas a jovens entre os 17 e os 25 anos, que concluíram ou que frequentam um percurso de qualificação, em modalidades de educação e formação profissional, visam demonstrar o nível individual de competências, rigor e domínio de técnicas e de ferramentas para o exercício de cada profissão a concurso, através da realização de provas práticas de desempenho. Estes eventos realizam-se de dois em dois anos e reúnem os classificados com as melhores pontuações nas fases de pré-seleção que disputam entre si o título de campeão nacional em cada profissão. Os campeões da fase nacional candidatam-se a uma participação nos Campeonatos Europeu e Mundial das Profissões, organizados pela WorldSkills Europe e pela WorldSkills International. Este ano, realizou-se a 43ª edição do WorldSkills Portugal em Beja e contou com a participação de 353 jovens. Dos participantes açorianos, cinco alcançaram a medalha de prata e três a medalha de outro. O Vice-presidente do Governo, Sérgio Ávila, esteve ontem presente na cerimónia de entrega de medalhas a estes formandos vencedores e mostrou-se orgulhoso pelo sucesso alcançado pelos jovens açorianos, salientando que estas conquistas “demonstram, não só, a capacidade dos nossos jovens mas, particularmente, também, a qualidade do nosso ensino profissional”. Fernando Nunes, de 21 anos de idade, frequenta a Escola de Novas Tecnologias dos Açores (ENTA) e descreve como foi a sua experiência neste evento bastante competitivo. “Foi complicado, não posso dizer que foi fácil porque não foi”, disse. “Criei novas amizades, conheci novas pessoas. A nível profissional, ganhei mais experiência e aprendi como as coisas devem decorrer”, disse Fernando Nune,s que também explicou qual o projecto que teve de desenvolver para conseguir a medalha de ouro. “Tive de desenvolver uma aplicação com chips para garrafas de vinho. Foi uma simulação de como seria implementado no mundo real”. A jovem está a estagiar na empresa TETRAPI e as suas perspectivas para o futuro passam por “ficar na ilha mais uns anos e, quem sabe, ir viver para o Continente ou até fora dos pais”. O seu país de sonho, a nível profissional é os “Estados Unidos da América, mas se não der, contento-me com Inglaterra, Alemanha ou Canadá”. Uma das medalhas de ouro chegou aos Açores graças ao trabalho de Ana Coelho que frequenta o curso de cozinha na Escola Profissional da Praia da Vitória. Ana fala da sua participação neste campeonato como “uma experiência espectacular” e confessa que “representar os Açores foi muito bom”. No futuro “gostava de ir trabalhar com bons chefs, aprender tudo o que eles tiverem para me ensinar e evoluir sempre. Por enquanto, gostava de ir até Lisboa e depois, logo se vê” disse Ana Coelho que está na reta final dos seus estudos e quase a avançar para o mundo do trabalho. Hugo Leandro foi aluno da EPROSEC no curso de Gestão e Contabilidade. No WorldSkills Portugal deste ano, conseguiu alcançar a medalha de prata na sua área profissional. Para o jovem de 19 anos de idade, esta competição “foi uma experiência muito rica em conteúdo e em conhecimento. Uma experiência completamente diferente e muito gratificante”, disse. Neste momento, já trabalha na empresa onde estagiou através do curso profissional e concilia o trabalho com os estudos na Universidade dos Açores. Está a frequentar a licenciatura em Gestão e gostava de, no futuro, fazer mestrado em Ciências Económicas e Empresariais. A ENTA recebeu ainda, mais uma medalha de outro e uma de prata, fruto do trabalho de dois alunos que frequentam o 2ª ano, do curso de Técnico de informática e instalação e gestão de redes. Paulo Ferreira, arrecadou a medalha de ouro, trabalhando num projecto de criação de uma VPN (Virtual Private Network), configurar routers, e trabalhar com o Windows Server e Linux. No futuro pretende “trabalhar numa empresa ambiciosa e grande” e tirar o curso nível V na mesma escola. No mesmo projecto que Paulo Ferreira estava, José Franco, seu colega de turma, que trouxe para os Açores a medalha de prata. Os dois, vão representar Portugal e os Açores no campeonato das profissões a nível Europeu (WorldSkills Europe) em dupla, de onde pretendem trazer mais uma medalha. José Franco conta que, antes de entrar para o curso, era apenas um usuário normal das tecnologias e nunca achou que poderia chegar ao ponto de ser distinguido a nível nacional. “Antes de eu entrar para o curso, eu não conhecia nada de tecnologias avançadas. Nunca pensei chegar a este ponto”, disse José Franco que caracterizou a sua participação no WorldSkills Portugal como uma “experiência única”. Para além dos entrevistados, conquistaram, também a medalha de prata os jovens Emanuel Viveiros Corrêa, em Eletcricidade, e André Araújo Arruda, em Electrónica, ambos da Escola Profissional de Capelas, e Leandro Manuel Machado Correia, da Escola Profissional da Praia da Vitória, em Serviço de Mesa e Bar que não pode estar presente por se encontrar a trabalhar no Algarve.
Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker