“Obras no estádio? Estamos a avaliar o que é imprescindível”

Directores do clube e da administração da SAD do Santa Clara, acompanhados pelos atletas e pelos treinadores, foram ao palácio de Sant’Ana, apresentar cumprimentos ao presidente do Governo Regional dos Açores. Uma visita que surpreendeu Vasco Cordeiro porque tinha prevista apenas a audiência com o presidente Rui Cordeiro. Aproveitou para, de viva voz, reforçar o que havia dito na mensagem enviada sobre a subida da equipa de futebol do Santa Clara à 1.ª Liga como “um motivo de orgulho para os Açores”. Vasco Cordeiro enalteceu ainda o trabalho “dos dirigentes, técnicos, jogadores e de todos aqueles que contribuíram para esta vitória, da mesma forma que estendo esta saudação por estes Açores fora, nas mais diversas modalidades que levam também mais longe o nome dos Açores”. A promoção à 1.ª Liga causa preocupações. A maior e que requer intervenção urgente reside na necessidade de profundas obras de requalificação e de melhoramentos no estádio de São Miguel. Desde que o Santa Clara subiu há 19 anos, pela primeira vez, à 1.ª Liga, que não há obras de vulto naquele estádio, registando-se, apenas, arranjos pontuais. São muitas transformações que se não forem operadas põem em risco a utilização do campo nos jogos a partir do dia 4 de Agosto. Vasco Cordeiro confrontado com a pergunta que lhe dirigimos, foi cauteloso na resposta: “Temos elencado um conjunto de necessidades que se colocam face aos requisitos regulamentares para a disputa de jogos da 1.ª Liga. Estamos a avaliar isso. Já temos apalavrada uma conversa, esta mais de trabalho, para avaliar o que se torna imprescindível e necessário dentro das possibilidades e as disponibilidades orçamentais que temos. Procuraremos, da melhor forma, concretizá-las para satisfação das necessidades mais prementes e que podem contribuir para a sustentabilidade da boa prestação da equipa”. Outro assunto que se coloca reside no apoio que anualmente é concedido ao Santa Clara através do contrato programa com a Direcção Regional do Turismo para a promoção dos Açores no exterior. Nos últimos anos tem sido de um milhão de euros na 2.º Liga. E agora Sr. presidente? “Esta é uma das respostas que vai de encontro ao que disse anteriormente. Tivemos a oportunidade de falar destas situações. Se é verdade que o assunto pode ser visto por aí, também pode ser visto por outras perspectivas como às próprias receitas que estão à disposição do clube.” E mudando o rumo à conversa, o líder do executivo regional referiu ser “o momento de felicitar aqueles que contribuíram para esta vitória e para este feito e da parte do Governo Regional manifestar a disponibilidade para conversarmos sobre os assuntos que estão à frente das preocupações, sejam aqueles do ponto de vista estrutural sejam ao nível de outras matérias, com a consideração e a consciência que este é um tempo também novo que vivemos, mas cá estamos para falar sobre isso e assumir naturalmente aquilo que o Governo decidir”. A finalizar o diálogo com os jornalistas, Vasco Cordeiro foi questionado se era do Santa Clara desde pequenino. “Como presidente do Governo tenho uma equipa, os Açores, mas não posso, de forma nenhuma, deixar de me sentir satisfeito quando uma equipa açoriana tem um triunfo desportivo”. O presidente da direcção e da SAD do Santa Clara disse no final do encontro ter sido “uma honra estarmos aqui no Palácio de Santana e sermos recebidos pelo Governo Regional dos Açores, porque, como sempre disse, este não é um projecto apenas do Santa Clara mas sim de todos os açorianos e esta subida de divisão significa isso: honrar a Região Autónoma dos Açores, bem como a sua diáspora.” Rui Cordeiro focou que a ida para a 1.ª Liga valorizará a época baixa na ilha de São Miguel, porque, com a nova conjectura do transporte aéreo, “ajudará o turismo da região com a vinda de mais pessoas e ajudará a dar mais visibilidade à Região Autónoma dos Açores”. O encontro terminou com líder dos santaclarenses e o “capitão” Pacheco a oferecer ao presidente do Governo uma camisola com o seu nome, como símbolo do feito alcançado, e ainda um cachecol do clube. Bolieiro felicita O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada felicitou o Santa Clara – dirigentes, treinador, equipa técnica e jogadores - e os seus adeptos pela subida à I Liga de futebol, num marco importante para a história do clube. Para José Manuel Bolieiro esta subida de divisão para o maior escalão do futebol português é “motivo de orgulho para Ponta Delgada e um momento de inspiração para os pontadelgadenses”. Um feito que, no seu entender, também honra a história do clube.
Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker